Influência da duração do contato pele a pele sobre o sono e parâmetros fisiológicos de recém-nascidos pré-termo

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2020-11-26
Autores
Pinto, Claudia Machado Alves [UNIFESP]
Orientadores
Avelar, Ariane Ferreira Machado [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introduction: Improving the sleep-wake pattern and stabilizing the vital signs of preterm newborns (PTNB) are benefits related to skin-to-skin contact with their mother or father, with a positive impact on brain development, maturation and repair , behavioral, cognitive and motor of the newborn. However, the duration of skin-to-skin contact is still not clearly established in order to achieve the expected positive results during hospitalization and discharge of PTNB. Objective: To investigate the influence of the duration of skin-to-skin contact on sleep and physiological parameters of preterm newborns and the maternal and neonatal characteristics that may interfere with the duration of this contact. Casuistry and method: Cross-sectional study, developed with preterm newborns, weighing less than 2,000 grams and able to perform skin-to-skin contact (CPP) at the Conventional Neonatal Intermediate Care Unit of a public maternity hospital in the Western Brazilian Amazon. The convenience sample consisted of 36 PTNB and 30 mothers. Data collection took place from April to October 2018. Sociodemographic, reproductive and obstetric maternal, biological and neonatal vitality variables, those related to skin-to-skin contact and their duration, physiological and behavioral parameters were investigated. The physiological parameters of newborns (NB) were recorded before, during and after a single session of skin-to-skin contact, and the mother's temperature was recorded before and after. The behavioral responses presented by the newborns during the CPP were filmed in real time, and the predominant state of the behavior was recorded at the end of each 10-second recording period. The differentiation of the sleep-wake states of PTNBs was performed based on the definitions of an accepted observational biobehavioral assessment method and classified as sleep, wakefulness and transition. Results: Skin-to-skin contact occurred for a median time of 2.12 hours (1st quartile: 1.65; 3rd quartile: 2.99), with newborns between 26 and 31 weeks of gestational age and weight between 980 and 2,000 grams at birth. Most mothers (55.6%) remained in CPP for more than 2 hours. Statistically significant differences were identified in the respiratory rate of the PTNB and maternal axillary temperature between the values before and after the CPP and the neonatal heart rate before the end of the CPP (p⦤0.05). With regard to behavior, the duration of CPP did not significantly influence the sleep time of PTNB, but it was possible to observe that NBs who stayed in contact longer spent more time sleeping. Conclusion: our study was unable to identify the effect of CPP duration on sleep in this sample of preterm newborns. Monitoring the behavioral state for a longer period can provide significant insights. As for the physiological parameters, the CPP promoted an increase in the neonatal respiratory rate and maternal axillary temperature after contact and the heart rate of the newborns at the end of the contact.
Introdução: A melhoria do padrão de sono-vigília e a estabilização dos sinais vitais de recém-nascidos pré-termo (RNPT) são benefícios relacionados ao contato pele a pele com sua mãe ou pai, apresentando impacto positivo no desenvolvimento, maturação e reparo cerebral, comportamental, cognitivo e motor do recém-nascido. No entanto, ainda não está claramente estabelecida a duração do contato pele a pele para que sejam alcançados os resutados positivos esperados durante a hospitalização e alta dos RNPT. Objetivo: Investigar a influência do tempo de duração do contato pele a pele sobre o sono e parâmetros fisiológicos de recém-nascidos pré-termo e as características maternas e neonatais que podem interferir na duração desse contato. Casuística e método: Estudo transversal, desenvolvido com recém-nascidos prétermo, com peso inferior a 2.000 gramas e aptos a realizarem o contato pele a pele (CPP) na Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Convencional de uma maternidade pública da Amazônia Ocidental Brasileira. A amostra por conveniência foi composta por 36 RNPT e 30 mães. A coleta de dados ocorreu no período de abril a outubro de 2018. Foram investigadas as variáveis sociodemográficas, reprodutivas e obstétricas maternas, biológicas e de vitalidade neonatal, as relacionadas ao contato pele a pele e seu tempo de duração, parâmetros fisiológicos e comportamentais. Os parâmetros fisiológicos dos recém-nascidos (RN) foram registrados antes, durante e após uma única sessão do contato pele a pele, e a temperatura da mãe registrada antes e após. As respostas comportamentais apresentadas pelos recém-nascidos durante o CPP foram filmadas em tempo real, e o estado predominante do comportamento foi registrado ao final de cada perído de 10 segundos de gravação. A diferenciação dos estados de sono-vigília dos RNPT foi realizada com base nas definições de um método de avaliação biocomportamental observacional aceito e classificado como sono, vigília e transição. Resultados: O contato pele a pele ocorreu por tempo mediano de 2,12 horas (1º quartil: 1,65; 3º quartil: 2,99), com recémnascidos entre 26 e 31 semanas de idade gestacional e peso entre 980 e 2.000 gramas ao nascimento. A maioria das mães (55,6%) permaneceu em CPP por mais de 2 horas. Identificouse diferenças estatisticamente significantes da frequência respiratória do RNPT e temperatura axilar materna entre os valores antes e depois do CPP e da frequência cardíaca neonatal antes do término do CPP (p⦤0,05). Com relação ao comportamento, a duração do CPP não influenciou significativamente o tempo de sono dos RNPT, mas foi possível observar que os RN que permaneceram por mais tempo em contato passaram mais tempo dormindo. Conclusão: nosso estudo não foi capaz de identificar efeito da duração do CPP sobre o sono nesta amostra de recém-nascidos pré-termos. O acompanhamento do estado comportamental por um período maior poderá fornecer percepções significativas. Quanto aos parâmetros fisiológicos, o CPP promoveu aumento da frequência respiratória neonatal e da temperatura axilar materna após o contato, e da frequência cardíaca dos RN ao final do contato.
Descrição
Citação