Estudo da memória operacional em idosos sem perda auditiva e sem sinais de demência e suas relações com o nível socioeconômico e escolaridade

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2020-05-28
Autores
Vasconcelos, Renata Portal [UNIFESP]
Orientadores
Martinelli, Maria Cecilia [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
This research deals with the study of working memory in the elderly without hearing loss and without signs of dementia in relation to the processing of sound information, education and socioeconomic level. Due to the increase in the elderly population and the low educational level of the elderly, especially in developing countries such as Brazil, and its consequent impact on health and cognition, the need to conduct this study was observed. Since population aging is a universal phenomenon, justify conducting current research to obtain a better performance in the working memory of elderly people without dementia in developing countries and understanding the effects of auditory processing, depressive symptoms and demographic data (education and Socio-Economic Level). Objective: To study working memory in elderly people without hearing loss, without symptoms of depression and without severe depressive symptoms. Methodology: The study was approved by the Ethics and Research Committee of EPM / UNIFESP under number 013284/2019. This is a cross-sectional observational study. The research collection site was at the Integrated Center for Assistance, Research and Teaching in Hearing (NIAPEA), at the university hospital of Escola Paulista de Medicina UNIFESP. Fifty elderly people aged between 60 and 82 years were evaluated: mean ± SD: 68.44 ± 6.76, of both sexes (45 women - 90% and 5 men - 10%), without symptoms of dementia (scores in the CASI-S greater than 23 points: mean ± SD: 30.38 ± 2.10) of different educational levels from 2 to 22 years: (mean ± SD: 11.32 ± 5.11), with audibility thresholds of up to 25 dBHL of 250 at 4000 Hz, without severe depressive symptoms (EDG <11). The research protocol included: Liminal tonal audiometry, logoaudiometry, Gaps InNoise test (GIN), Sentence Recognition Threshold Noise Survey; WAIS-III vocabulary and cubes test, Operational Memory Assessment: direct and inverse order Digit span tests , Corsi blocks test, Visual Standards Test (TPV), Running Span, and quality of life assessment through Short Form-36 (SF-36). Statistical analysis included descriptive statistics and the study of correlation by calculating Pearson's correlation coefficient. The value of statistical significance adopted was equal to 5% (p ≤ 0.05). This study evaluated the relationship between cognitive performance with education, socioeconomic status and depressive symptoms, as well as audibility and cognitive performance variables. Results: There was a statistically significant and positive correlation between DVT and Education; TVP and ABEP; Digit Span - Direct and Education; Digit Span - Direct and ABEP and negative RunningSpan and LRSR - Average; Running Span and LSR - S / R Ratio; Digit Span –Direct and GIN - Threshold. Conclusion: The scores of the operational memory tests, excluding the Running Span, varied from 4 to 6. The higher the schooling and the Socio-Economic Level (ABEP) the better the performance in these from Visual Standard (TPV) and direct digit span. The higher (worse) the Sentence Recognition Limit and the signal-to-noise ratio, the lower the score (worse) in the Running Span test. The lower the GIN threshold, the greater the direct digit span. There was no correlation between working memory and depressive symptoms. Therefore, the working memory of elderly people without hearing loss and without dementia is influenced by auditory processing, education and socio-economic level.
A presente pesquisa trata do estudo da memória operacional em idosos sem perda auditiva e sem sinais de demência em relação ao processamento da informação sonora, à escolaridade e nível socioeconômico. Devido ao aumento da população de idosos e do baixo nível educacional de idosos, em especial em países em desenvolvimento como o Brasil, e seu consequente impacto na saúde e cognição observou-se a necessidade de realizar este estudo. Uma vez que o envelhecimento populacional é um fenômeno universal, justifica-se a realização da presente pesquisa a fim de melhor compreender a memória operacional de idosos sem demência de países em desenvolvimento e entender os efeitos do processamento auditivo, sintomas depressivos e variáveis sócio-demográficas (escolaridade e nível socioeconômico). Objetivo: Estudar a memória operacional em idosos sem perda auditiva, sem sintomas demência e sem sintomas depressivos graves. Metodologia: O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da EPM/UNIFESP sob o número 013284/2019. Trata-se de um estudo observacional transversal. O local de coleta da pesquisa foi no Núcleo Integrado de Assistência, Pesquisa e Ensino em Audição (NIAPEA), do hospital universitário da Escola Paulista de Medicina UNIFESP. Foram avaliados 50 idosos, com idade entre 60 e 82 anos: média±DP: 68,44±6,76, de ambos os sexos (sendo 45 mulheres - 90% e 5 homens - 10%), sem sintomas de demência (escores no CASI-S maior que 23 pontos : média±DP: 30,38±2,10) de diferentes escolaridades de 2 a 22 anos: (média±DP: 11,32±5,11), com limiares de audibilidade de até 25 dBNA de 250 a 4000 Hz, sem sintomas depressivos graves (EDG<11). O protocolo de pesquisa incluiu: Audiometria tonal Liminar, logoaudiometria, teste Gaps In Noise (GIN), Pesquisa do limiar de Reconhecimento de Sentenças no Ruído; prova de vocabulário e cubos do WAIS-III , Avaliaçāo de Memória Operacional: testes Digit span ordem direta e inversa, Teste de blocos de Corsi, Teste de Padrões Visuais (TPV), Running Span, e avaliação da qualidade de vida por meio do Short Form-36 (SF-36). A análise estatística incluiu as estatísticas descritivas e o estudo da correlação por meio do cálculo do coeficiente de correlação de Pearson . O valor de significância estatística adotado foi igual a 5% (p ≤ 0,05). Este estudo avaliou a relação entre o desempenho cognitivo com a escolaridade, nível socioeconômico e sintomas depressivos, bem como das variáveis de audibilidade e desempenho cognitivo. Resultados: Observou-se correlação estatisticamente significante e positiva entre TVP e Escolaridade; TVP e ABEP; Span de Dígitos – Direto e Escolaridade; Span de Dígitos – Direto e ABEP e negativa Running Span e LRSR – Média; Running Span e LSR – Relação S/R; Span de Dígitos – Direto e GIN – Limiar. Conclusão: Os escores dos testes de memória operacional, excluindo o Running Span, variaram de 4 a 6. Quanto maior a escolaridade e o Nível Sócio Econômico (ABEP) melhor o desempenho nos testes de Padrão Visual (TPV) e Span de dígitos direto. Quanto maior (pior) o Limiar de Reconhecimento de Sentenças e a relação sinal ruído menor o escore (pior) no teste Running Span. Quanto menor o limiar do GIN maior o Span de dígitos direto. Não houve correlação entre memória operacional e sintomas depressivos. Portanto, a memória operacional de idosos sem perda auditiva e sem demência é influenciada pelo processamento auditivo, escolaridade e nível socioeconômico.
Descrição
Citação