Análise de marcadores imuno-histoquímicos de identificação dos tumores de células germinativas do testículo e sua interferência na espermatogênese

Imagem de Miniatura
Data
2021-11-23
Autores
Xavier, Rosana [UNIFESP]
Orientadores
Fraietta, Renato [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Objective: To analyze whether overexpressed proteins in seminal plasma of men af-fected with testicular germ cell tumor (TGCT) can also predict altered levels in testicu-lar tissue in areas affected by TGCT and non tumoral, and if there is a difference in this expression between seminomatous and non-seminomatous tumor subtypes. Methods: We compared the intensity of different markers (GP2, GSH2, CD14, APOA1 and B4GALT) quantified by immunohistochemistry, and their relationship with different tissues (seminoma, non-seminoma and non tumoral/control) through multinomial and simple logistic regression. Results: The B4GALT1 marker showed a significant difference between non-tumor and non-seminoma tissues (p < 0.01); the GSH2 marker, among the different proteins analyzed, was the only one that was sta-tistically significant to predict the tissue type among the three comparisons, manag-ing to differentiate seminoma from non-seminoma (p < 0.01) and non-tumor tissue from seminoma (p < 0.01); the GP2 marker was statistically significant between non-tumor tissues and both tumors, seminoma and non-seminoma (p < 0.001); the APOA1 marker showed difference only between non-tumor tissue and seminoma (p < 0.001); the CD14 marker did not obtain a significant result, as well as the analysis of the markers considering the variables analyzed by HE. Conclusion: Although the analyzed markers APOA1, B4GALT1, CD14, GP2 and GSH2 were not able to predict fertile potential they were considered possible biomarker proteins, with specificity in differentiating peri-tumoral tissue, seminoma and non-seminoma.
Objetivo: Analisar se as proteínas APOA1, B4GALT, CD14, GP2 e GSH2, hiperexpressas no plasma seminal de homens acometidos com tumor testicular de células germinativas (TCGT) também podem predizer níveis alterados no tecido testicular nas áreas acometidas pelo TCGT e não tumorais e se há diferença dessa expressão entre os subtipos tumorais seminomatosoe não-seminomatoso. Métodos: Foi realizada uma comparação em relação à intensidade dos diferentes marcadores (GP2, GSH2, CD14, APOA1 e B4GALT) quantificados por imuno-histoquímica, e sua relação com diferentes tecidos (seminoma, não seminoma e não tumoral/controle) através da regressão logística multinominal e simples. Resultados: O marcador B4GALT1 apresentou diferença significativa entre tecidos não-tumorais e não-seminomatoso p < 0.01); o marcador GSH2, dentre as diferentes proteínas analisadas, foi o único que foi estatisticamente significante para predizer o tipo de tecido entre as três comparações, conseguindo diferenciar seminoma de não-seminoma (p < 0.01) e tecido não tumoral de seminoma p < 0.01); o marcador GP2 apresentou significância estatística entre tecidos não tumorais e ambos os tumores, seminoma e não seminoma p < 0.001); o marcador APOA1 apresentou diferença somente entre tecido não-tumoral e seminoma (p < 0.001); o marcador CD14 não obteve resultado significante, assim como a análise dos marcadores considerando as variáveis analisadas pelo HE. Conclusão: Embora os marcadores analisados APOA1, B4GALT1, CD14, GP2 e GSH2 não foram capazes de predizer o potencial fértil de homens acometidos com TCGT, eles foram considerados possíveis proteí-nas biomarcadores, com especificidade em diferenciar tecido não tumoral, semino-ma e não-seminoma.
Descrição
Citação