Escore poligênico de risco e sua relação com múltiplos transtornos mentais na população brasileira

Imagem de Miniatura
Data
2022
Autores
Ito, Lucas Toshio [UNIFESP]
Orientadores
Santoro, Marcos Leite [UNIFESP]
Tipo
Trabalho de conclusão de curso de graduação
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Os transtornos mentais (TM) apresentam alto grau de correlação e sobreposição genética entre si, explicando parcialmente a alta frequência de múltiplos diagnósticos psiquiátricos em um mesmo indivíduo ao longo da vida. Os estudos de associação genômica em larga escala (GWAS) permitiram a identificação de variantes relacionadas com diversos TMs e a partir deles foi possível desenvolver um escore poligênico de risco (PRS), que é um modelo capaz de predizer o risco genético de um indivíduo em uma amostra independente. Dessa forma, temos por objetivo verificar a relação entre PRS de cinco TMs e indivíduos com múltiplos TMs ou com histórico familiar (HF) de TMs. Nossa hipótese é que a presença de HF ou múltiplos TMs no mesmo indivíduo está relacionado a um maior risco genético, medido pelo PRS. Neste projeto, utilizamos os dados de genotipagem de 1814 indivíduos da coorte brasileira de alto risco para transtornos mentais (Brazilian High Risk Cohort Study - BHRCS). Dividimos essa amostra em três grupos: 1) ausência de HF e TM; 2) presença de apenas um TM e ausência de HF; 3) presença de mais de um TM ou presença de TM com HF. Como amostra base para gerar os PRSs utilizamos os resultados dos GWASs de esquizofrenia (SCZ), transtorno depressivo maior (TDM), transtorno afetivo bipolar (TAB), transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH) e transtorno de ansiedade (ANX). O PRS foi calculado utilizando a ferramenta PRSice v2. Diferente de outras coortes na literatura que focaram em doenças específicas, este estudo longitudinal pode ajudar a entender as interações de fatores genéticos durante o desenvolvimento do indivíduo e como esses fatores atuam no desenvolvimento de múltiplos diagnósticos psiquiátricos. O estudo permitiu observar as relações entre o PRS e o desenvolvimento de diversos TMs em uma amostra brasileira. O PRS de TDAH e TDM demonstraram uma boa separação entre os grupos controle e caso. Os resultados de TDAH, embora não estatisticamente significantes, corroboram com nossa hipótese mostrando uma tendência de maior PRS para o grupo com a presença de mais de um TM ou TM com HF. Porém para o TDM foi observado um padrão inverso do esperado.
Psychiatric disorders (PD) show a high degree of correlation and genetic overlap with each other, partially explaining the high frequency of multiple psychiatric diagnoses in the same individual throughout life. Genome-wide association studies (GWAS) allowed the identification of variants related to several PDs and from them it was possible to develop the polygenic risk score (PRS), which is a model capable of predicting the genetic risk of an individual in an independent sample. Thus, we aimed to verify the relationship between PRS of five PDs and individuals with multiple PDs or with family history (FH) of PDs. Our hypothesis is that the presence of FH or multiple PDs in the same individual is related to a higher genetic risk, measured by the PRS. In this project, we used genotyping data from 1814 individuals from the Brazilian High Risk Cohort Study for Psychiatric Disorders (BHRCS). We divided this sample into three groups: 1) absence of FH and PD; 2) presence of only one PD and absence of HF; 3) presence of more than one PD or presence of PD with FH. The base sample used to generate the PRSs were the results of the GWASs of schizophrenia, major depressive disorder, bipolar affective disorder, attention deficit/hyperactivity disorder (ADHD) and anxiety disorder. The PRS was calculated using the PRSice v2 tool. Unlike other cohorts in the literature that focused on specific diseases, this longitudinal study may help to understand the interactions of genetic factors during an individual's development and how these factors play into the development of multiple psychiatric diagnoses. The study allowed observing the relationships between the PRS and the development of several PDs in a Brazilian sample. The PRS of ADHD and MDD demonstrated a good separation between the control and case groups. The ADHD results, although not statistically significant, corroborate with our hypothesis showing a tendency towards greater PRS for the group with the presence of more than one PD or PD with FH. However, for MDD, an inverse pattern of what was expected was observed
Descrição
Citação
Coleções