Toxicidade do Acenafteno e Benzo(a)Pireno sobre comunidades de meiofauna sob cenários futuros de aquecimento e acidificação

Imagem de Miniatura
Data
2021-11-12
Autores
Portugal, Marcella Christina Soares [UNIFESP]
Orientadores
Choueri, Rodrigo Brasil [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
As mudanças climáticas vêm sendo determinantes para a resiliência dos ecossistemas marinhos e, principalmente, costeiros. Devido ao enorme valor econômico e ecológico, as zonas costeiras são impactadas diretamente pelo aumento gradual das concentrações de CO2 antropogênico que resultam na alteração das temperaturas média, aquecendo o meio aquoso, da acidificação costeira. Ambientes costeiros também são afetados por outros fatores, como a contaminação costeira. Os Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos (HPAs) são contaminantes que possuem alta biodisponibilidade no ambiente costeiro, devido a presença de sedimentos finos que acabam retendo maior teor de contaminantes. Esses habitats sedimentares possuem ampla diversidade de organismos, dentre eles, a meiofauna que possui uma grande abundância e desempenha diversas funções no sedimento. No presente estudo, a relação entre as mudanças climáticas e a toxicidade de HPAs no sedimento foi analisada. A meiofauna foi exposta usando microcosmos controlados em laboratório de acordo com os seguintes tratamentos: concentração de HPAs (HPA) (Acenafteno e Benzo(a)pireno), controle negativo (C) e controle acetona (CA), em ambientes aquecidos (26ºC e 27ºC) e acidificados (pH 8.1 e 7.6), durante 14 dias. A meiofauna foi caracterizada segundo a sua densidade. Os dados foram analisados através da PERMANOVA unifatorial, a fim de observar interações entre temperatura, pH e contaminação. A temperatura causou um aumento da abundância aos gêneros de Nematoda, Sphaerotheristus e Sabatieria e uma diminuição na abundância dos gêneros Pseudochromadora e Daptonema e nos taxa Copepoda e “náuplios”. A acidificação teve efeito de inibição da expressão do aumento na abundância à temperatura no caso dos Nematoda e de diminuição das abundâncias populacionais para Copepoda e “náuplios”. Já Ostracoda mostrou um aumento na abundância quando exposto ao cenário de acidificação. A contaminação por Acenafteno e Benzo(a)pireno provocou aumento na abundância de “Turbellaria” e diversos gêneros de Nematoda, como Pseudochromadora. Daptonema foi o único que apresentou diminuição na abundância contaminação. Foi possível observar e sugerir que as mudanças induzidas pela acidificação, aquecimento e contaminação nas comunidades bentônicas serão impulsionadas pela vulnerabilidade e limites de tolerância de cada indivíduo e entre os diferentes grupos taxonômicos, além de efeitos indiretos que ocorrem nas assembleias de Nematoda.
Climate change has been decisive for the resilience of marine and, mainly, coastal ecosystems. Due to the enormous economic and ecological value, coastal zones are directly impacted by the gradual increase in anthropogenic CO2 concentrations that result in the change in average temperatures, warming the aqueous medium, from coastal acidification. Coastal environments are also affected by other factors such as coastal contamination. Polycyclic Aromatic Hydrocarbons (PAHs) are contaminants that have high bioavailability in the coastal environment, due to the presence of fine sediments that end up retaining a higher content of contaminants. These sedimentary habitats have a wide diversity of organisms, among them, the meiofauna that has a great abundance and performs several functions in the sediment. In the present study, the relationship between climate change and the toxicity of PAHs in the sediment was analyzed. Meiofauna was exposed using laboratory controlled microcosms according to the following treatments: concentration of PAHs (HPA) (Acenaphthene and Benzo(a)pyrene), negative control (C) and acetone control (CA), in heated environments (26ºC and 27ºC) and acidified (pH 8.1 and 7.6), for 14 days. Meiofauna was characterized according to its density. Data were analyzed using one-factor PERMANOVA in order to observe interactions between temperature, pH and contamination. The temperature caused an increase in the abundance of the genera of Nematoda, Sphaerotheristus and Sabatieria and a decrease in the abundance of the genera Pseudochromadora and Daptonema and in the taxa Copepoda and “nauplii”. Acidification had an effect of inhibiting the expression of the increase in abundance at temperature in the case of Nematoda and decreasing the population abundances for Copepoda and “nauplii”. Ostracoda showed an increase in abundance when exposed to the acidification scenario. Contamination by Acenaphthene and Benzo(a)pyrene caused an increase in the abundance of “Turbellaria” and several genera of Nematoda, such as Pseudochromadora. Daptonema was the only one that showed a decrease in abundance to contamination. It was possible to observe and suggest that changes induced by acidification, heating and contamination in benthic communities will be driven by the vulnerability and tolerance limits of each individual and between different taxonomic groups, in addition to indirect effects that occur in Nematoda assemblages.
Descrição
Citação
PORTUGAL, Marcella Christina Soares. Toxicidade do Acenafteno e Benzo(a)Pireno sobre comunidades de meiofauna sob cenários futuros de aquecimento e acidificação. 2021. 72 f. Dissertação (Mestrado em Biodiversidade Marinha e Costeira) - Instituto do Mar, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2021.