Análise da qualidade de vida e função sexual em usuárias de implante contraceptivo – Etonogestrel

Imagem de Miniatura
Data
2021-06-07
Autores
Oliveira, Neemias Santos de [UNIFESP]
Orientadores
Guazzelli, Cristina Aparecida Falbo [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Objetivo: Avaliar o índice de função sexual, a qualidade de vida e a satisfação do método entre usuárias de Implante Contraceptivo de Etonogestrel. Método: Estudo prospectivo longitudinal, realizado com usuárias de implante contraceptivo acompanhadas por seis meses em um ambulatório de planejamento familiar, foram aplicados três questionários de avaliação, o Whoqol-Bref para avaliação da qualidade de vida, o Female Sexual Function Index para avaliação da função sexual e o Birth Control Satisfaction Assesment Tool para avaliação da satisfação com o método. Resultados: Participaram do estudo 70 mulheres que iniciaram uso do método e foram acompanhadas por um período de 6 meses. Os questionários foram aplicados antes da inserção do implante, um mês, três e seis meses após a primeira aplicação. Nas avaliações obtidas, não foi observada alteração significante da função sexual no período analisado; com relação à qualidade de vida, percebemos que houve diferença estatística nos domínios: psicológico, relações sociais e meio ambiente, sem relação com as variáveis idade, cor, escolaridade, paridade e religião, mas em regressão multivariada podemos detectar que estas diferenças estavam relacionadas à menores escores do Female Sexual Function Index, as variações do FSFI implicavam em variações do WHOQOL. Os resultados com relação à satisfação do método mostraram que apenas os escores do domínio facilidade de uso apresentou melhora, efeitos colaterais obteve regressão e impacto menstrual apresentou elevação, porém este último não demonstrou alterações negativas no padrão de sangramento das pacientes no decorrer dos seis meses. Conclusão: O Implante Contraceptivo de Etonogestrel não parece influenciar na função sexual das mulheres, sendo este bem aceito por elas e seus efeitos adversos não chegam a impactar sobre a qualidade de vida das usuárias.
Objective: To evaluate the index of sexual function, quality of life and satisfaction of the method among users of Etonogestrel Contraceptive Implants. Studt desing: Prospective longitudinal study, carried out with contraceptive implant users followed for six months in a family planning clinic, three evaluation questionnaires were applied, the Whoqol-Bref to assess quality of life, the Female Sexual Function Index for assessing sexual function and the Birth Control Satisfaction Assesment Tool for assessing satisfaction with the method. Results: 70 users who started using the method participated in the study and were followed for a period of 6 months. The questionnaires were applied before the implant insertion, one month, three and six months after the first application. In the evaluations obtained, no significant change in sexual function was observed in the analyzed period; with regard to quality of life, we noticed that there was a statistical difference in the domains: psychological, social relations and environment, unrelated to the variables age, color, education, parity and religion, but in multivariate regression we can detect that these differences were related to lower Female Sexual Function Index scores, FSFI variations implied WHOQOL variations. The results regarding the satisfaction of the method showed that only the scores in the ease of use domain improved, side effects regressed and menstrual impact increased, but the latter did not show negative changes in the patients' menstrual bleeding pattern over the six months. Conclusion: The Etonogestrel Contraceptive Implant does not seem to influence the sexual function of women, which is well accepted by patients and its adverse effects do not even have an impact on the quality of life of users.
Descrição
Citação
OLIVEIRA, N.S. Análise da qualidade de vida e função sexual em usuárias de implante contraceptivo – Etonogestrel. São Paulo, 2021. 84 f. Dissertação (Mestrado em Obstetrícia) - Escola Paulista de Medicina (EPM), Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). São Paulo, 2021.