Sustentam a morte, e o resto é pra enfeitar: visualidade da necropolítica em tropa de elite de josé padilha

Imagem de Miniatura
Data
2023-07
Autores
Santos, Nicole Pinheiro [UNIFESP]
Orientadores
Ferreira, Carolin Overhoff [UNIFESP]
Tipo
Trabalho de conclusão de curso de graduação
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Este Trabalho de Conclusão de Curso tem como objetivo principal compreender o conceito de necropolítica e testar seu uso em uma análise fílmica de Tropa de Elite (2007), filme do realizador brasileiro José Padilha. Será mostrado como o conceito pode ser utilizado para analisar a maneira do retrato da violência pelo Estado brasileiro no filme, para indagar a naturalização da política de morte e a formação de um consenso acrítico na sociedade. Para tal, o trabalho descreve primeiro o conceito da necropolítica de Achille Mbembe, seus mecanismos de execução no Brasil, bem como sua recepção no país. Depois traça um breve panorama sobre filmes nacionais de violência e sua tradição na história do cinema brasileiro, para, em seguida, realizar uma análise fílmica de Tropa de Elite (2007) de José Padilha, com especial atenção à construção dos três grupos de personagens principais: os policiais militares (PM), os policiais do BOPE e os traficantes, para, assim, entender se há uma tendência de se naturalizar a necropolítica brasileira através do cinema. Por fim, uma breve reflexão crítica sobre a relação do filme com a ascensão de Jair Bolsonaro será apresentada.
Descrição
Citação