Estudo para validação do Kidney Donor Profile Index em receptores de transplante de rim em um centro único brasileiro

Imagem de Miniatura
Data
2023-04-30
Autores
Cassão, Bianca Cristina [UNIFESP]
Orientadores
Silva Junior, Helio Tedesco [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introdução: O Kidney Donor Profile Index (KDPI) foi introduzido em 2014 e modificou o sistema de alocação de órgãos nos Estados Unidos. Valores de KDPI acima de 85% estão associados a piores desfechos no pós transplante. No Brasil com o envelhecimento populacional e o aumento da prevalência de paciente renais crônicos em hemodiálise e o maior tempo em permanência na fila de transplante, tem-se utilizado cada vez mais doadores com KDPI elevados. Considerando que o KDPI foi baseado em dados de doadores dos Estados Unidos existe a necessidade de avaliar o impacto do escore nos desfechos relacionados ao transplante renal quando utilizados os dados dos doadores brasileiros. Objetivo: Validação do escore KDPI para a população brasileira com avaliação de sobrevida do enxerto em 5 anos de transplante. Metodologia: Este estudo do tipo coorte histórica, de centro único, incluiu 2670 receptores de rins realizados de 1 de janeiro a 31 de dezembro de 2015. Foram excluídos transplantes com doador vivo (n 649), pediátricos (n 147) e aqueles com outro órgão simultâneo (n 67), totalizando 1807 transplantes doador cadáver que foram seguidos por 5 anos. Os receptores foram divididos em 3 grupos, conforme faixas de KDPI do órgão doado (0-35%; 36-85%; 86-100%). Para analise estatística foi utilizado o modelo de regressão logística para análise de múltiplas variáveis. Resultados: Os doadores foram estratificados em três grupos, de acordo com a faixa de KDPI. Destes 36,1% eram doador de critério expandido e 26,6% tinham KDPI ≥85%. Aos 5anos de transplante os receptores de doadores com KDPI< 35% possuíam TFGe medianos de 41,1 ml/min/1,73m2 e com KDPI> 85% 17,1 ml/min/1,73m2. A incidência de perda do enxerto foi de 16,0% e progressivamente maior conforme maior a faixa de KDPI: 9,9% para 0-35%, 15,1% para >35-85% e 22,1% para >85% (p<0,001). Em relação a sobrevida do enxerto ao final de 1 e 5 anos, quanto menor o KDPI, maior a sobrevida, respectivamente de 97,3% e 82,3% na faixa de KDPI 0-35%, 91,5% e 75,8% na faixa >35-85% e 90,1% e 68,0% na faixa >85% (p <0,001). O KDPI apresentou uma baixa capacidade discriminatória para avaliar a sobrevida do enxerto ao fim de 5 anos de transplante, com área sobre a ROC de 0,575 (IC95% = 0,544-0,606; p<0,001). O mesmo padrão foi observado quando o desfecho considerado foi a perda do enxerto, censurada para o óbito, com área sobre a ROC de 0,580 (IC95% = 0,544-0,617; p<0,001). Conclusão: O impacto gradual do KDPI no resultado do enxerto o torna uma ferramenta útil na tomada de decisão no momento da oferta de rim de doador falecido, entretanto o KDPI apresentou uma baixa capacidade discriminatória para perda do enxerto, assim como quando censurada para o óbito. Levando-se em conta que na prática clinica a utilização de rins com KDPI maior do que 85% é crescente, torna-se relevante o conhecimento da aplicabilidade do índice em nossa população brasileira, portanto sua validação, e sugere possíveis ajustes das variáveis e pontuados para cada perfil de doador em uma população específica
Introduction: The Kidney Donor Profile Index (KDPI) was proposed in 2014 and modified the Kidney Allocation System in the United States. KDPI values above 85% are related with worst outcome after transplant. In Brazil due to population aging and increase of prevalence of chronic kidney disease patients in dialysis and on wait list for kidney transplant, high KDPI donors are being included. Considering that KDPI was based on data of American donors there is the need evaluate the impact of KDPI scores in brazilian kidney transplants that included brazilian donors. Objective: We aim to validate KDPI for the brazilian population with evaluation of graft outcomes on 5 years of transplant. Methods: This historical single center cohort study enrolled 3.059 kidney transplants recipients who received a graft from a deceased donor between 2013 and 2017 with 5 years follow up. Recipients were divided in three goups according to KDPI scores (0-35%; 36-85%; 86-100%). For statistical analysis multivariate analysis were performed using logistic regression models. Results: Donors were stratified in 3 groups according to KDPI score. Our sample was composed with 36,1% represented expanded criteria donors, among then 26,6% with KDPI ≥85%. Five years after transplant recipients of expanded criteria donors with KDPI< 35% presented with average glomerular filtration rate (GFR) of 41,1 ml/min/1,73m2 and for donors with KDPI > 85% recipients presented average GFR of 17,1 ml/min/1,73m2.Graft loss incidence was 16,0% and progressively increased with higher KDPI scores as follows: 9,9% for KDPI between 0-35%, 15,1% for KDPI between >35-85% and 22,1% for KDPI >85% (p<0,001). Graf survival after 1 and 5 years demonstrated that lower KDPI scores were related to higher survival rates as follows: Respectively 97,3% and 82,3% for KDPI between 0-35%, 91,5% and 75,8% for KDPI between >35-85% and 90,1% and 68,0% for KDPI >85% (p<0,001). KDPI showed low discriminatory capacity, with an area under the ROC curve of 0,575 (IC95% = 0,544- 0,606; p<0,001). The same pattern was observed when evaluated graft loss and recipient survival or death with an area under the ROC curve of 0,580 (IC95% = 0,544-0,617; p<0,001). Conclusion: KDPI scores have gradual impact on graft outcome makes it useful on decision making process of deceased donor kidneys. Nevertheless, KDPI showed low discriminatory capacity for graft loss as well for its correlation with recipients’ death or survival. In clinical practice the growing utilization of kidneys with KDPI >85% it is essential to fully understand KDPI applicability in the brazilian population and also possible score adjustments for brazilian donors profile.
Descrição
Citação