Relação entre percepção do risco de quedas, capacidade funcional, dor e risco para quedas em idosos assistidos em um serviço de emergência

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2020-11-26
Autores
Souza, Lidia Ferreira De [UNIFESP]
Orientadores
Okuno, Meiry Fernanda Pinto [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introduction: During hospitalization, the older people, may experience loss of function, which may be due to the disease that determined the hospitalization, previous clinical conditions, submitted procedures, and poor adaptation of the health system to the demands of an aging and frailty population. Falls are among the main causes of death and the most frequent reason for seeking emergency medical services among people over 65 years of age. Objective: To verify the factors associated with risk, perception and knowledge of falls and pain in the older people in a Emergency Service. List the sociodemographic, economic and clinical variables and whether or not they have a caregiver. Method: Crosssectional study carried out with 197 older people in an emergency room setting. The following were applied: Falls Risk Awareness Questionnaire, Morse Falls Scale, numerical pain scale, Katz index and Lawton scale. Results: Individuals at high risk of falls were older and had higher family income. The illiterate older people had a higher percentage of total dependence and those who had completed elementary school had a higher percentage of independence. Those classified as independent had higher income than those totally dependent. The respondents divorced and without a caregiver had a higher score on the Lawton Scale. Elderly with systemic arterial hypertension, neoplasia and walking impairment had lower scores on the Lawton scale. The better the perception of fall risks by the elderly, the less independent they were for instrumental activities. Those at low risk for falls had less independence. Conclusion: The results demonstrate the importance of exploring the support network and including the caregiver in the planning of care for the older people during hospitalization, and also preparing him for post-discharge care, unveiling the contribution of the interprofessional team. These precautions should be directed to maintaining and/or mitigating the deterioration of functional capacity and preventing falls. In addition, they are useful to assist health professionals in planning actions that enhance the safety of the elderly, in addition to the importance of using not only the instrument that assesses the risk of falling and pain, but also the perception and knowledge of the elderly regarding the risk of falls.
Introdução: durante a internação hospitalar, os idosos podem cursar com perda de funcionalidade, a qual pode se dar pela doença que determinou a internação, condições clínicas prévias, procedimentos submetidos e pouca adaptação do sistema de saúde às demandas de uma população envelhecida e frágil. As quedas estão entre as principais causas de morte e constituem o motivo mais frequente de procura pelo Serviço de Emergência entre as pessoas acima de 65 anos. Objetivo: verificar os fatores associados ao risco, percepção e conhecimento de quedas e dor em idosos em um Serviço de Emergência. Relacionar as variáveis sociodemográficas, econômicas e clínicas e ter ou não cuidador. Método: estudo transversal realizado em um Serviço de Emergência com 197 idosos. Foram aplicados: Falls Risk Awareness Questionnaire, Escala de Queda de Morse, escala numérica de dor, índice de Katz e escala de Lawton. Resultados: entrevistados com risco alto de quedas apresentaram maior idade e maior renda familiar. Os idosos não letrados apresentaram maior percentual de totalmente dependentes e os que tinham ensino fundamental completo, maior percentual de independentes. Os classificados como independentes apresentaram maior renda do que aqueles totalmente dependentes. Os pesquisados divorciados e sem cuidador apresentaram maior escore na escala de Lawton. Idosos com hipertensão arterial sistêmica, neoplasia e déficit de deambulação tiveram menor pontuação na escala de Lawton. Quanto melhor a percepção dos riscos de queda pelos idosos, menos independente para as atividades instrumentais eles eram. Os idosos com risco baixo para quedas apresentaram menos independência. Conclusão: os resultados demonstram a importância de explorar a rede de apoio e incluir o cuidador no planejamento dos cuidados com o idoso durante a hospitalização, também o preparando para os cuidados pós-alta, revelando a contribuição da equipe interprofissional. Esses cuidados devem ser direcionados à manutenção e/ou mitigação da deterioração da capacidade funcional e à prevenção de quedas. Ainda, são úteis para auxiliar os profissionais de saúde no planejamento de ações que potencializem a segurança do idoso, além de expor a importância do uso não só do instrumento que avalia o risco de queda e a dor, mas também da percepção e do conhecimento do idoso quanto ao risco de quedas.
Descrição
Citação