Associação da variabilidade glicêmica com o desmame difícil em pacientes submetidos a intubação orotraqueal

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2020-07-01
Autores
Kubagawa, Livia Marie [UNIFESP]
Orientadores
Vidotto, Milena Carlos [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introduction: Hyperglycemia is a common complication in patients admitted to the ICU due to several neurohormonal changes caused by stress, and is directly related to outcomes, such as: longer ICU and hospital stay, higher incidence of hospital infection and higher mechanical ventilation time. Regarding glycemic variability, its effects on the same outcomes are not yet clear, so the objective of the study was to assess the association between glycemic variability during the first 24 hours of MV and the prevalence of difficult weaning in patients undergoing intubation. Method: This is a retrospective cohort study, from the 125 patients screened in the ICU of a private hospital, 51 met the inclusion criteria. The following were evaluated: average of blood glucose measurements taken on the first day of MV, as well as the prevalence of difficult weaning and failure in extubation. Glycemic averages were categorized into 3 groups: Group 1 (<140 mg / dl), Group 2 (≥140 and ≤180 mg / dl) and Group 3 (> 180 mg / dl). Results: The association between glycemic variability on the first day after intubation and the prevalence of difficult weaning were evaluated, but this association was not evidenced. Regarding extubation failure, this association was also not found. Conclusion: In this study, we suggest that glycemic variability on the first day of intubation is not associated with difficult weaning and failure with extubation, however prospective, controlled and randomized studies are necessary to attribute glycemic variability as a causative factor to difficult and failed weaning. extubation.
Introdução: A hiperglicemia é uma complicação comum em pacientes internados em UTI em decorrência de diversas alterações neuro-hormonais causadas pelo estresse, e está diretamente relacionada a desfechos, como: maior tempo de internação em UTI e hospitalar, maior incidência de infecção hospitalar e maior tempo de ventilação mecânica. Sobre a variabilidade glicêmica, ainda não estão esclarecidos seus efeitos sobre os mesmos desfechos, por isso o objetivo do trabalho foi avaliar a associação entre a variabilidade glicêmica durante as primeiras 24 horas de VM e a prevalência de desmame difícil em pacientes submetidos a IOT. Método: Este é um estudo coorte retrospectivo, onde dos 125 pacientes triados na UTI de um hospital privado, 51 preencheram os critérios de inclusão. Foram avaliadas: média das medidas de glicemia feitas no primeiro dia de VM, bem como a prevalência de desmame difícil e falha na extubação. As médias glicêmicas foram categorizadas em 3 grupos: Grupo 1 (< 140 mg/dl), Grupo 2 (≥140 e ≤180 mg/dl) e Grupo 3 (> 180 mg/dl). Resultados: Foram avaliadas a associação entre a variabilidade glicêmica no primeiro dia após a intubação, e a prevalência de desmame difícil, porém não foi evidenciado esta associação. Em relação a falha na extubação, esta associação também não foi encontrada. Conclusão: Neste estudo, sugerimos que a variabilidade glicêmica no primeiro dia de intubação não está associada a um desmame difícil e a falha na extubação, porém estudos prospectivos, controlados e randomizados são necessários para atribuir a variabilidade glicêmica um fator causal ao desmame difícil e falha na extubação.
Descrição
Citação