Treinamento aeróbio e consumo de dieta cafeteria por 4 semanas: modulação do ciclo estral e sua relação com alterações comportamentais e parâmetros hormonais, lipídicos e inflamatórios

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2020-02-28
Autores
Kubota, Melina Chiemi [UNIFESP]
Orientadores
Estadella, Debora [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Epidemiology data show an increase in the prevalence of behavioral disorders in the world, such as anxiety and depression, with Brazil exhibiting high indices for both disorders. Anxiety is characterized by excessive worrying and threats anticipation while depressive behavior by is characterized sadness, disinterest and low self-esteem. It is known that these diseases have multifactorial origin and the female sex, also due to the influence of hormonal fluctuations in the menstrual cycle, appear to be more vulnerable to mood swings, even though estradiol has shown neuroprotective properties. Cafeteria-like diets or hyperlipidic diets (HDs) intake seems to have a positive relation with the development of mood disorders and/or anxiety. It is substantive to consider that the relationship between HFD consumption, neurochemistry amendments and anxiety and depression-like behavioral changes can be influenced by sexual hormones. In certain periods of estrous cycle, the lower estradiol and progesterone levels may facilitate those behavioral changes. In male and female rodents, HD consumption has already been described as having divergent effects, possibly showing anxiogenic effects in females and anxiolytic effects in males, more commonly. Through the years several pharmacological and non-pharmacological treatments have been investigated, the non-pharmacological ones drawing a lot interest. A non-pharmacological treatment example is physical activity, with emphasis on moderate aerobic training because it can improve cardiorespiratory, muscular and metabolic parameters, with glycolytic and lipidic pathways modifications. The physical training has been quite studied as a resource to minimize the negative effects of HD intake on anxious and depressive-like behaviors, as much in humans as in experimental animals. Hence, the objective of the present study was to evaluate the modulation of female rat's estrous cycle on reproductive age, of anxious and depressive-like behaviors and of hormonal, lipidic and inflammatory parameters after 4 weeks of moderate physical treadmill training and cafeteria-like diet consumption.
Dados epidemiológicos demonstram o aumento da prevalência de transtornos comportamentais como o transtorno de ansiedade e depressão a nível mundial, com o Brasil possuindo altos índices para ambos os transtornos. A ansiedade é caracterizada pela preocupação excessiva e antecipação de ameaças e o comportamento depressivo pela tristeza, desinteresse e baixa autoestima. Sabe-se que essas patologias possuem origem multifatorial, e o sexo feminino, também por influência das variações hormonais do ciclo menstrual, demonstra ser mais vulnerável a mudanças de humor, embora o estradiol possua um papel neuroprotetor. O consumo de dietas do tipo cafeteria ou dietas hiperlipídicas (DHs) parece ter uma relação positiva com o desenvolvimento de transtornos de humor e/ou ansiedade. É importante considerar que a relação entre o consumo de DHs, alterações neuroquímicas e alterações em comportamentos ansiosos e depressivos também pode ser influenciada por hormônios sexuais. Em determinados períodos do ciclo estral, as concentrações mais baixas de estradiol e progesterona podem facilitar essas alterações comportamentais. A ingestão de DH já foi descrita como tendo efeitos divergentes em roedores machos e fêmeas, possivelmente levando ao efeito ansiogênico em fêmeas e ansiolítico em machos, mais comumente. Diversos tratamentos farmacológicos e não farmacológicos vêm sendo investigados ao longo dos anos, sendo os não farmacológicos focos de muito interesse. Um exemplo de tratamento não farmacológico é a atividade física, com ênfase no treinamento aeróbio moderado, pois pode melhorar parâmetros cardiorrespiratórios, musculares e metabólicos, com modificações nas vias glicolítica e lipídica. O treinamento físico vem sendo bastante estudado como recurso para minimizar os efeitos metabólicos negativos de dietas com alto teor lipídico e atuar de maneira positiva no controle de comportamentos do tipo ansioso e depressivo, tanto em humanos como em animais experimentais. Posto isto, o objetivo do presente estudo foi avaliar a modulação do ciclo estral de ratas em idade reprodutiva, dos comportamentos do tipo ansioso e depressivo e de parâmetros hormonais, lipídicos e inflamatórios, após treinamento físico aeróbio moderado em esteira e consumo de dieta cafeteria durante 4 semanas.
Descrição
Citação