Efeitos da administração crônica do extrato de casca de uva em camundongos submetidos a um modelo progressivo da Doença de Parkinson

Imagem de Miniatura
Data
2020-07-21
Autores
Macedo, Amanda Maria de [UNIFESP]
Orientadores
Ribeiro, Alessandra Mussi [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Parkinson's disease (PD) is a neurodegenerative disease affecting mainly the elderly population. PD etiology remains unknown, however, evidence shows that genetic predisposition and environmental factors, such as contamination by heavy metals and pesticides, are important factors for the emergence of PD. Currently, the development of new drugs to treat PD is a challenge. The antiparkinsonian drugs used in the clinic do not prevent disease progression and cause side effects. In this context, previous studies have shown that substances with antioxidant and anti-inflammatory activities have neuroprotective effect in PD. In this sense, the aim of this study was to investigate the effect of Vitis labrusca grape skin extract (UVA) on mice submitted to the progressive parkinsonism model induced by repeated administration of reserpine (RES). For this study, male Swiss mice (6-7 months) were used and three experiments were carried out. This study was approved by CEUA No. 8979280616. The animals were treated daily with UVA (16, 160 or 2400 mg/kg; orally) and every 48 h with RES (0.1 mg/kg, subcutaneously for 30 days). Sensory (olfactory discrimination), motor (catalepsy, oral movements, open field, and rotarod test) and cognitive (recognition of the novel object) evaluations were conducted across the treatment. At the end of the experimental protocol, the animals were euthanized and the brains were collected and stored. Our main results showed that the chronic treatment with UVA decreased the time of catalepsy, reduced the frequency of oral movements, restored memory deficit and decreased the frequency of falls on the rotarod. These findings showed that UVA has a neuroprotective effect in a progressive PD animal model. Finally, more studies are needed to elucidate its mechanism of action.
A doença de Parkinson (DP) é uma doença neurodegenerativa que acomete principalmente a população idosa. A etiologia da DP ainda permanece desconhecida, entretanto evidências demonstram que a predisposição genética e a exposição a fatores ambientais, tais como, a contaminação por metais pesados e pesticidas são importantes fatores para o surgimento da DP. Atualmente, um dos principais desafios é o desenvolvimento de novos fármacos para o tratamento desta doença. Os principais medicamentos utilizados na clínica provocam o surgimento de efeitos adversos e não impedem a progressão da doença. Nesse contexto, estudos prévios mostram que substâncias com atividade antioxidante e anti-inflamatória podem apresentar um efeito neuroprotetor na DP. Neste sentido, o objetivo deste estudo foi investigar o potencial efeito neuroprotetor do extrato da casca da uva Vitis labrusca (UVA) em camundongos submetidos ao modelo de parkinsonismo progressivo induzido pela administração de reserpina (RES). Para a realização deste estudo foram utilizados camundongos suíços machos (6-7 meses) e foram realizados três experimentos. Este estudo foi aprovado pelo CEUA N° 8979280616. Os animais foram tratados diariamente com UVA (16, 160 ou 2400 mg/kg; via oral) e a cada 48 horas com RES (0,1 mg/kg; via subcutânea), o tratamento teve duração de 30 dias. Durante o tratamento os animais foram submetidos aos testes de catalepsia, movimentos orais, campo aberto, reconhecimento do objeto novo, discriminação olfatória, labirinto em cruz elevado e rotarod. Ao final do protocolo experimental, os animais foram eutanasiados e os encéfalos armazenados. Os principais resultados deste estudo mostram que o tratamento crônico com UVA diminuiu o tempo de catalepsia, diminuiu a frequência de movimentos orais, protegeu contra o déficit de memória na tarefa de reconhecimento de objetos e diminuiu a frequência de quedas no rotarod. Portanto, a administração crônica de UVA apresenta efeito neuroprotetor em camundongos submetidos ao modelo de parkinsonismo progressivo induzido por RES. Por fim, são necessários mais estudos para elucidar o mecanismo de ação pelo qual o UVA tem seu efeito neuprotetor.
Descrição
Citação
MACEDO, Amanda Maria de. Efeitos da administração crônica do extrato de casca de uva em camundongos submetidos a um modelo progressivo da Doença de Parkinson. 2020. 82 f. Dissertação (Mestrado Interdisciplinar em Ciências da Saúde) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2020.