Metabolic and hematologic changes occurring after rapid intravenous infusion of gammaglobulin in patients with antibody deficiency syndromes

Nenhuma Miniatura disponível
Data
1998-09-01
Autores
Costa-Carvalho, Beatriz Tavares [UNIFESP]
Lin, Marisa [UNIFESP]
Solé, Dirceu [UNIFESP]
Carneiro-Sampaio, Magda Maria Sales
Sorensen, Ricardo Uhr
Naspitz, Charles Kirov [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
OBJECTIVE: We wished to investigate whether increased IgG infusion rates are associated with metabolic and hematologic changes in pediatric patients with antibody deficiency syndromes.METHODS: We studied 7 patients (2-16 years old) with primary antibody deficiencies who had been on regular IgG replacement treatment, 350-600 mg/kg/dose every 3 weeks with a 3% IVIG preparation, for periods ranging from 6 months to 4 years. Initially, the IgG concentration of IVIG preparations was increased to 6, 9 and 12% in consecutive infusions at a constant IgG infusion rate of 4 mg/kg/min. Subsequently, the infusion rates were increased to 8, 12, and 16 mg/kg/min using the IVIG 12% preparation.RESULTS: Clinically, all patients tolerated increases in IVIG concentrations while the infusion rate was 4 mg/kg/min. However, 3 patients presented side effects when the infusion rate was increased to 8 and 16 mg/kg/min.CONCLUSION: We conclude that metabolic and hematologic sides effects occur with rapid infusion of IVIG even in patients who tolerate the increased infusion rate clinically. The advantages of using high infusion rates have to be re-evaluated.
OBJETIVO: Nós pretendemos investigar se o aumento de velocidade de infusão de gamaglobulina intravenosa (IVIG), está associada com alterações metabólicas e hematológicas em pacientes com deficiência de anticorpo. CASUÍSTICA E MÉTODO: Nós estudamos sete pacientes (2-16 anos) com deficiência primária de anticorpo que já estavam em tratamento com reposição regular de IgG, na dose de 350-600 mg/kg a cada três semanas em preparados a 3%, por períodos de seis meses a quatro anos. Inicialmente a concentração dos preparados de IVIG foi aumentando para 6, 9 e 12% em infusões consecutivas numa velocidade constante 4 mg/kg/min. Subseqüentemente, na segunda fase do estudo, mantivemos a concentração a 12% e a velocidade de infusão foi aumentando para 8, 12, e 16 mg/kg/min. RESULTADOS: Clinicamente, todos os pacientes toleraram o aumento da concentração de IVIG na velocidade constante de 4 mg/kg/min. Entretanto, 3 pacientes apresentaram efeitos colaterais quando a velocidade de infusão aumentou para 8 e 16 mg/kg/min. CONCLUSÃO: Nós concluímos que alterações metabólicas e hematológicas podem ocorrer quando se administra preparados de IVIG em altas concentração e velocidade mesmo que os pacientes tolerem bem clinicamente. As vantagens de utilizar velocidades elevadas na infusão de IVIG devem ser reavaliadas.
Descrição
Citação
São Paulo Medical Journal. Associação Paulista de Medicina - APM, v. 116, n. 5, p. 1815-1820, 1998.
Coleções