A Posição do Educador perante a Criança Autista

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2010-12-06
Autores
Oliveira, Andréia Almeida [UNIFESP]
Orientadores
Petri, Renata [UNIFESP]
Tipo
Trabalho de conclusão de curso
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
This paper development had as starting point a question raised from the educational searcher experience: what must be the educator position before the autistic child? As reference, we based on the Psychoanalysis theory. We started by introducing the individual constitution, the importance of the two primordial operations, alienation and being apart, so the psyche constitution can happen. Later on, we dealt with the autistic reading in two different points of view: the Psychoanalysis reading and the psychiatrist one, once this is the common speech about the autism. Besides that, we will discuss about the (psycho) Pedagogical speech proposed by Leandro de Lajonquière, who defends the education as the natural adequacy between the education interference and the development of child maturation, which doesn’t think teacher as the responsible for the educational deed. On the other hand, Education for Psychoanalysis has the individual as object in a speech, a person who wishes and when in lack of something, creating the necessary conditions for the teacher to be responsible responsible for the educational deed. Finally, we will notice that the educator has the hard job of noticing the autistic child needs, more than the others, an adult who is responsible for the educational deed and then something can occur from this individual.
O desenvolvimento deste trabalho teve como ponto de partida uma questão levantada a partir da experiência da pesquisadora na área educacional: Qual é a posição que o educador deve ter perante a criança autista? A teoria que serviu como referência para esta pesquisa foi a psicanálise. Iniciamos com a apresentação da constituição do sujeito, a importância das duas operações primordiais, alienação e separação, para que se efetive a constituição do psiquismo. Em seguida, trouxemos a leitura do autismo em duas visões distintas, de um lado a leitura da psicanálise, e a do outro a leitura da psiquiatria por ser um discurso prevalente. Além disso, discutiremos o discurso (psico) pedagógico hegemônico proposto por Leandro de Lajonquière que defende a pedagogia como sendo a adequação natural entre a intervenção educativa e o desenvolvimento maturacional da criança, levando o professor à não responsabilização do ato educativo, em contra posição à Educação à luz da psicanálise, a qual toma o sujeito como desejante e em falta, criando condições para que o educador venha a ser responsável pelo ato educativo. Percorreremos este caminho para revelar que o educador tem a difícil tarefa de perceber que uma criança autista precisa, mais do que as outras, de um adulto disposto a se responsabilizar pelo ato educativo, para que algo possa a advir deste suposto sujeito de desejo.
Descrição
Citação
OLIVEIRA, Andréia Almeida. A Posição do Educador perante a Criança Autista. Trabalho de conclusão de curso (Licenciatura em Pedagogia) - Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Guarulhos, 2010.
Coleções