Brazilian version of the Overall Assessment of the Speaker's Experience of Stuttering - Adults protocol (OASES-A)

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2012-01-01
Autores
Bragatto, Eliane Lopes [UNIFESP]
Osborn, Ellen [UNIFESP]
Yaruss, J. Scott
Quesal, Robert
Schiefer, Ana Maria [UNIFESP]
Chiari, Brasilia Maria [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
PURPOSE: To verify the applicability of the protocol Overall Assessment of the Speaker's Experience of Stuttering - Adults (OASES-A), translated into Brazilian Portuguese, in a sample of adults who stutter. METHODS: The Brazilian Portuguese version of the OASES-A protocol was individually applied to 18 people who stutter. The classification of stuttering severity was based on the Stuttering Severity Instrument for Children and Adults (SSI-3) protocol. Translation and back-translation processes were carried out by specialists, considering semantic, conceptual, cultural, and idiomatic equivalences. RESULTS: There was no correlation between the severity degrees of stuttering assessed by the SSI-3 protocol and the self-assessment performed using the OASES-A. Subjects reported impairments in perceived fluency; speech ability; level of knowledge about stuttering and treatment options; use of confrontational techniques; quality of life. They also mentioned having difficulty coping with emotional states such as anxiety and embarrassment, and with communication in daily situations. CONCLUSION: The OASES-A protocol is useful in the assessment and treatment of stutterers, as it provides specialized speech-language pathologists with sutterers' self-perception regarding their communication difficulties and the impact of stuttering on their quality of life.
OBJETIVO: Verificar a aplicabilidade do instrumento Overall Assessment of the Speaker's Experience of Stuttering - Adults (OASES-A), traduzido para o Português Brasileiro, em uma amostra de pessoas que gaguejam. MÉTODOS: Foi realizada a aplicação individual do instrumento OASES-A, traduzido para o Português Brasileiro, a 18 pessoas que gaguejam. A classificação da severidade da gagueira foi feita baseada no protocolo Stuttering Severity Instrument for Children and Adults (SSI-3). Os processos de tradução e tradução reversa foram realizados por especialistas, considerando-se as equivalências semântica, conceitual, cultural e idiomática. RESULTADOS: Não houve correlação entre os níveis de severidade da gagueira avaliados por meio do protocolo SSI-3 e os da auto-avaliação mensurados pelo OASES-A. Houve prejuízo relatado quanto à autopercepção da fluência; à habilidade de fala; ao nível de conhecimento da gagueira e opções de tratamento; ao uso de técnicas de enfrentamento; à qualidade de vida. Também foi referida dificuldade em relação aos estados emocionais, como ansiedade e constrangimento, e na comunicação em situações da vida diária. CONCLUSÃO: A aplicação do OASES-A mostrou-se útil para avaliar e tratar pessoas que gaguejam, pois fornece subsídios ao profissional fonoaudiólogo especializado no que se refere à autopercepção destas pessoas sobre as dificuldades na comunicação e o impacto da gagueira sobre a qualidade de vida.
Descrição
Citação
Jornal da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia. Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, v. 24, n. 2, p. 145-151, 2012.
Coleções