O racismo na adolescência e o serviço social: desafios para o serviço de convivência e fortalecimento de vínculos

Imagem de Miniatura
Data
2021-10-19
Autores
Rodrigues, Ana Paula Gil [UNIFESP]
Orientadores
Silva, Maria Liduina de Oliveira e [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Esta pesquisa tem como objetivo principal analisar como o racismo está presente na vida dos/as adolescentes negros e negras nos espaços institucionais dos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculo, bem como averiguar a compreensão dos/as profissionais de Serviço Social perante a realidade posta. Com isso, pretende-se fomentar a garantia da igualdade racial e direitos sociais, perante o racismo presente no contexto de reprodução das relações sociais dominantes, conservadoras e preconceituosas. O percurso metodológico envolveu a pesquisa baseada em referenciais bibliográficos que possibilitaram a compreensão e explanação do tema abordado e a pesquisa de campo amparada por uma abordagem qualitativa, mediante a qual foram levantados conteúdos das vivências dos/as adolescentes negros e negras em relação ao racismo, por meio de entrevista semiaberta, considerada uma importante técnica de investigação social, que contribuiu para que os/as mesmos/as pudessem expressar suas experiências e entendimentos. A pesquisa de campo também envolveu os/as profissionais de Serviço Social que atuam nos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, por meio de um levantamento de suas vivências e percepções quanto à temática abordada. A aproximação com as realidades relatas pelos/as adolescentes negros e negras conduz à reflexão de como o racismo é presente e naturalizado em atitudes cotidianas que perpassam o contexto de suas vivências. O contato com os/as profissionais de Serviço Social demonstra o quanto a questão racial necessita ser trabalhada no sentido de conduzir os/as mesmos/as a construírem uma compreensão que ultrapasse a esfera individual quanto ao reconhecimento do racismo, levando-os/as a exercerem uma atuação que efetive o enfrentamento e combate ao racismo. Conclui-se que muitos dos/as adolescentes negros e negras que frequentam os Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos enfrentam cotidianamente práticas racistas e, a fim de que tais serviços passem a verdadeiramente proteger e valorizar o referido público, é necessário o urgente comprometimento dos/as profissionais no enfrentamento e combate ao racismo.
The main objective of this research is to analyze how racism, as a product of a capitalist society, is present in the lives of black adolescents in institutional spaces of the Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (Coexistence and Strengthening of Relationships Services), as well as verifying the understanding of Social Work professionals regarding the reality presented. In so doing, it is intended to promote the guaranteeof racial equality and social rights, in the face of racism present in the context of reproduction of dominant, conservative and prejudiced social relations. The methodological path involved research based on bibliographic references that allowed the understanding and explanation of the theme addressed, and field research supported by a qualitative approach, through which the contents of the experiences of black adolescent males and females were surveyed in relation to racism through semi-open interviews, considered an important technique of social research, which contributed so that they could express their experiences and understandings. The field research also involved Social Service professionals who work in the Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (Coexistence and Strengthening of Relationships Services), by means of a survey of their experiences and perceptions regarding the topic addressed. The approach to the realities reported by black adolescents leads to reflection on how racism is present and naturalized in everyday attitudes that permeate the context of their lives. The contact with Social Service professionals demonstrates how much racial issue needs to be worked on in order to lead them to build an understanding that goes beyond the individual sphere as to the recognition of racism, guiding them to actions that effectively confront and combat racism. It is concluded that many of the black adolescents who attend the Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (Coexistence and Strengthening of Relationships Services) face daily racist practices and, in order for these services to truly protect and value this public, the urgent commitment of professionals to confront and combat racism is needed
Descrição
Citação
RODRIGUES, Ana Paula Gil. O racismo na adolescência e o serviço social: desafios para o serviço de convivência e fortalecimento de vínculos. 2021. 155 f. Dissertação (Mestrado em Serviço Social e Políticas Sociais) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2021.