Show simple item record

dc.contributor.advisorBarros, Fabio Cury De [UNIFESP]
dc.contributor.authorOliveira, Josimaria Cardoso De [UNIFESP]
dc.date.accessioned2022-07-21T15:48:34Z
dc.date.available2022-07-21T15:48:34Z
dc.date.issued2020-05-25
dc.identifierhttps://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=9722469
dc.identifier.urihttps://repositorio.unifesp.br/xmlui/handle/11600/64135
dc.description.abstractMorphological variations in vertebrates can be influenced by sex hormones during embryonic development. The differential action of these hormones can promote dimorphic responses over well-known traits, such as digit length. The secondary effect of steroid hormones on digit length in tetrapods has been frequently investigated in the last two decades, especially the relationship between digits 2 and 4. In mammals – the most studied group –, the ratio between the length of digit 2 in relation to the length of digit 4 (digital ratio 2D: 4D) is sexually dimorphic, with higher values for females. In frogs this relationship is still controversial. Case studies show different scenarios for the anuran group: some species are not display sexual dimorphism in the 2D:4D ratio, while others have higher values in females or even higher values in males. However, hormonal secondary activity is not the only parameter that can influence digit length. In tetrapods, variation in digit length can be related to the different life habits observed in organisms – consequently related to the occupation of distinct microhabitats and locomotor functions. Therefore, patterns of digital length observed in different lineages can be the result of different functional commitments, whether in an adaptive process, or some other kind. This work investigated the evolution of the 2D:4D digital ratio in different groups of neotropical anurans, by testing the general hypothesis that the variation in the 2D:4D digital ratio may depend on several factors, such as body size, digit position on front or rear limbs, or species' life habit. Males and females of various species were measured on herpetological collections. The first chapter of the present work addressed this issue with few species, in order to discuss underlying processes and the role of the environment as an agent inducing phenotypic variation. The second chapter compared the variation pattern of the 2D:4D digital ratio in several lineages, in a phylogenetic comparative approach, being the first work to investigate the evolution of this trait in a broad scale for anurans.en
dc.description.abstractAs variações morfológicas em vertebrados podem ser mediadas pela ação de hormônios sexuais durante o desenvolvimento embrionário. A ação diferencial desses hormônios pode promover respostas dimórficas sobre características bastante conhecidas, como o comprimento dos dígitos. O efeito secundário dos hormônios esteroides sobre o comprimento dos dígitos em tetrápodes tem sido investigado com frequência nas últimas duas décadas, principalmente a relação entre os dígitos 2 e 4. Em mamíferos – grupo mais frequentemente estudado –, a divisão dos valores expressos pelo comprimento do dígito 2 em relação ao comprimento do dígito 4 (razão digital 2D:4D) é sexualmente dimórfica, com valores maiores para fêmeas. Para anuros essa relação ainda é bastante controversa. Estudos de caso mostram diferentes cenários para o grupo: algumas espécies não possuem dimorfismo sexual na razão 2D:4D, enquanto outras possuem maiores valores em fêmeas ou ainda maiores valores em machos. Contudo, o efeito secundário hormonal não é o único parâmetro que pode influenciar no comprimento total dos dígitos. Em tetrápodes a variação nos comprimentos dos dígitos pode se relacionar aos diferentes hábitos de vida observados nos organismos – consequentemente relacionados à ocupação de microhabitats diversos e funções locomotoras distintas. Portanto, os diferentes padrões de comprimento digital podem ser resultado de diferentes compromissos funcionais, seja num processo adaptativo, ou de outra natureza. Este trabalho investigou a evolução da razão digital 2D:4D em diferentes grupos de anfíbios anuros de distribuição neotropical, testando a hipótese geral de que o padrão de razão digital 2D:4D pode variar em função de diferentes fatores, como o tamanho corpóreo, seu posicionamento nos membros dianteiros ou traseiros ou ainda em relação ao hábito de vida das espécies. Machos e fêmeas de diferentes espécies foram medidos a partir da visita a coleções herpetológicas. O primeiro capítulo do trabalho abordou a questão de forma pontual e envolvendo poucas espécies, discutindo o processo e o papel do ambiente como agente indutor de variação fenotípica. O segundo capítulo do trabalho comparou o padrão de variação da razão digital 2D:4D em diversas linhagens, em uma abordagem comparativa filogenética, sendo o primeiro estudo a investigar a evolução dessa característica de forma ampla no grupo dos anfíbios anuros.pt
dc.format.extent115 p.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso restrito
dc.subjectAmphibiaen
dc.subjectSexual Dimorphismen
dc.subjectAutopoden
dc.subjectMorphologyen
dc.subjectEcomorphologyen
dc.subjectHabiten
dc.subjectAmphibiapt
dc.subjectDimorfismo De Razão Digitalpt
dc.subjectMorfologiapt
dc.subjectAutopódiopt
dc.subjectHábitopt
dc.titlePadrões e implicações na evolução da razão digital 2D:4D em anuros neotropicaispt
dc.typeDissertação de mestrado
dc.contributor.institutionUniversidade Federal de São Paulopt
dc.description.sourceDados abertos - Sucupira - Teses e dissertações (2020)
unifesp.campusDiadema, Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticaspt
unifesp.graduateProgramEcologia e Evoluçãopt
unifesp.knowledgeAreaEcologia E Evoluçãopt
unifesp.researchAreaPadrões E Processos Ecológicospt
dc.audience.educationlevelMestrado


Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record