Show simple item record

dc.contributor.advisorPerissinoto, Jacy [UNIFESP]
dc.contributor.authorPinto, Fernanda Chequer De Alcantara [UNIFESP]
dc.date.accessioned2022-07-21T15:48:41Z
dc.date.available2022-07-21T15:48:41Z
dc.date.issued2020-01-28
dc.identifierhttps://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=8764804
dc.identifier.urihttps://repositorio.unifesp.br/xmlui/handle/11600/64144
dc.description.abstractPurpose: to identify the relevance of categories of the International Classification of Functionality, Disability and Health (ICF) for the development of speech and language, according to the perception of parents and speech therapists. Methods: analytical, observational and cross-sectional study (CEP: 1,681,979 / 2016) developed in two stages. Initially, a convenience sample was composed of 22 speech therapists (95.5% female; mean age 31.36 years and 27.3% attending postgraduate lato sensu) and 39 parents (95.9% female; with average of 38.1 years and 33.3% with higher education) of children of preschool age, without self-reported complaints of changes in development (average of 4.8 years and 51.3% of males). The second stage, by sample calculation, consisted of 157 participants: 100 parents of children in typical development verified using receptive and expressive language instruments, in addition to a neuropsychological test) and 57 speech therapists specialized in language by the Federal Council of Speech Therapy. Regarding the degree of kinship of the interviewees, 85% were mothers, with an average age of 33 years; 55% with complete high school. Of the 57 speech therapists, 98.2% were female, with a mean age of 48.61 years; and of these, 47.34% graduated more than 30 years ago. Procedure/material: in the first (part A), a questionnaire was constructed from the categories of the CIF-CJ (version for Children and Youth), selected according to the preschool age group and the applicability was observed in two pilot groups (caregivers and speech therapists); the second stage (part B), consisted of the application of the instrument in two statistically selected groups, formed by parents of children in typical development and speech therapists specialized in language, to identify which categories of the Classification would be relevant in the perception of each group and compare the responses according to the components of body functions, activities and participation and environmental factors. The answer choice was closed and divided into three options: Indispensable - 2 points; Important - 1 point and Not Important - 0 point. It was adopted to identify the most relevant categories for each group of respondents, according to two variables: the SUM of points per category (responses: Indispensable, Important and Not Important) and the amount of TOTAL2 (Responsible responses) of each one of them. In both stages (part A and B), statistical analysis was performed (descriptive, sum, cluster - K-means method, correlation, Kruskal-Wallis, multiple comparisons and Mann-Whitney). Results: In part A, the variable SUM was identified as the most consistent to indicate the degree of importance, as it considered the weight of all question values. In part B, through groupings by cluster, the first three clusters and their compatible categories were considered. A single listing was identified, with the 72 categories considered most influential by the groups of parents and speech therapists. The final list of categories included the three components of body functions (30 categories), activities and participation (35) and environmental factors (seven). Comparing the answer for the selected categories, 42 presented statistically significant results (58.33%) between the groups: 21 categories of body functions; 18 of activities and participation and three of environmental factors. The categories of body functions were better scored by speech therapists, while those of environmental factors by parents. Conclusions: concludes by the possibility of identifying the relevance of different ICF categories for the development of speech and language, as well as the construction of a unique list of indicators in the area, in the preschool age group, according to the perception of parents and speech therapists, interviewed regarding body functions, activities and participation and environmental factors.en
