Avaliação do equilíbrio e atividade muscular de amputados de membro inferior protetizados

Imagem de Miniatura
Data
2020-12-03
Autores
Pereira, Cinthia Herminia Carvalho Nascimento [UNIFESP]
Orientadores
Carvalho, Regiane Albertini De [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Lower limb´s amputation causes physiological and biomechanical changes, with consequences for gait and balance, and deficit in balance is the most common limitation, increasing the risk of falls among amputees. The main objective of this study is to evaluate the dynamic balance and muscular activity, in the orthostatic posture, of prosthetic lower limb amputees, during functional reach. 12 healthy subjects participated in the control group and 10 amputated subjects in the experimental group. The individuals remained standing on the baropodometer and performed maximum forward and lateral reach, with three repetitions each. The distance reached was measured using a tape measure attached to the wall and the muscular activity of the posterior trunk region by surface electromyography. The lateral reaches were defined as reaching the dominant side and the non-dominant side. In amputees, the dominant side corresponded to the contralateral side to amputation, while in controls it was the limb side of preference for support. Significant differences were found in the stabilometric variables (length, average speed, speed X, deviation X, deviation Y in forward reach; deviation X in dominant side reach; speed Y and deviation X in non-dominant side reach), distance achieved, weight-bearing in the limbs and muscle activity between the groups. Amputees had a worse balance in the three types of reach, especially in the forward reach. They had even less distance achieved, higher values of muscle activation and preference for weight-bearing on the healthy limb. The rehabilitation time positively influenced the balance during the forward reach and non-dominant reach side. Muscle activity during all reaches was greater the longer the rehabilitation time. The weight-bearing on the prosthesis contributed to a better balance during the forward reach. This study establishes a basis for understanding the possible differences between amputees and healthy individuals. Larger samples with more homogeneous clinical characteristics should be investigated, as well as the influence of posterior trunk muscle activity on dynamic balance. The development of prosthetic components capable of providing sensory feedback can bring significant benefits.
A amputação do membro inferior provoca alterações fisiológicas e biomecânicas, com consequências para a marcha e para o equilíbrio, sendo o déficit no equilíbrio a limitação mais encontrada, aumentando o risco de queda. O presente estudo teve como objetivo principal avaliar o equilíbrio dinâmico e atividade muscular, na postura ortostática, de amputados de membro inferior protetizados, durante atividade funcional de alcance. Participaram 12 sujeitos hígidos para o grupo controle e 10 sujeitos amputados. Os indivíduos permaneceram em pé sobre o baropodômetro, realizaram alcance máximo para frente e para os lados, com três repetições cada. A distância alcançada foi mensurada por meio de fita métrica fixada na parede e a atividade muscular da região posterior de tronco por eletromiografia de superfície. Os alcances laterais foram definidos como alcance para o lado dominante e para o lado não dominante. Nos amputados, o lado dominante correspondeu ao lado contralateral a amputação, enquanto nos controles foi o lado do membro de preferência para apoio. Foram encontradas diferenças significativas nas variáveis estabilométricas (comprimento, velocidade média, velocidade X, desvio X, desvio Y no alcance anterior; desvio X no alcance para o lado dominante; velocidade Y e desvio X no alcance para o lado não dominante), distância alcançada, descarga de peso nos membros e atividade muscular entre os grupos. Amputados tiveram pior equilíbrio nos três tipos de alcance, principalmente no anterior. Apresentaram ainda menor distância alcançada, maiores valores de ativação muscular e preferência por descarregar peso no membro sadio. O tempo de reabilitação influenciou de forma positiva o equilíbrio durante o alcance anterior e para o lado não dominante. A atividade muscular durante todos os alcances foi maior quanto maior o tempo de reabilitação. A descarga de peso na prótese contribuiu para melhor equilíbrio no alcance anterior. Este estudo estabelece uma base para o entendimento das possíveis diferenças entre amputados e indivíduos hígidos. Amostras maiores com características clínicas mais homogêneas devem ser investigadas, bem como a influência da atividade muscular posterior de tronco no equilíbrio dinâmico. O desenvolvimento de componentes protéticos capazes de fornecer feedback sensorial pode trazer benefícios significativos.
Descrição
Citação