Avaliação da eficácia de doses repetidas de nitroprussiato de sódio no tratamento da esquizofrenia resistente: um estudo duplo-cego, randomizado, controlado por placebo

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2020-08-21
Autores
Adelino, Marcelo Pinheiro Machado [UNIFESP]
Orientadores
Lacerda, Acioly Luiz Tavares De [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
In present study, we evaluated the efficacy of repeated-dose sodium nitroprusside (SNP) in treatment-resistant schizophrenia. Methods: This was a double-blind, randomized, placebo-controlled trial. Twenty DSM-IV schizophrenia subjects, aged 18-60 years, with a history of nonresponse to ≥2 trials of antipsychotics used in adequate dose and duration (≥6 weeks) were enrolled. Subjects received SNP or placebo 4-hour infusions at 0.5 μg/kg/min. A total of 4 infusions and 4 follow-up evaluations, with an interval of 2 weeks, were performed. Severity of symptoms was assessed by using Positive and Negative Syndrome Scale (PANSS), Brief Psychiatric Rating Scale (BPRS-18) and Clinical Global Impression (CGI) scales. Results: SNP and placebo groups did not differ at baseline or in change from baseline for PANSS-total F3.597, 64.748=0.398; p=0.790), PANSS-positive (F2.898, 52.167=0.509; p=0.672), PANSS general (F3.302, 59.431=0.243; p=0.983), BPRS (F4.312, 77.615=0.143; p=0.946), or CGI (F3.841, 69.131=1.096; p=0.364) scores. SNP was well tolerated and showed a good safety profile. Conclusion: Although preliminary, the present findings suggest that SNP is not efficacious in TRS, reinforcing previous studies that have not demonstrated symptom improvement in chronic schizophrenia subjects. At this time, it is conceivable to speculate that efficacy of SNP might be restricted to early stages of disease.
No presente estudo, avaliamos a eficácia do nitroprussiato de sódio (NPS) em doses repetidas na esquizofrenia resistente ao tratamento (ERT). Métodos: Este foi um estudo duplo-cego, randomizado, controlado por placebo. Foram incluídos 20 indivíduos com diagnóstico de esquizofrenia pelo DSM-IV, com idade entre 18 e 60 anos, com histórico de não resposta a ≥2 antipsicóticos na dose e duração adequadas (≥6 semanas). Os participantes receberam infusões de 0,5 μg/kg/min de NPS ou placebo ao longo de 4 horas. Foram realizadas 4 infusões e 4 avaliações de seguimento, com intervalo de 2 semanas. A gravidade dos sintomas foi avaliada usando os seguintes instrumentos: Escala de Avaliação das Síndromes Positiva e Negativa da Esquizofrenia (PANSS), Escala de Avaliação Psiquiátrica Breve (BPRS), Escala de Impressão Clínica Global (CGI). Resultados: Os grupos SNP e placebo não difereciaram na linha de base ou no que se refere a alterações da linha de base durante as avaliações para PANSS total (F3,597, 64,748=0,398; p=0,790), PANSS subescala positiva (F2,898, 52,167=0,509; p=0,672), subescala geral (F3,302, 59,431=0,243; p=0,983) e pontuação BPRS (F4,312, 77,615=0,143; p=0,946) ou CGI (F3,841, 69,131=1,096; p=0,364). O SNP foi bem tolerado e mostrou um bom perfil de segurança. Conclusão: Embora preliminares, os presentes achados sugerem que o SNP não é eficaz na ERT, reforçando estudos prévios que não demonstraram melhora dos sintomas em indivíduos com quadros crônicos de esquizofrenia. Neste momento, podemos especular que a eficácia do SNP possa estar restrita aos estágios iniciais da doença.
Descrição
Citação