Novos marcadores imunofenotípicos e sua utilidade no diagnóstico e classificação de neoplasias de células B maduras CD5-positivo, linfomas vilosos e neoplasias plasmocitárias por citometria de fluxo

Imagem de Miniatura
Data
2023-04-14
Autores
Souza, Raquel Gomes de [UNIFESP]
Orientadores
Sandes, Alex Freire [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introduction: Flow cytometry is widely used in the evaluation of lymphoproliferative neoplasms, allowing for diagnosis, classification, and monitoring of treatment effectiveness. However, some mature B-cell neoplasms exhibit important immunophenotypic overlap, making correct classification difficult. The 9th International Workshop on Human Leukocyte Differentiation Antigens (HLDA9) described eighteen new molecules expressed in B lymphocytes. Knowledge of the expression pattern of these new proteins can provide important information for diagnostic evaluation, detection of aberrant immunophenotypes for minimal residual disease study, and development of new therapies with targeted monoclonal antibodies. However, data on the expression of these new markers in mature B-cell neoplasms are still scarce in the literature. Objectives: To characterize the expression of the new B-cell markers described in HLDA9 during B lymphocyte differentiation in normal samples and evaluate their role in the diagnosis and classification of mature B-cell neoplasms, including the evaluation of CD5-positive mature B-cell neoplasms, hairy cell leukemia, and plasma cell and lymphoplasmacytic neoplasms. Materials and methods: The expression of CD210a, CD215, CD270, CD307a, CD307b, CD307c, CD307d, CD351, CD352, CD353, CD354, CD355, CD357, CD358, CD360, CD361, CD362, and CD363 antigens was evaluated in B lymphocyte subpopulations in peripheral blood and bone marrow of healthy individuals and patients with mature B-cell neoplasms by eight-color multiparameter flow cytometry. Results: In normal samples, CD307b, CD361 and CD352 antigens showed moderate to high expression in B lymphocytes, while CD361 and CD352 antigens were strongly expressed in plasma cells. The other markers showed low expression intensity. Univariate analysis identified differential expression of CD307a, CD353, CD361, CD352, CD360, and CD354 antigens between normal mature B-cell subpopulations. Patients with CLL showed lower expression intensity of CD270, CD352, and CD351 antigens, while exhibiting hyperexpression of CD307a, CD307b, and CD307c antigens. In patients with LCM, CD270, CD352, CD307a, and CD307b antigens showed weaker expression, while CD353 antigen exhibited a slight increase in expression. In HCL, CD210a, CD352, and CD361 antigens showed hyperexpression in neoplastic B cells. Regarding plasma cells, the CD352 antigen showed significant differences between the studied groups. The analysis also revealed the usefulness of CD361 antigen in identifying anomalous plasma cells after treatment with daratumumab. Conclusion: Our results show that the new HLDA9 markers can be useful in identifying neoplastic B cells and characterizing anomalous immunophenotypes. The application of these markers can help distinguish between different subtypes of mature B-cell neoplasms, contributing to improving the diagnosis and treatment of these patients.
Introdução: a citometria de fluxo é amplamente utilizada na avaliação das neoplasias linfoproliferativas, permitindo o diagnóstico, classificação e monitoramento da efetividade do tratamento. Entretanto, algumas neoplasias de células B maduras apresentam importante sobreposição imunofenotípica, o que dificulta a correta classificação. O 9º Workshop Internacional em Antígenos de Diferenciação Leucocitária Humana (HLDA9) descreveu dezoito novas moléculas expressas em linfócitos B. O conhecimento do padrão de expressão dessas novas proteínas pode trazer informações importantes para a avaliação diagnóstica, na detecção de imunofenótipos aberrantes para o estudo de doença residual mínima e para o desenvolvimento de novas terapias com anticorpos monoclonais alvo dirigido. No entanto, dados sobre a expressão desses novos marcadores nas neoplasias de células B maduras ainda são escassos na literatura. Objetivos: caracterizar a expressão dos novos marcadores de células B descritos no HLDA9 durante a diferenciação linfocitária B em amostras normais e avaliar seu papel no diagnóstico e classificação de neoplasias de células B maduras, incluindo a avaliação de neoplasias de células B maduras CD5-positivo, linfomas vilosos e neoplasias plasmocitárias e linfoplasmocíticas. Materiais e métodos: a expressão dos antígenos CD210a, CD215, CD270, CD307a, CD307b, CD307c, CD307d, CD351, CD352, CD353, CD354, CD355, CD357, CD358, CD360, CD361, CD362 e CD363 foi avaliada em subpopulações de linfócitos B em sangue periférico e medula óssea de indivíduos saudáveis e pacientes com neoplasias de células B maduras através de citometria de fluxo multiparamétrica de oito cores. Resultados: Em amostras normais, os antígenos CD307b, CD361 e CD352 apresentaram expressão moderada a elevada em linfócitos B, enquanto os antígenos CD361 e CD352 eram fortemente expressos em plasmócitos. Os demais marcadores mostraram baixa intensidade de expressão. A análise univariada identificou expressão diferencial dos antígenos CD307a, CD353, CD361, CD352, CD360 e CD354 entre subpopulações de células B maduras normais. Pacientes com LLC apresentaram menor intensidade de expressão dos antígenos CD270, CD352 e CD351, enquanto exibiram hiperexpressão dos antígenos CD307a, CD307b e CD307c. Em pacientes com LCM, os antígenos CD270, CD352, CD307a e CD307b apresentaram expressão mais fraca, enquanto o antígeno CD353 exibiu um discreto aumento de expressão. Na HCL, os antígenos CD210a, CD352 e CD361 mostraram hiperexpressão nas células B neoplásicas. Em relação aos plasmócitos, o antígeno CD352 apresentou diferenças significativas entre os grupos estudados. A análise também revelou a utilidade do antígeno CD361 na identificação de plasmócitos anômalos após tratamento com daratumumabe. Conclusão: Nossos resultados mostram que os novos marcadores do HLDA9 podem ser úteis na identificação de células B neoplásicas e na caracterização de imunofenótipos anômalos. A aplicação desses marcadores pode ajudar na distinção entre diferentes subtipos de neoplasias de células B maduras, contribuindo para aprimorar o diagnóstico e o tratamento desses pacientes.
Descrição
Citação
SOUZA, Raquel Gomes de. Novos marcadores imunofenotipicos e sua utilidade no diagnóstico e classificação de neoplasias de células B maduras CD5-positivo, linfomas vilosos e neoplasias plasmocitarias por citometria de fluxo. 2023. 123 f. Dissertação (Mestrado em Hematologia) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2023.