Estudo da associação entre o antígeno de histocompatibilidade humano e a recidiva sintomática de infecção pelo citomegalovirus em receptores de transplante renal

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2020-12-21
Autores
Cagliari, Cristina Iacovelo [UNIFESP]
Orientadores
Camargo, Luiz Fernando Aranha [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introduction: CMV is still a relevant infectious complication after renal transplantation and it has both direct and indirect effects. Even with a successful treatment, infection and disease recurrence is still a frequent event, leading to increased complications and need for retreatment. Objective: In the present study, we reassessed data from an earlier study that researched risk factors for CMV recurrence in kidney transplant patients. Our study focused on clinical and epidemiological variables. Methods: This previous study showed that receiving a transplant from a deceased donor and the rejection treatment after a CMV diagnosis were independent predictors of symptomatic CMV infection recurrence. We reassessed the same database adding information on HLA alleles from recipients of kidney transplants. Results: In a multivariate analysis involving only HLA alleles, we found the alleles were associated to symptomatic CMV infection recurrence. In a multivariate analysis with all clinical and epidemiologic variables, the alleles HLA B-15 (enhancement) and HLA DR-15 (protection) were independently associated with symptomatic CMV recurrence. Conclusion: Such information can be used to minimize CMV recurrence or to help direct surveillance practices. Knowledge of risk factors for infection recurrence can lead to preventive measures to minimize this problem.
Introdução: A infecção pelo Citomegalovirus (CMV) persiste como relevante complicação após o transplante renal, sendo associado a efeitos diretos e indiretos. Mesmo com tratamento bem-sucedido, a recidiva da infecção é evento frequente acarretando reinternações e novos efeitos diretos e indiretos. Objetivo: Neste estudo, reavaliamos os dados de um grupo de transplantados renais previamente estudados para fatores de risco clínicos e epidemiológicos para recidiva para CMV. Métodos: No estudo anterior, receber o enxerto de um doador falecido e tratamento de rejeição após um diagnóstico de infecção pelo CMV eram fatores de risco independentes para a ocorrência de recidiva sintomática de infecção por CMV. Reavaliamos os mesmos dados adicionando as informações sobre os alelos do antígeno leucocitário humano (HLA) dos mesmos receptores de transplante renal. Analisando apenas os alelos de HLA, os alelos HLA B estão associados à recidiva ao passo que HLA DR estão associados a proteção contra recidiva de infecção pelo CMV em transplantados renais. Resultados: Em análise multivariada adicionando os achados clínicos e epidemiológicos do banco de dados original adicionado dos alelos de HLA de receptores, observamos que os alelos HLA B-15 e HLA DR_15 estão independentemente relacionados à recidiva da infecção pelo CMV sendo HLA B-15 aumentando o risco e HLA DR-15 protetor. Conclusões: A utilização destas informações pode auxiliar medidas de prevenção ou vigilância de recidiva sintomática de infecção pelo CMV. O conhecimento de fatores de risco para recidiva da infecção pode levar a medidas preventivas apropriadas.
Descrição
Citação