Modelo de avaliação de maturidade digital para instituições brasileiras de saúde

Imagem de Miniatura
Data
2020-05-15
Autores
Costa, Claudio Giulliano Alves Da [UNIFESP]
Orientadores
Marin, Heimar De Fatima [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introduction: The World Health Organization (WHO) defines Digital Health (DH) as “the use of information and communications technology in support of health and health-related fields”. Monitoring the progression of DH is essential, in according to the resolution of WHO about DH. For addressing this issue, many evaluation methods were created by authors, institutions and/or companies; they are IT evaluation methods, maturity models or digital maturity indexes. Objective: Develop and evaluate a digital maturity assessment model for national healthcare organizations. Literature Review: Thirty-two digital maturity evaluation methods were reviewed; the majority are complex, expensive and heavy to use; criteria were established, and these methods were assessed; none achieved all criteria. Materials and Methods: From review and critical analysis, a new digital maturity assessment was developed, named by Digital Maturity Index for Healthcare Organizations (IMDIS – in Portuguese) and validated thru a research conducted to 107 healthcare organizations; finally, the database was analyzed statistically as a sample of digital maturity level of Brazilian healthcare organizations. Results: From IMDIS development in its dimensions (Technology Adoption and Digital Journey Readiness) and its domains (Services and Applications, Infrastructure and Architecture, Analytics, Structure and Culture, and Strategy and Governance), it was possible to identify the digital maturity reality of healthcare organizations evaluated. The analysis of the database shows an averaged percentage of 44% of digital maturity, being 0 to 25% as Traditional phase (15,89% of organizations), 26 to 50% as Evolution phase (48,6%), 51% to 75% as Sophistication phase (33,6%) and 76% to 100% as Innovation phase (1,87%). Conclusion: the IMDIS showed to be able to join digital maturity indicatives, through a clear, self-evaluated and on-line method, very useful for healthcare organizations. It achieved 11 of 15 evaluation criteria and it was able to digital evaluation of 107 organizations, presenting aspects such as distancing between technology adoption and digital journey readiness indexes. Moreover, it presented low technology adoption for patient safety and need to address the digital journey.
Introdução: A Organização Mundial de Saúde (OMS) define Saúde Digital (SD) como “o uso da tecnologia de informação e comunicação no apoio à saúde e a áreas relacionadas à saúde”. Monitorar a progressão da SD é fundamental, conforme inclusive estabelecido na resolução da OMS sobre SD. Para isso, vários métodos de avaliação foram desenvolvidos por vários autores, instituições e/ou empresas, sejam métodos de avaliação de TI, modelos de maturidade ou índices de maturidade digital. Objetivo: Desenvolver e avaliar um modelo de avaliação de maturidade digital para instituições nacionais de saúde. Revisão da Literatura: Foram revisados 32 métodos desenvolvidos para avaliar a SD e/ou a maturidade digital; a maioria são complexos, caros e/ou de difícil aplicação prática; nenhum atendeu a todos os critérios da avaliação crítica realizada. Método: a partir da revisão e da análise crítica, um novo modelo de avaliação de maturidade digital foi desenvolvido, nomeado de Índice de Maturidade Digital para Instituições de Saúde (IMDIS) e validado por meio da aplicação em 107 instituições de saúde; finalmente, a base resultante foi analisada estatisticamente para uma amostra da realidade da maturidade digital das instituições de saúde do Brasil. Resultados: A partir do desenvolvimento do IMDIS em suas dimensões “Adoção da Tecnologia” e “Preparação da Jornada Digital” e seus cinco domínios “Serviços e Aplicações”, “Infraestrutura e Arquitetura”, “Dados e Informações”, “Estrutura e Cultura” e “Estratégia e Governança”, foi possível identificar a realidade da maturidade digital das instituições avaliadas. A análise da base mostra um percentual médio 44,4% de maturidade digital, sendo 0 a 25% entendido como Fase Tradicional (15,89% das instituições), 26 a 50% como Fase Evolução (48,6%), 51% a 75% a fase de Sofisticação (33,6%) e, de 76% a 100% corresponde à fase de Inovação (1,87%). Conclusão: O IMDIS mostrou ser capaz de reunir indicativos de maturidade digital, por meio de um método claro, auto-avaliado, on-line e com grande utilidade prática para as instituições de saúde. Atende 11 dos 15 critérios de avaliação e foi capaz de avaliar a maturidade digital de 107 instituições, indicando pontos de atenção, tal como o distanciamento entre os índices de adoção da tecnologia e preparação para a jornada digital. Além disso, destacou a baixa adoção de tecnologias para a segurança do paciente e a necessidade de estruturar a jornada digital.
Descrição
Citação