Relação entre a consciência da contração da musculatura do assoalho pélvico e o equilíbrio corporal em mulheres jovens

Imagem de Miniatura
Data
2023-06-28
Autores
Silva, Kathleen Rodrigues da [UNIFESP]
Orientadores
Zanetti, Míriam Raquel Diniz [UNIFESP]
Tipo
Trabalho de conclusão de curso de graduação
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
A musculatura do assoalho pélvico (MAP) desempenha diversas funções importantes, como sustentação dos órgãos pélvicos, controle da continência urinária e fecal, e facilitação da resposta sexual. Para que essa musculatura exerça suas funções adequadamente, é necessário acioná-la corretamente e com força adequada. Embora existam poucos estudos que relacionem as funções da MAP com outros fatores, como o equilíbrio, algumas evidências sugerem que a incontinência urinária, a principal disfunção do assoalho pélvico, pode estar relacionada à diminuição do equilíbrio. Objetivo: investigar se a consciência da contração da MAP pode influenciar o equilíbrio em mulheres jovens, além de identificar os fatores que podem influenciar a qualidade dessa contração muscular. Método: foram avaliadas 147 mulheres com idades entre 19 e 30 anos, que tinham vida sexual ativa e não apresentavam condições que pudessem interferir na avaliação do assoalho pélvico ou no equilíbrio. A coleta de dados foi realizada em três etapas em um único dia. Primeiro, foi preenchida uma ficha de avaliação clínica e uroginecológica. Em seguida, foi feita a avaliação do assoalho pélvico, e por fim, foram realizados testes de equilíbrio utilizando uma plataforma de força. Resultados: foram analisados com base em 144 mulheres jovens (idade média de 22,8 ± 2,86 anos), que tinham índice de massa corporal dentro da faixa normal (média de IMC = 23,73 ± 4,33 kg/m2). A maioria das participantes era composta por estudantes universitárias (88,3%), fisicamente ativas (66%) e não fumantes (91,1%). Foi observado que a maioria das mulheres tinha uma boa consciência da contração da MAP (61,1%), e quando utilizavam a musculatura acessória, o bloqueio inspiratório era mais comum (41,1%). A consciência da contração da MAP mostrou uma associação estatisticamente significativa (p < 0,05) com algumas variáveis do equilíbrio, incluindo velocidade média anteroposterior do centro de pressão em posição estática (VEL M/L), velocidade média anteroposterior do centro de pressão durante a marcha (VEL A), aceleração média anteroposterior do centro de pressão em posição estática (A), velocidade média anteroposterior da velocidade de deslocamento do centro de pressão durante a marcha (VEL A/P), e aceleração média anteroposterior da velocidade de deslocamento do centro de pressão durante a marcha (A). Conclusão: a consciência da contração da MAP apresentou uma correlação com as variáveis relacionadas ao equilíbrio. Observou-se que a apneia foi a associação mais comum quando as mulheres não conseguiam contrair adequadamente a MAP.
The pelvic floor musculature (MAP) performs various important functions, such as supporting the pelvic organs, controlling urinary and fecal continence, and facilitating sexual response. In order for this musculature to properly carry out its functions, it needs to be activated correctly and with adequate strength. Although there are few studies that relate MAP functions to other factors, such as balance, some evidence suggests that urinary incontinence, the main pelvic floor dysfunction, may be related to decreased balance. Objective: To investigate whether awareness of MAP contraction can influence balance in young women, as well as identify factors that may influence the quality of this muscular contraction. Methods: A total of 147 sexually active women between the ages of 19 and 30, who did not have conditions that could interfere with pelvic floor or balance assessment, were evaluated. Data collection was conducted in three stages on a single day. First, a clinical and urogynecological evaluation form was filled out. Then, a pelvic floor evaluation was performed, and finally, balance tests were conducted using a force platform. Results: The analysis was based on 144 young women (mean age of 22.8 ± 2.86 years), with body mass index within the normal range (mean IMC = 23.73 ± 4.33 kg/m2). The majority of participants were university students (88.3%), physically active (66%), and non-smokers (91.1%). It was observed that most women had good awareness of MAP contraction (61.1%), and when auxiliary musculature was used, inspiratory blockage was more common (41.1%). Awareness of MAP contraction showed a statistically significant association (p < 0.05) with some balance variables, including mean anteroposterior velocity of center of pressure during quiet stance (VEL M/L), mean anteroposterior velocity of center of pressure during gait (VEL A), mean anteroposterior acceleration of center of pressure during quiet stance (A), mean anteroposterior velocity of center of pressure displacement during gait (VEL A/P), and mean anteroposterior acceleration of center of pressure displacement during gait (A). Conclusion: Awareness of MAP contraction showed a correlation with variables related to balance. It was observed that apnea was the most common association when women were unable to contract the MAP properly.
Descrição
Citação
SILVA, Kathleen Rodrigues da. Relação entre a consciência da contração do assoalho pélvico e o equilíbrio corporal em mulheres jovens. 2023. 52 f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Fisioterapia) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2023.
Coleções