A inclusão da sustentabilidade na agenda da política de desenvolvimento econômico chinesa, seus impactos para o Brasil e para o setor de energias renováveis

Imagem de Miniatura
Data
2022
Autores
Costa, Richard Campos [UNIFESP]
Orientadores
Pecequilo, Cristina Soreanu [UNIFESP]
Tipo
Trabalho de conclusão de curso de graduação
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Durante as duas décadas já decorridas do século XXI o crescimento econômico e político da República Popular da China tem colocado cada vez mais o país como um dos protagonistas e principais líderes do sistema internacional. Ao mesmo tempo, as pautas ambientais e o combate as mudanças climáticas decorrentes do aquecimento global ganham cada vez mais atenção em fóruns multilaterais, geralmente promovidos por organizações e instituições internacionais como a ONU, G20, Banco Mundial etc. Por conseguinte, também é observado o movimento dos países (em especial nações desenvolvidas) para criar políticas e formas de desenvolvimento sustentável onde surgem temas como a neutralidade de carbono e a transição energética. Este artigo tem como objetivo analisar a priori a relação da China com a incorporação da pauta ambiental em sua política nacional em prol do crescimento científico e tecnológico e da transição energética, seguindo com a análise da aplicação do conceito de desenvolvimento sustentável em sua política externa, passando pela elaboração de diretrizes para investimentos internacionais diretos e entendendo quais os impactos disso para a comunidade internacional. Por fim, a análise deste trabalho busca compreender a posição estratégica do Brasil nesse contexto, inferindo suas capacidades no tocante ao desenvolvimento sustentável e práticas de energias limpas através do setor de energias renováveis que lhe garantem posição privilegiada no debate e quais oportunidades se consolidam para o país, em especial em sua relação com a China para cooperações comerciais e tecnológicas.
During both already passed decades in the XXI century the People’s Republic of China economic and political growth has increasingly placed the country as one of the protagonists and main leaders of the international system. At the same time, the environmental agenda and the fight against climate change, as a result of rising levels in global warming, are brought to attention in many multilateral forums, usually promoted by international organizations and institutions such as the United Nations, G20, World Bank, etc. Therefore, there is a global movement (especially in the developed world) towards policies and sustainable development ways in which themes like carbon neutrality and energy transition arise. This paper aims to analyze at first China’s relation with the incorporation of the green agenda in its national policy for scientific and technological growth and its energy transition, followed by the analysis of how sustainable development is applied in the country’s foreign policy through the elaboration of guidelines for FDIs (Foreign Direct Investments) and understanding the impacts for the international community. Ultimately, this paper’s review seeks to understand Brazil’s strategic position in this context, inferring its capabilities regarding sustainable development and clean energy use through the renewable energy sector which reinforces its privileged position in the discussion and what opportunities are presented to the country, in particular on its relationship with China concerning commercial and technological cooperation.
Descrição
Citação
COSTA, Richard Campos. A inclusão da sustentabilidade na agenda da política de desenvolvimento econômico chinesa, seus impactos para o Brasil e para o setor de energias renováveis. 2022. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Relações Internacionais) - Universidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Política, Economia e Negócios, Osasco, 2022.