Show simple item record

dc.contributor.advisorRibeiro, Eliane Beraldi [UNIFESP]
dc.contributor.authorBoldarine, Valter Tadeu [UNIFESP]
dc.date.accessioned2022-07-21T16:53:38Z
dc.date.available2022-07-21T16:53:38Z
dc.date.issued2020-02-19
dc.identifierhttps://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=9383020
dc.identifier.urihttps://repositorio.unifesp.br/xmlui/handle/11600/64577
dc.description.abstractMenopause is often accompanied by visceral obesity, as well as metabolic and behavioral alterations not completely understood. Additionnaly, high-fat intake may influence the menopause effects. We used a rat model to explore these aspects. First, we studied the effects of ovariectomy, allied or not to high-fat feeding and estradiol replacement, on hormonal, metabolic and behavioral parameters, to explore the connection of obesity and depression after menopause. Wistar rats were either ovariectomized or sham-operated and fed with either standard chow or lard-enriched diet for twelve weeks. Sub-groups of ovariectomized rats received estradiol replacement. Depressive-like behaviors were assessed by the forced swim test and locomotor activity was assessed by the elevated plus maze test. Ovariectomy alone increased body weight gain and feed efficiency and induced hyperleptinemia and glucose intolerance while it increased caloric intake and body adiposity only marginally. High-fat intake alone induced obesity and, in combination with ovariectomy, accentuated the ovariectomy-induced alterations. Estradiol replacement attenuated the hormonal alterations only in chow-fed rats. Ovariectomy combined with high-fat intake induced depressive-like behaviors, which were marginally attenuated by estradiol. Depressive-like behaviors were associated with metabolic and body composition parameters and with estrogen status. The data indicate that the vulnerability to develop depression after menopause is influenced by high-fat intake. With the aim of exploring the consequences of ovarian failure on visceral fat, we evaluated the effects of ovariectomy and estrogen replacement on the proteome/phosphoproteome and on the fatty acids profile of the retroperitoneal adipose depot (RET) of rats. Eighteen three months-old female Wistar rats were either ovariectomized or sham-operated and fed with standard chow for three months. A sub-group of ovariectomized rats received estradiol replacement. RET samples were analyzed using data-independent acquisitions by liquid chromatography-mass spectrometry (LC-MS) and pathway analysis was performed with the differentially expressed/phosphorylated proteins. RET lipid profile was analyzed by gas chromatography. Ovariectomy induced high adiposity and insulin resistance. Ovariectomy promoted down-regulation of 42 and up-regulation of 49 differentially expressed proteins compared to control group. Ninety-six proteins (106 peptides) were differentially phosphorylated, with decreased phosphorylation of 39 peptides and increased phosphorylation of 67 peptides. Pathway analysis showed that 5 pathways were significantly affected by ovariectomy, namely metabolism of lipids (included fatty acid metabolism and mitochondrial fatty acid β-oxidation), fatty acyl-CoA biosynthesis, innate immune system (included neutrophil degranulation), metabolism of vitamins and cofactors, and integration of energy metabolism (included ChREBP activates metabolic gene expression). Lipid profile analysis showed increased palmitic and palmitoleic acids content. The analysis of the data indicated that ovariectomy favored lipogenesis while it impaired fatty acids oxidation, and induced a pro-inflammatory state in the visceral adipose tissue. These effects are consistent with the findings of high adiposity, hyperleptinemia, and impaired insulin sensitivity. The observed alterations were partially attenuated by estradiol replacement. The data point to a role of disrupted lipid metabolism in adipose tissue in the genesis of obesity after menopause. The data obtained in the present studies bring the suggestion that weight management is a crucial issue in postmenopausal women, probably having a beneficial role in preventing the appearance of mental health problems and visceral fat accumulation and its consequences.en
