Show simple item record

dc.contributor.advisorGil, Cristiane Damas [UNIFESP]
dc.contributor.authorCosta, Diego da Silva [UNIFESP]
dc.coverage.spatialUniversidade Federal de São Paulopt_BR
dc.date.accessioned2021-11-30T18:05:57Z
dc.date.available2021-11-30T18:05:57Z
dc.date.issued2021
dc.identifier.urihttps://repositorio.unifesp.br/xmlui/handle/11600/62372
dc.description.abstractIntrodução: A cisplatina é um agente antineoplásico amplamente utilizado e relacionado com a perda auditiva bilateral e irreversível em pacientes, bem como hepatotoxicidade. Estes efeitos deletérios estão associados à produção de espécies reativas de oxigênio que desencadeiam toxicidade e morte celular. Nesse contexto, destacamos as galectinas-1 e -3 (Gal-1 e Gal-3), proteínas ligantes de β-galactosídeos e que possuem efeitos antagônicos relacionadas à resposta inflamatória e regulação do estresse oxidativo. Entretanto, seus papeis não estão bem determinados em modelos de toxicidade tecidual. Objetivo: Avaliar o padrão de expressão das Gal-1 e Gal-3 na orelha interna e no fígado utilizando modelo experimental de toxicidade induzida pela cisplatina. Métodos: Ratos Wistar machos foram distribuídos em dois grupos experimentais (n = 5 animais/grupo): Controle (SHAM) - recebeu salina estéril; Cis - recebeu via intraperitoneal uma dose de cisplatina (10 mg/kg) por dia, totalizando um tratamento de 30 mg/kg em 3 dias. Resultados: Na orelha interna, a expressão da Gal-1 foi observada nas células de sustentação e pilosas do órgão espiral, estroma da estria vascular, células satélites dos neurônios e fibras nervosas. Diferentemente, a Gal-3 mostrou forte imunorreatividade no labirinto ósseo da orelha interna e não foi detectada nas estruturas do ducto coclear. Ambas as proteínas não mostraram alterações na expressão entre os grupos Controle e Cis. No fígado, a cisplatina danificou os cordões de hepatócitos, efeito associado à diminuição da expressão da Gal-1. A Gal-3 apresentou baixa imunorreatividade nos hepatócitos em ambas as condições experimentais, entretanto, no grupo Cis notamos a presença de muitas células positivas para esta proteína nos capilares sinusoides, possivelmente células de Kupffer. Conclusão: Os efeitos deletérios da cisplatina na orelha não estão associadas à modulação da expressão das Gal-1 e Gal-3. No fígado, a redução da expressão da Gal-1 possivelmente está associada à perda de seu papel protetivo neste órgão.pt_BR
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)pt_BR
dc.format.extent38 f.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulopt_BR
dc.rightsAcesso abertopt_BR
dc.subjectOtotoxicidadept_BR
dc.subjectHepatotoxicidadept_BR
dc.subjectImuno-histoquímicapt_BR
dc.subjectPerda auditivapt_BR
dc.subjectRatos Wistarpt_BR
dc.titleEstudo da expressão das galectinas-1 e -3 em modelo de toxicidade induzida pela cisplatina em ratopt_BR
dc.title.alternativeStudy of the expression of galetins-1 and -3 in a cysplatin-induced toxicity model in ratsen
dc.typeTrabalho de conclusão de curso de graduaçãopt_BR
unifesp.campusEscola Paulista de Medicina (EPM)pt_BR
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/4652490242578989pt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/6047408996026135pt_BR
dc.contributor.advisor-coConceição, Izabella Lice [UNIFESP]
dc.contributor.advisor-coLatteshttp://lattes.cnpq.br/7418319239427910pt_BR
unifesp.graduacaoFonoaudiologiapt_BR


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record