dc.description.abstractObjetivos: identificar a relevância de categorias da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) para o desenvolvimento de fala e linguagem, segundo a percepção de pais e fonoaudiólogos. Métodos: estudo analítico, observacional e transversal (CEP: 1.681.979/2016) desenvolvido em duas etapas. Inicialmente compôs-se amostra de conveniência com 22 fonoaudiólogos (95,5% do sexo feminino; com média de 31,36 anos e 27,3% cursando pós graduação lato sensu) e 39 responsáveis (95,9% do sexo feminino; com média de 38,1 anos e 33,3% com curso superior) de crianças em idade pré-escolar, sem queixas autorreferidas de alterações no desenvolvimento (média de 4,8 anos e 51,3% do sexo masculino). A segunda etapa, por cálculo amostral, constituiu-se de 157 participantes: 100 pais de crianças em desenvolvimento típico verificado a partir de instrumentos de linguagem receptiva e expressiva, além de teste neuropsicológico) e 57 fonoaudiólogos especialistas em linguagem pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia. Quanto ao grau de parentesco dos entrevistados 85% eram mães, com média de idade de 33 anos; 55% com o ensino médio completo. Dos 57 fonoaudiólogos, 98,2% eram do sexo feminino, com média de idade de 48,61 anos; e destes, 47,34% se formaram há mais de 30 anos. Procedimento/material: na primeira (parte A) realizou-se a construção de um questionário a partir das categorias da CIF-CJ (versão para Crianças e Jovens), selecionadas de acordo com a faixa etária pré-escolar e observou-se a aplicabilidade em dois grupos pilotos (responsáveis e fonoaudiólogos); a segunda etapa (parte B), consistiu da aplicação do instrumento em dois grupos selecionados estatisticamente, formados por pais de crianças em desenvolvimento típico e fonoaudiólogos especialistas em linguagem, para identificar quais categorias da Classificação seriam relevantes na percepção de cada grupo e comparar as respostas segundo os componentes de funções do corpo, atividades e participação e fatores ambientais. A escolha de resposta foi fechada e escalonada em três opções: Indispensável – 2 pontos; Importante – 1 ponto e Sem Importância – 0 ponto. Adotou-se identificar as categorias de maior relevância para cada grupo de respondentes, de acordo com duas variáveis: a SOMA dos pontos por categoria (respostas: Indispensável, Importante e Sem Importância) e a quantidade de TOTAL2 (respostas Indispensáveis) de cada uma delas. Em ambas as etapas (parte A e B) realizou-se a análise estatística (descritiva, soma, cluster – Método K-means, correlação, Kruskal-Wallis, comparações múltiplas e Mann-Whitney). Resultados: Na parte A identificou-se a variável SOMA como a mais consistente para indicar o grau de importância, pois considerou o peso de todos os valores das questões. Na parte B, por meio de agrupamentos por cluster considerou-se os três primeiros clusters e as suas categorias compatíveis. Identificou-se uma listagem única, com as 72 categorias consideradas de maior influência pelos grupos de pais e de fonoaudiólogos. A listagem final de categorias contou com os três componentes de funções do corpo (30 categorias), atividades e participação (35) e fatores ambientais (sete). Comparando-se a resposta para as categorias selecionadas, 42 apresentaram-se com resultados estatisticamente significantes (58,33%) entre os grupos: 21 categorias de funções do corpo; 18 de atividades e participação e três de fatores ambientais. As categorias de funções do corpo foram mais bem pontuadas pelos fonoaudiólogos, enquanto as de fatores ambientais pelos pais. Conclusões: conclui-se pela possibilidade de identificar a relevância de diferentes categorias da CIF para o desenvolvimento de fala e linguagem, assim como a construção de uma listagem única de indicadores da área, na faixa etária pré-escolar, segundo a percepção de pais e fonoaudiólogos, entrevistados quanto a funções do corpo, atividades e participação e fatores ambientais.pt
dc.format.extent375 p.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso restrito
dc.subjectFonoaudiologiapt
dc.subjectClassificações Em Saúdept
dc.subjectLinguagem Infantilpt
dc.subjectDesenvolvimento Infantilpt
dc.subjectClassificação Internacional De Funcionalidade, Incapacidade E Saúdept
dc.titleIndicadores de desenvolvimento de fala e linguagem na infância: a funcionalidade pela CIFpt
dc.typeTese de doutorado
dc.contributor.institutionUniversidade Federal de São Paulopt
dc.description.sourceDados abertos - Sucupira - Teses e dissertações (2020)
unifesp.campusSão Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM)pt
unifesp.graduateProgramDistúrbios da Comunicação Humana (Fonoaudiologia)pt
unifesp.knowledgeAreaComunicação Humana: Normalidade, Transtornos E Repercussõespt
unifesp.researchAreaDiagnóstico, Prevenção E Intervenção Nos Distúrbios De Linguagem E De Falapt
dc.audience.educationlevelDoutorado


Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record