dc.description.abstractA menopausa é frequentemente acompanhada de obesidade visceral, bem como de alterações metabólicas e comportamentais ainda não totalmente esclarecidas. Além disso, a ingestão de alto teor de gordura pode influenciar os efeitos da menopausa. Utilizamos um modelo de ratas ovariectomizdas a fim de explorar esses aspectos. Inicialmente, estudamos os efeitos da ovariectomia, aliada ou não a uma dieta rica em gordura e à reposição de estradiol, nos parâmetros hormonais, metabólicos e comportamentais, para explorar a conexão entre obesidade e depressão após a menopausa. Ratas Wistar foram submetidas a ovariectomia ou falsa cirurgia e alimentadas com dieta controle ou rica em banha de porco por doze semanas. Subgrupos de ratas ovariectomizadas receberam reposição de estradiol. Os comportamentos de tipo depressivo foram avaliados pelo teste de natação forçada e a atividade locomotora foi avaliada pelo teste de labirinto em cruz elevado. A ovariectomia aumentou o ganho de peso corporal e a eficiência alimentar e induziu hiperleptinemia e intolerância à glicose, enquanto aumentou a ingestão calórica e a adiposidade corporal apenas marginalmente. A ingestão de dieta rica em gordura induziu obesidade e, quando admistrada aos animais ovariectomizados, acentuou as alterações causadas pela ovariectomia. A reposição de estradiol atenuou as alterações hormonais apenas em ratas alimentadas com dieta controle. Em conclusão, a ovariectomia combinada a ingestão de dieta hiperlipídica induziu comportamentos de tipo depressivo, que foram atenuados marginalmente pelo estradiol. Estes comportamentos foram associados a parâmetros metabólicos e de composição corporal e ao status do estrogênio. Os dados indicam que a vulnerabilidade ao desenvolvimento de depressão após a menopausa é influenciada pela ingestão de alto teor de gordura. Com o objetivo de explorar as consequências da insuficiência ovariana sobre a gordura visceral, avaliamos os efeitos da ovariectomia e reposição de estrogênio no proteoma/fosfoproteoma e no perfil de ácidos graxos do tecido adiposo retroperitoneal (RET) de ratas. Para estas análises, foram analisadas 18 ratas alimentadas com dieta controle, sendo 6 falso-ovariectomizadas, 6 ovariectomizadas e 6 co reposição hormonal. As amostras de RET foram analisadas por cromatografia líquida acoplada a espectrômetro de massas (LC-MS) e as proteínas diferencialmente expressas/fosforiladas foram submetidas a análise de vias metabólicas. O perfil lipídico do RET foi analisado por cromatografia gasosa. A ovariectomia induziu alta adiposidade e resistência à insulina e alterou o padrão de expressão proteica, promovendo sub-expressão de 42 proteínas e super-expressão de 49 proteínas. Noventa e seis proteínas (106 peptídeos) foram diferencialmente fosforiladas, com diminuição da fosforilação de 39 peptídeos e aumento da fosforilação de 67 peptídeos. A análise de vias mostrou que 5 vias foram afetadas significantemente pela ovariectomia, a saber, metabolismo de lipídios (incluindo metabolismo de ácidos graxos e β-oxidação mitocondrial de ácidos graxos), biossíntese de acil-CoA graxa, sistema imunológico inato (incluindo degranulação de neutrófilos), metabolismo de vitaminas e cofatores e integração do metabolismo energético (incluindo ChREBP ativa a expressão gênica metabólica). A análise do perfil lipídico mostrou aumento do teor dos ácidos palmítico e palmitoleico. A análise dos dados indicou que a ovariectomia favoreceu a lipogênese enquanto prejudicou a oxidação dos ácidos graxos e induziu um estado pró-inflamatório no tecido adiposo visceral. Esses efeitos são consistentes com os achados de alta adiposidade, hiperleptinemia e diminuição da sensibilidade à insulina. As alterações observadas foram parcialmente atenuadas pela reposição de estradiol. Os dados indicam que distúrbios do metabolismo lipídico no tecido adiposo visceral desempenham um papel relevante na gênese da obesidade após a menopausa. Os dados obtidos nos presentes estudos sugerem que o controle do peso é uma questão crucial em mulheres na pós-menopausa, provavelmente tendo um papel benéfico na prevenção de problemas de saúde mental e acúmulo de gordura visceral e suas consequências.pt
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso restrito
dc.subjectOvariectomyen
dc.subjectDepressionen
dc.subjectObesityen
dc.subjectProteomeen
dc.subjectVisceral Adipose Tissueen
dc.subjectOvariectomiapt
dc.subjectDepressãopt
dc.subjectObesidadept
dc.subjectProteomapt
dc.subjectTecido Adiposo Visceralpt
dc.titleAvaliação dos efeitos da ovariectomia sobre parâmetros metabólicos e comportamentais em rataspt
dc.typeTese de doutorado
dc.contributor.institutionUniversidade Federal de São Paulopt
dc.description.sourceDados abertos - Sucupira - Teses e dissertações (2020)
unifesp.campusSão Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM)pt
unifesp.graduateProgramNutriçãopt
unifesp.knowledgeAreaNutriçãopt
unifesp.researchAreaBioquímica E Fisiologia Da Nutriçãopt
dc.audience.educationlevelDoutorado


Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record