Detecção e quantificação de adulterantes na gasolina combustível

Imagem de Miniatura
Data
2022-12-16
Autores
Bernardes, Ana Luiza [UNIFESP]
Orientadores
Barbosa, Lúcio Leonel [UNIFESP]
Tipo
Trabalho de conclusão de curso de graduação
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
O petróleo é um combustível fóssil composto por uma mistura principalmente de hidrocarbonetos e que é uma das principais fontes de energia utilizada no mundo, uma vez que através do seu processo de refinamento ele dá origem a vários derivados que são importantes e úteis em diversas áreas do nosso cotidiano. Um dos seus principais é a gasolina, combustível de grande crescimento devido ao desenvolvimento da indústria automobilística. Fraudes e adulteração são um problema constante na vida do consumidor brasileiro, sendo lesado com combustível de má qualidade, adulterados com componentes que podem prejudicar os motores de seus veículos, como a adulteração com água, fazendo o combustível não sofrer alteração visual, porém alterando o desempenho dos motores. A ANP estabeleceu uma série de parâmetros de qualidade que devem ser obedecidos de forma obrigatória em todo território nacional. O presente estudo tem como tema a detecção e quantificação de adulterantes na gasolina e visa analisar amostras de gasolina comum (tipo C), coletadas em postos de combustíveis de Santos-SP. Por meio do teste de proveta, e pelo cálculo de sua massa específica, foi possível verificar se a gasolina está em conformidade com o estabelecido em lei e como os adulterantes (álcool etílico anidro, aguarrás e álcool etílico hidratado) influenciam nos parâmetros de qualidade segundo as especificações da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Os resultados permitiram concluir que as amostras de gasolina coletadas no posto de gasolina da cidade de Santos atenderam à Portaria nº 75 do MAPA (Percentual Fixo Obrigatório de Adição de Etanol Anidro Combustível à Gasolina) durante o período de coleta. As medidas das massas específicas (0,720 g/cm³) e (0,715 g/cm³) indicaram que as amostras atenderam às especificações do órgão regulador com limites de etanol de 18% e 24%, respectivamente, portanto o combustível neste experimento estaria dentro das especificações da ANP. Foi possível analisar parâmetros de qualidade estabelecidos para a gasolina comum tipo C, além de adulterar amostras da mesma, a fim de verificar tendências em seu comportamento através da adulteração da gasolina com o álcool etílico anidro, álcool etílico hidratado e aguarrás.
Descrição
Citação
BERNARDES, Ana Luiza. Detecção e quantificação de adulterantes na gasolina combustível. 2022. 31 f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia do Mar) - Instituto do Mar, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2022.