Enunciação e atividade de linguagem. O substantivo comum: estudo de caso e propostas com vistas à prática de ensino

Imagem de Miniatura
Data
2020-09-09
Autores
Fujisaka, Larissa Cella Hirai [UNIFESP]
Orientadores
Lopes, Marcia Cristina Romero [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Enrolled in the field of Enunciation Linguistics, this work aims to analyze the enunciative functioning of the KEY noun in Brazilian Portuguese, and thus contribute to studies focused on the enunciative base linguistic description and the (re) thinking of teaching practices in what it concerns the class of nouns. For this, we propose to retrace, in the linguistic system, regularities of functioning specific to the language activity that, constituting the semantics of the form to be analyzed, support different values in its different uses. The search for such regularities in its developments leads to a reexamination of semantic properties that are commonly attributed to it. From this point of view, the study aims to better understand the potential referencing of the noun, more specifically, how its own semantism allows to understand, on the one hand, the different values it acquires when enunciating, on the other, the ways in which these values are established in relation to the context. This results in a more in-depth examination of the subclassification of the semantic base of concrete-abstract, commonly grounded in traces of vocabulary meaning to be subverted or not in the discursive process. The investigation has as a theoretical-methodological framework the Theory of Predicative and Enunciative Operations, with emphasis on the studies of Franckel (2002), De Vogüé, Franckel and Paillard (2011) and De Vogüé (2013), which deal with issues related to semantic identity and principles of variation in languages from the perspective of the enunciative approach in question.
Inscrito no campo da Linguística da Enunciação, este trabalho tem por objetivo analisar o funcionamento enunciativo do substantivo CHAVE no português brasileiro, e, assim, contribuir com estudos voltados à descrição linguística de base enunciativa e ao (re)pensar de práticas de ensino no que concerne a classe dos substantivos. Para isso, propomo-nos a retraçar, no sistema linguístico, regularidades de funcionamento específicas à atividade de linguagem que, constitutivas do semantismo da forma a ser analisada, sustentam valores diversos em seus diferentes usos. A busca por tais regularidades, em seus desdobramentos, conduz a reexaminar propriedades semânticas que lhe são comumente atribuídas. Deste ponto de vista, o estudo visa a melhor cernir o potencial referenciador do substantivo, mais especificamente, de que modo o seu semantismo próprio permite compreender, de um lado, os diferentes valores que adquire ao se enunciar, de outro, os modos como esses valores se estabelecem na relação com o contexto. Disso decorre um exame mais aprofundado da subclassificação de base semântica de concreto-abstrato, comumente fundamentada em traços de significado vocabular a ser ou não subvertido no processo discursivo. A investigação tem como referencial teóricometodológico a Teoria das Operações Predicativas e Enunciativas, com destaque para os estudos de Franckel (2002), De Vogüé, Franckel e Paillard (2011) e De Vogüé (2013), que tratam de questões relacionadas à identidade semântica e aos princípios de variação nas línguas sob a ótica da abordagem enunciativa em questão.
Descrição
Citação