Avaliação das alterações comportamentais e dimorfismo sexual em um modelo de esquizofrenia: a administração neonatal de mk-801

Imagem de Miniatura
Data
2022
Autores
Ferreira, Gabriel do Nascimento [UNIFESP]
Orientadores
Abílio, Vanessa Costhek [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introdução: A esquizofrenia está associada a insultos durante o neurodesenvolvimento. A sua etiologia está relacionada não apenas a fatores genéticos e epigenéticos, mas também a fatores ambientais. A esquizofrenia se manifesta através de uma variedade de sintomas classificados em positivos (delírios, alucinações e desorganização do pensamento), negativos (isolamento social, anedonia e déficits emocionais) e cognitivos (déficits atencionais e de memória). O seu diagnostico ocorre após o surgimento de sintomas psicóticos, tipicamente no final da adolescência ou início da idade adulta. No entanto, o primeiro episódio psicótico é precedido por uma fase prodrômica, caracterizada por sintomas negativos e cognitivos atenuados. Embora o dimorfismo sexual no desenvolvimento e progressão da esquizofrenia seja bem estabelecido, existem poucos estudos investigando a influência do sexo em modelos animais de esquizofrenia Objetivo: Investigar se a administração de MK-801 durante o neurodesenvolvimento (um modelo animal de esquizofrenia) afeta o comportamento de camundongos machos e fêmeas de forma distinta. Métodos: Neste estudo foi utilizado camundongos machos e fêmeas da linhagem C57BL/6J tratados com MK-801 nos dias pós-natal 7 a 10 (duas vezes ao dia, i.p, 0,25 mg/kg). Para controlar a variação entre ninhadas foram utilizadas 4 ninhadas (total de 24 animais) distribuindo o tratamento com MK-801 ou controle em ambos os sexos na mesma ninhada. As tarefas comportamentais de atividade locomotora, investigação social e inibição pré-pulso do sobressalto (PPI) foram realizadas em uma fase peri-púbere (dias 31 a 33) e durante a idade adulta (dias 122 a 124). Resultados: Durante a fase peri-púbere, o tratamento neonatal com MK-801 induziu déficits de PPI, além de uma maior exploração das gaiolas (social e não social) no teste de investigação social, não havendo alterações na sociabilidade. Em relação à idade adulta, o tratamento neonatal com MK-801, assim como na fase peri-púbere, induziu déficits de PPI e uma maior exploração das gaiolas (social e não social) no teste de investigação social, não havendo alterações na sociabilidade. Além disso, o tratamento com MK-801 diminuiu a atividade locomotora (independente do sexo) no teste de campo aberto. Conclusão: Os resultados do presente estudo, embora preliminares, evidenciam que o modelo foi efetivo em induzir déficits de PPI em ambas as idades. Não observamos a presença de potenciais diferenças sexuais induzidas pelo modelo.
Descrição
Citação
FERREIRA, G N. Avaliação das alterações comportamentais e dimorfismo sexual em um modelo de esquizofrenia: a administração neonatal de mk-801. São Paulo, 2022. 90 f. Dissertação (Mestrado em Farmacologia) - Escola Paulista de Medicina (EPM), Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). São Paulo, 2022.