Imigração chinesa, fronteiras simbólicas e educação: os estudantes chineses em um colégio católico em São Paulo

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2013
Autores
Santos, Priscila Cristina dos [UNIFESP]
Orientadores
Albuquerque, José Lindomar Coelho [UNIFESP]
Tipo
Trabalho de conclusão de curso
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Intend to analyze the phenomenon of recent Chinese immigration to São Paulo, especially during the Lula government (2003-2010), from the insertion of young Chinese students in a traditional college and a Catholic in the city of São Paulo. During this period, intensified political and economic relations between China and Brazil, as well as the increasing migration of Chinese to our country. The Chinese have played characters commonly found in large Brazilian urban centers, becoming part of the scenery "multiethnic" the city of São Paulo in particular. By focusing the analysis on one of the privileged spaces of sociability and socialization of new generations in our society, such as school, it is possible to understand how the interaction takes place between Chinese and Brazilian students immersed in a specific environment: the one traditional religious school in the city of São Paulo. Thus, it is possible that understand the meanings of cultural relations between Brazilian and Chinese, especially the concepts of education and how they form the linguistic and religious differences in this area of interethnic relations. Through qualitative methods and strategies of research techniques such as field observation and semi-structured interviews with students and other school personnel will observe the discourse employed by the college for investment and maintenance of more than fifty percent of Chinese students, the possible relations of religious power, the figure of the priest and Chinese competitiveness and forms of cooperation among students.
Pretende-se analisar o fenômeno da recente imigração chinesa para São Paulo, especialmente no período do governo Lula (2003-2010), a partir da inserção de jovens estudantes chineses em um colégio tradicional e católico na cidade de São Paulo. Nesse período, intensificaram-se as relações político-econômicas entre a China e o Brasil, bem como o aumento dos fluxos migratórios de chineses para o nosso país. Os chineses têm representado personagens comumente encontrados em grandes centros urbanos brasileiros, tornando-se parte do cenário "multiétnico" da cidade de São Paulo em especial. Ao focalizar a análise em um dos espaços privilegiados de socialização e sociabilidade das novas gerações em nossa sociedade, como é o caso da escola, é possível apreender de que forma se dá a interação entre alunos chineses e brasileiros imersos em um ambiente específico: o de um colégio religioso tradicional na cidade de São Paulo. Desta forma, é possível que se compreenda os significados das relações culturais entre brasileiros e chineses, especialmente as concepções de educação e como se formam as diferenças linguísticas e religiosas nesse espaço de relações interétnicas. Por meio da metodologia qualitativa e estratégias de técnicas de pesquisa como observação de campo e entrevistas semi-estruturadas com estudantes e outros funcionários da escola, será observado o discurso adotado pelo colégio para investimento e manutenção dos mais de cinquenta por cento dos alunos chineses, as possíveis relações de poder religioso, a figura do padre chinês e a competitividade e formas de cooperação entre os alunos.
Descrição
Citação
SANTOS, Priscila Cristina dos. Imigração chinesa, fronteiras simbólicas e educação: os estudantes chineses em um colégio católico em São Paulo. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado e Licenciatura em Ciências Sociais) – Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Guarulhos, 2013.