Avaliação da vasculatura retiniana e coriocapilar por meio de angiografia por tomografia de coerência óptica

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2021
Autores
Conti, Felipe Ferreira [UNIFESP]
Orientadores
Rodrigues, Eduardo Buchele [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Objective: 1. To evaluate Optical Coherence Tomography Angiography (OCTA) repeatability in healthy patients, patients with diabetic retinopathy, vascular occlusions, macular degeneration and epiretinal membrane. 2. To evaluate OCTA's ability to identify choriocapillaris and retinal capillary changes in diabetic patients compared to patients without retinopathy. 3. To evaluate OCTA's ability to identify changes in vascular parameters in patients with diabetic macular edema (DME) undergoing treatment with anti-vascular endothelial growth factor (anti-VEGF). Methods: the study was divided into 3 phases: 1. Evaluation of repeatability. Forty patients were divided into seven categories: healthy patients without retinopathy (control), retinal vascular occlusion, diabetic patients without retinopathy, diabetic patients with retinopathy, non-exudative age-related macular degeneration (AMD), exudative AMD and epiretinal membrane. Capillary perfusion density (CPD) and thickness measurements were taken 3 times using OCTA, with a 5-minute interval between them, assessed for repeatability by determining statistically significant differences and coefficient of variability (COV) between the measurements. 2. Evaluation of changes in choriocapillaris and retinal CPD in the eyes of diabetic patients compared with non-diabetic patients. Thirty-seven nondiabetic patients (controls), 31 diabetic patients without diabetic retinopathy (DM without DR), 41 patients with non-proliferative diabetic retinopathy (NPDR) and 27 with proliferative diabetic retinopathy (PDR) were examined and compared with each other. 3. To assess changes in retinal and choriocapillaris CPD after EMD treatment with antiVEGF. Nineteen control patients and 19 patients with EMD were assessed at baseline, 6 months and 12 months after anti-VEGF treatment for CPD assessment. Results: When assessing OCTA repeatability, no significant differences were found (p> 0.05) in any of the measurements within the same visit. The COV ranged from 0.26% to 52.76%, depending on the measurement configuration and the disease. Eyes with NPDR and PDR showed a statistically significant decrease in choriocapillaris CPD (p = 0.005 and p <0.001) compared with control, while DM without DR showed no statistically significant difference. Compared with controls, only eyes with PDR showed a statistically significant decrease (p <0.01) in retinal CPD, as well as an increase in foveal avascular zone (FAZ) (p = 0.001). Although OCTA is able to identify changes in the retinal and choriocapillaris CPD of diabetic patients compared to the control, after 12 months of anti-VEGF treatment, no statistically significant changes were observed in retinal CPD, choriocapillaris CPD (p = 0.5) and FAZ (p = 0.1). Conclusions: Our analysis demonstrated: 1. OCTA is a reliable tool in terms of repeatability in the evaluation of some retinal diseases, such as vascular occlusions, macular degenerations and diabetic retinopathy. 2. OCTA is able to detect changes in retinal CPD, choriocapillaris CPD and FAZ in DR. 3. OCTA was unable to observe changes in retinal and choriocapillaris CPD after intravitreal treatment with anti-VEGF in EMD patients.
Objetivos: 1. Avaliar a Angiografia por Tomografia de Coerência Óptica (OCTA) em relação a sua repetitividade em pacientes-controle, pacientes diabéticos com retinopatia diabética, pacientes diabéticos sem retinopatia diabética, oclusões vasculares, degeneração macular e membrana epirretiniana. 2. Avaliar a capacidade da OCTA de identificar as alterações capilares retinianas e coriocapilares nos pacientes diabéticos em comparação a pacientes sem retinopatia. 3. Avaliar a capacidade da OCTA em identificar mudanças nos parâmetros vasculares em pacientes com edema macular diabético (EMD) em tratamento com anti-fator de crescimento endotelial vascular (anti-VEGF). Métodos: O estudo foi dividido em três fases: 1. Avaliação da repetitividade. Quarenta pacientes foram divididos em sete categorias: pacientes saudáveis sem retinopatia (controle), oclusões vasculares retinianas, diabetes sem retinopatia, diabetes com retinopatia, degeneração macular relacionada à idade não exsudativa (DMRI), DMRI exsudativa e membrana epirretiniana. A densidade de perfusão capilar (DPC) e a espessura foram medidas três vezes, usando OCTA, com intervalo de 5 minutos entre si, avaliadas quanto à repetitividade por determinação de diferenças estatisticamente significantes e coeficiente de variabilidade (COV) entre as medidas. 2. Avaliação das alterações de DPC coriocapilar e retiniana em olhos de pacientes diabéticos comparados com pacientes não diabéticos. Trinta e sete pacientes não diabéticos (controles), 31 pacientes diabéticos sem retinopatia diabética (DM sem RD), 41 pacientes com retinopatia diabética não proliferativa (RDNP) e 27 com retinopatia diabética proliferativa (RDP) foram examinados e comparados entre si. 3. Avaliação das alterações na DPC retiniana e coriocapilar após o tratamento do EMD com anti-VEGF. Dezenove pacientes controle(s) e 19 pacientes com EMD foram avaliados antes de iniciarem o tratamento com anti-VEGF, 6 meses e 12 meses após o início do tratamento com anti-VEGF para a avaliação da DPC. Resultados: Na avaliação da repetitividade da OCTA, não encontramos diferenças significativas (p>0,05) em qualquer uma das medições dentro da mesma visita. O COV variou entre 0,26% e 52,76%, dependendo da configuração da medida e da doença. Olhos com RDNP e RDP mostraram diminuição estatisticamente significativa da DPC coriocapilar (p=0.005 e p<0.001) comparados com controle, enquanto os DM sem RD não mostraram diferença estatisticamente significativa. Comparado aos controles, apenas olhos com RDP mostraram diminuição estatisticamente significativa (p<0,01) da DPC retiniana, bem como aumento da zona avascular foveal (ZAF) (p=0.001). Apesar de a OCTA ser capaz de identificar alterações na DPC retiniana e coriocapilar de pacientes diabéticos em comparação ao controle, após 12 meses de tratamento anti-VEGF, não foram observadas alterações evolutivas estatisticamente significativas na DPC retina, coriocapilar (p=0.5) e na ZAF (p=0.1). Conclusões: Nossa análise demonstrou: 1. O OCTA é uma ferramenta confiável na avaliação de determinadas doenças da retina, como oclusões vasculares, degenerações maculares e retinopatia diabética em relação à repetitividade. 2. O OCTA é capaz de detectar as alterações da DPC retiniana, coriocapilar e da ZAF na retinopatia diabética. 3. O OCTA não foi capaz de observar alterações da DPC retiniana e coriocapilar após o tratamento intravítreo com anti-VEGF em pacientes com EMD.
Descrição
Citação