Atrito em Recife: o embate cultural entre o discurso tradicional de Ariano Suassuna e o manguebeat de Chico Science

Imagem de Miniatura
Data
2022
Autores
Nepomuceno, Pedro Ivo Montes
Orientadores
Rufino, Marcos Pereira
Tipo
Trabalho de conclusão de curso de graduação
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
O presente trabalho visa analisar o conflito cultural que se estabeleceu na década de 90, envolvendo o movimento armorial (tendo Ariano Suassuna como seu maior representante) e o manguebeat, movimento que surge em Recife e engloba vários estilos nacionais e internacionais; como o samba, pop, rock e hip-hop. Tem como seu maior mentor o grupo Chico Science e Nação Zumbi. O movimento armorial possui um discurso de defesa da tradicionalidade. Esta narrativa já foi exposta outras vezes na história do país. Um dos objetivos do trabalho é explorar como se cria essa argumentação feita por Suassuna em defesa da “tradição” e quais categorias estão por trás desse discurso. Também expor conceitos antropológicos que englobam esse atrito. Será explorado alguns conceitos chave como o de “tradição” e autores como Adam Kuper, Hobsbawn, Terence Ranger, Franz Boas, Roy Wagner e Mary Douglas.
Descrição
Citação
Atrito em Recife: O embate cultural entre o discurso tradicional de Ariano Suassuna e o manguebeat de Chico Science