Horta comunitária no bairro de Nova Heliópolis, região de alta vulnerabilidade social: estudo de caso engajado

Imagem de Miniatura
Data
2023-02-28
Autores
Amaral, Aline Oliveira Zoia do [UNIFESP]
Orientadores
Tomita, Luciana Yuki [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
A pandemia do coronavírus, COVID-19, comprometeu o acesso aos alimentos da população, principalmente nos domicílios chefiados por mulheres, de cor de pele preta ou parda e menor nível de escolaridade. Diante disso, uma horta comunitária em região de vulnerabilidade social é proposta como uma estratégia para garantir uma alimentação saudável. Objetivo: Analisar a implantação da horta comunitária e o seu significado para os moradores de um condomínio de Heliópolis, um bairro de alta vulnerabilidade social localizado na região sudeste da cidade de São Paulo. Método: Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, um estudo de caso engajado e reflexivo, que por meio da observação participante, diário de campo e entrevistas semi-estruturadas reuniu material para análise buscando a vigilância epistemológica. Resultados: Por meio de uma vaquinha virtual,uma horta de 100m² foi implantada, possibilitando que tanto os participantes quanto outros moradores do condomínio se beneficiassem das colheitas. Foram ouvidos cinco moradores, a maioria idosa e mulher. Da análise, surgiram como categorias temáticas principais: história de vida, a relação com a terra, a relação com o alimento e a socialização. A horta contribuiu com o orçamento doméstico, ampliou a variedade das hortaliças consumidas como as plantas alimentícias não convencionais, melhorou a alimentação e tornou-se um espaço de resgate das memórias afetivas vivenciadas durante a infância. Além disso, a horta era um momento de socialização e ocupação para as idosas, conferindo um senso de utilidade para elas. Observou-se também a aproximação das crianças do condomínio com a prática de cultivo de alimentos. Conclusão: A horta comunitária contribuiu para o acesso aos alimentos saudáveis, resgate das memórias afetivas da infância e socialização, contribuindo para a melhoria na qualidade de vida dos moradores. Diante disso, a horta comunitária pode ser uma estratégia importante para promoção da saúde.
The coronavirus, COVID-19, pandemic compromised the food access among low-income population, especially among households headed by women, with black or brown skin color and lower educational level. Therefore, a community garden can contribute to a healthy food access. Objective: To analyze the community garden beggining and significance for dwellers living in Heliópolis, a socially vulnerable community in São Paulo city. Method: Qualitative research, engaged and reflective study case. Participant observation, diary and semi-structured interviews was used for analysis seeking the epistemological vigilance. Results: Crowdfunding was conducted to begin a 100m² vegetable garden. Five residents were interviewed, mostly elderly and women. The main thematic categories were: life history, relationship with the earth, relationship with food and socialization. The garden contributed to the household budget, increased varieties of vegetables including weeds. It also contributed to the access of memories during childhood with family. In addition, the garden promoted socialization and occupation for aged people. Children contributed to planting food. Conclusion: The community garden contributed to access to a healthy food, childhood affective memories and socialization, contributing to the improvement in their quality of life. Therefore, the community garden can be an important strategy for health promotion.
Descrição
Citação