Associação entre o consumo de carnes vermelhas e dos grupos de alimentos segundo o grau de processamento: resultados da Pesquisa de Orçamento Familiar 2017-2018 no Brasil

Imagem de Miniatura
Data
2022-02-10
Autores
Araujo, Karolyn Pacheco [UNIFESP]
Martins, Nicolly Baião [UNIFESP]
Orientadores
Steluti, Josiane [UNIFESP]
Tipo
Trabalho de conclusão de curso de graduação
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
OBJETIVO: Estudar a associação entre o consumo de carnes vermelhas com o grau de processamento industrial dos alimentos de acordo com as cinco macrorregiões e as condições sociodemográficas do Brasil. MÉTODO: Estudo transversal com dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017-2018. A amostra representativa da população brasileira com 10 ou mais anos de idade envolveu 46.164 indivíduos. O consumo alimentar foi avaliado com dados de dois recordatórios de 24 horas coletados em dias não consecutivos. Outros detalhes sobre a coleta de dados podem ser obtidos nas publicações do Instituto de Geografia e Estatística (2020). A adequação de carne vermelha considerou a recomendação de 50 a 71 g/dia, enquanto os alimentos foram divididos em 4 grupos de acordo com a classificação NOVA com base no grau de processamento, adotada pelo Guia Alimentar da População Brasileira: (1) alimentos in natura ou minimamente processados; (2) ingredientes culinários processados; (3) alimentos processados; (4) alimentos ultraprocessados. Por fim, foi analisada a associação entre os níveis de adequação do consumo de carnes vermelhas e dos alimentos segundo o grau de processamento no software Stata versão 14.0. RESULTADOS: O consumo alimentar médio per capita de carnes vermelhas pela população brasileira (154,6 g) ultrapassou em duas vezes o limite máximo recomendado; além disso a inadequação do consumo de carnes vermelhas acima ou abaixo da recomendação foi de 37,7% e 54,4%, respectivamente. O consumo excessivo foi prevalente no sexo masculino, entre adultos, com maior rendimento total per capita, da região Centro-Oeste. Por outro lado, o consumo abaixo do recomendado foi predominante no sexo feminino, em idosos, com menor poder aquisitivo, da região Nordeste; os dados revelam, ainda, uma menor participação relativa (%) de alimentos in natura e minimamente processados e maior de ultraprocessados neste grupo de adequação. CONCLUSÃO: Os resultados demonstraram uma relação entre o consumo de carnes vermelhas abaixo do recomendado e maior prevalência do consumo de ultraprocessados na dieta dos brasileiros. Esse cenário é preocupante devido aos desfechos negativos à saúde, demonstrando a importância de políticas públicas e da atuação do Nutricionista na garantia de uma alimentação adequada e saudável.
Descrição
Citação
ARAUJO, Karolyn Pacheco; MARTINS, Nicolly Baião. Associação entre o consumo de carnes vermelhas e dos grupos de alimentos segundo o grau de processamento: resultados da Pesquisa de Orçamento Familiar 2017-2018 no Brasil. 2022. 51 f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Nutrição) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2022.
Coleções