Papel prognóstico dos marcadores inflamatórios em portadores de carcinoma hepatocelular: análise sérica e hepática

Imagem de Miniatura
Data
2022-08-23
Autores
Romão, Sandra Regina de Almeida Carvalho [UNIFESP]
Orientadores
Silva, Ivonete Sandra de Souza e [UNIFESP}
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introdução: O papel da resposta inflamatória na hepatocarcinogênese e sobretudo no prognóstico do tumor tem sido amplamente investigado. Objetivo: avaliar o papel dos marcadores inflamatórios no prognóstico de pacientes com carcinoma hepatocelular (CHC). Material e métodos: Pacientes com CHC foram estudados e divididos em 2 grupos: grupo 1, análise dos fatores de sobrevida naqueles que não foram submetidos ao transplante hepático, ressecção hepática e/ou ablação por radiofrequência; grupo 2, análise de correlação entre marcadores inflamatórios séricos (MIS) e hepáticos (MIH) independente do tratamento realizado. MIS foram avaliados através da relação neutrófilo-linfócito (RNL) e relação plaqueta-linfócito (RPL), e MIH pela expressão imuno-histoquímica dos linfócitos T CD4+ e CD8+. Análise estatística incluiu, análise multivariada por regressão de Cox, teste de Kaplan-Meier e análise de correlação de Spearman. Resultados: Os preditores de menor sobrevida foram ascite (HR 1,480; IC95% 1,072 - 2,045; P < 0,017); MELD > 15 (HR 2,162; IC95% 1,464 - 3,194; P < 0,001); invasão vascular tumoral (HR 2,126; IC95% 1,481 - 3,052; P < 0,001); alfafetoproteína (AFP) > 20 UI/mL (HR 1,928; IC95% 1,403 - 2,650; P < 0,001) e RNL ≥ 2,51 (HR 2,223; IC95% 1,620 - 3,052; P < 0,001). Não houve correlação entre MIS e MIH. Conclusões: Baseado nos fatores prognósticos desfavoráveis, doença hepática avançada, por si só, reduz a sobrevida dos pacientes. Além disso, fatores associados ao tumor como AFP elevada, possível indicador de comportamento biológico desfavorável, e a RNL, podendo traduzir componente inflamatório tumoral, se associaram negativamente a sobrevida.
Introduction: The role of the inflammatory response in hepatocarcinogenesis and especially in tumour prognosis has been widely investigated. Objective: To evaluate the role of inflammatory markers in the prognosis of patients with hepatocellular carcinoma (HCC). Materials and methods: Patients with HCC were studied and divided into 2 groups: Group 1, in which analysis of survival factors was performed in those who did not undergo liver transplantation, liver resection and/or radiofrequency ablation, and Group 2, in which correlation analysis between serum (SIM) and liver (LIM) inflammatory markers was performed regardless of the treatment. SIM was assessed by the neutrophil-to-lymphocyte ratio (NLR) and platelet-to-lymphocyte ratio (PLR), and LIM was assessed by immunohistochemical expression of CD4+ and CD8+ T lymphocytes. Statistical analysis included multivariate analysis by Cox regression, the Kaplan–Meier test and Spearman correlation analysis. Results: The predictors of lower survival were ascites (HR 1.480; 95% CI 1.072-2.045; P < 0.017); MELD > 15 (HR 2.162; 95% CI 1.464-3.194; P < 0.001); tumour vascular invasion (HR 2.126; 95% CI 1.481-3.052; P < 0.001); alpha-fetoprotein (AFP) > 20 IU/mL (HR 1.928; 95% CI 1.403-2.650; P < 0.001) and NLR ≥ 2.51 (HR 2.223; 95% CI 1.620-3.052; P <0.001). There was no correlation between SIM and LIM. Conclusions: Based on unfavourable prognostic factors, advanced liver disease alone reduces patient survival. In addition, factors associated with the tumour, such as elevated AFP, a possible indicator of unfavourable biological behaviour, and the NLR, which may represent a tumour inflammatory component, were negatively associated with survival.
Descrição
Citação
ROMÃO, Sandra Regina de Almeida Carvalho. Papel prognóstico dos marcadores inflamatórios em portadores de carcinoma hepatocelular: análise sérica e hepática. 2022. 60f. Tese (Doutorado em Gastrenterologia) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federa de São Paulo (UNIFESP). São Paulo, 2022.