Show simple item record

dc.contributor.advisorRenno, Ana Claudia Muniz [UNIFESP]
dc.contributor.authorArakaki, Patricia Gabrielli Vassao Alves [UNIFESP]
dc.date.accessioned2022-07-21T16:47:53Z
dc.date.available2022-07-21T16:47:53Z
dc.date.issued2020-11-23
dc.identifierhttps://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=9730005
dc.identifier.urihttps://repositorio.unifesp.br/xmlui/handle/11600/64520
dc.description.abstractAbout 10% of people over the age of 55, especially female gender has osteoarthritis (OA). Its manifestation is more common in the knee joint and its progression can cause pain and disabilities. The approach of non-pharmacological treatments such as physical exercise appears to be effective. In addition, resources such as photobiomodulation (PBM), alone or in association with physical exercises also have shown promising results. However, there are still gaps in the literature regarding the association of both resources, especially on cluster type PBM. In view of this, the aim of this study was to investigate the effects of a resistance exercise protocol associated with cluster type PBM on pain, physical capacity, muscle strength and serum inflammation biomarkers in patients with knee OA. 62 women with OA grade II or III were randomized blinded and analyzed in 4 groups: Exercise and Active FBM Group (EAFG, n = 16), Exercise and FBM Placebo Group (EFPG, n = 17), Active FBM Group (AFG, n = 14) and Placebo FBM Group (PFG, n = 15). Interventions were performed twice a week for a period of 8 weeks. The exercise program included warming up on a treadmill, exercises for strengthening hip and knee flexors and extensors and hip abductors and adductors, as well as stretching the main muscle groups of the lower limbs (LL). FBM (808nm, 100mW, 4J/point, totaling 56J) was applied in medial and lateral face of the most affected knee after each exercise session. For assessment and reassessment, questionnaires were applied, such as the Numerical Pain Scale (END), six-minute walk test (6MWT), Timed Up and Go test (TUG), and blood serum collections were used to analyze serum biomarkers of inflammation (IL-6, IL-8 and TNF- α), in addition to the percentage strength (PS) assessment before and after interventions. EAFG, EPFG and AFG showed a lower value in the level of pain after the treatment period in relation to initial values and final values compared to the final value of the GFP. The final TUG values were lower in EAFG, EPFG and AFG when compared to their initial values. In addition, the final values of the 6MWT were higher compared to the initial values in the trained groups (with or without PBM associated). The same behavior was found for the variable PS for some muscle groups when comparing the initial and final values. However, inflammatory markers no showed difference. In this study, both physical exercise and PBM, in isolated application, showed analgesic effects and positive effects on the volunteers' physical capacity. However, the PBM via cluster device did not promote extra effect on exercise effects in improving the distance covered, TUG, muscle strength and inflammatory markers of women with knee OA.en
dc.description.abstractÉ estimado que cerca de 10% das pessoas com idade superior a 55 anos, em especial do sexo feminino apresentam diagnóstico de osteoartrite (OA). Sua manifestação é mais comum na articulação do joelho e sua progressão pode acarretar em dor e incapacidades. Sabe-se que um dos tratamentos mais utilizados para o manejo da sintomatologia da OA são os programas de exercício físico. Além disso, recursos eletrofísicos, como fotobiomodulação (FBM), de forma isolada ou em associação com os exercícios físicos, também tem demonstrado resultados promissores. No entanto, ainda existem lacunas na literatura a respeito da associação de ambos os recursos com destaque para a FBM do tipo cluster. Diante disto, o objetivo desse estudo foi investigar os efeitos de um protocolo de exercícios físicos resistidos associado a FBM do tipo cluster na intensidade dor, na capacidade física, na força muscular e nos biomarcadores séricos de inflamação de pacientes com OA de joelho. Foram randomizadas cegamente e analisadas 62 mulheres com grau II ou III de OA, distribuídas em 4 grupos: Grupo Exercício e FBM Ativa (GEFA, n=16), Grupo Exercício e FBM Placebo (GEFP, n=17), Grupo FBM Ativa (GFA, n= 14) e Grupo FBM Placebo (GFP, n= 15). As intervenções foram realizadas 2x/semana por um período de 8 semanas. O programa de exercícios incluiu aquecimento em esteira ergométrica, exercícios de fortalecimento de flexores e extensores de quadril e joelho e abdutores e adutores de quadril, bem como alongamento dos principais grupos musculares dos membros inferiores (MMII). A FBM (808nm, 100mW, 4J/ponto, totalizando 56J) foi aplicada na face medial e lateral do joelho mais afetado logo após cada sessão de exercícios. Para avaliação e reavaliação, foram aplicados questionários como a Escala Numérica de Dor (END), teste de caminhada de seis minutos (TC6’), teste Timed Up and Go (TUG), e coletas de soro sanguíneo para análise de biomarcadores séricos de inflamação (IL-6, IL-8 e TNF-α), além da avalição percentual de força (PF) antes e após as intervenções. GEFA, GEFP e GFA apresentaram um valor menor no nível de dor após o período de treinamento em relação aos seus valores iniciais e em seus valores finais em comparação ao valor final do GFP. Os valores finais do TUG foram menores no GEFA, GEFP e GFA quando comparado com seus valores iniciais. Além disso, os valores finais do TC6 foram maiores em comparação aos valores iniciais nos grupos treinados (com ou sem a associação da FBM). O mesmo comportamento foi encontrado para a variável PF para alguns grupos musculares ao comparar os valores iniciais e finais. Contudo, os marcadores inflamatórios não apresentaram nenhum diferença. Neste estudo, tanto o exercício físico e quanto a FBM quando aplicados isoladamente mostraram efeitos analgésicos e efeitos positivos na capacidade física das voluntárias. No entanto, a FBM do tipo cluster não promoveu nenhum efeito extra junto com os efeitos do exercício na melhoria da distância percorrida, do TUG, da força muscular e dos marcadores inflamatórios de mulheres com OA do joelho.pt
dc.format.extent102 p.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso restrito
dc.subjectKnee Osteoarthritisen
dc.subjectPhototherapyen
dc.subjectMuscle Strengthen
dc.subjectPhysical Capacityen
dc.subjectOsteoartrite Do Joelhopt
dc.subjectFototerapiapt
dc.subjectForça Muscularpt
dc.subjectCapacidade Físicapt
dc.titleFotobiomodulação e um programa de exercícios físicos em pacientes com osteoartrite de joelho: estudo controlado, randomizado e cegopt
dc.typeTese de doutorado
dc.contributor.institutionUniversidade Federal de São Paulopt
dc.description.sourceDados abertos - Sucupira - Teses e dissertações (2020)
unifesp.campusBaixada Santista, Instituto de Saúde e Sociedadept
unifesp.graduateProgramInterdisciplinar em Ciências da Saúdept
unifesp.knowledgeAreaMecanismos Básicos De Processos Biológicos Em Saúdept
unifesp.researchAreaEstratégias Interdisciplinares Na Pesquisa Experimental De Doenças Crônicaspt
dc.audience.educationlevelDoutorado


Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record