Show simple item record

dc.contributor.advisorSilva, Lucía [UNIFESP]
dc.contributor.authorFonseca, Raysa Abreu [Unifesp]
dc.date.accessioned2021-11-25T14:05:10Z
dc.date.available2021-11-25T14:05:10Z
dc.date.issued2020
dc.identifier.citationFonseca, R. A caracterização de crianças e adolescentes com comportamento suicida. São Paulo, 2020.18 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Enfermagem) - Escola Paulista de Enfermagem (EPE), Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). São Paulo, 2020.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.unifesp.br/xmlui/handle/11600/62296
dc.description.abstractIntrodução. Na infância, as taxas de suicídio e de tentativas vêm crescendo em todo o mundo, inclusive no Brasil. Pesquisas vêm sendo realizadas apontando a natureza multifatorial do fenômeno, como fatores familiares, ambientais e individuais. Objetivo. Identificar o perfil de crianças e adolescentes com comportamento suicida. Método. Trata-se de parte de estudo mais amplo, descritivo, com abordagem quantitativa, realizado no Ambulatório de Desenvolvimento Integral da Criança e do Adolescente do Departamento de Psiquiatria da Universidade Federal de São Paulo. Os participantes foram treze crianças e adolescentes de 10 a 18 anos de idade, ambos os sexos, com comportamento suicida. Após parecer favorável do Comitê de Ética em Pesquisa, os dados foram coletados por meio de instrumento pré-elaborado e analisados por estatística descritiva. Resultados. Evidenciou-se que 53,85% tinham entre 16 e 17 anos de idade, 69,23% eram do sexo feminino, 46,15% se declararam evangélicos, 61,54% praticantes de alguma religião, todos eram estudantes e 38,46% estavam entre o 9º ano do ensino fundamental e a 1ª série do ensino médio. Em relação aos dados clínicos, 61,54% tinham depressão, 30,77% foram diagnosticados entre 9 e 12 anos, todos estavam em uso de medicamentos psicotrópicos, 61,54% tinham outro problema de saúde associado e 76,92% não faziam uso de drogas lícitas e ilícitas. No tocante ao comportamento suicida, todos apresentaram ideação suicida, 92,31% haviam realizado planejamento para atentar contra a própria vida e 53,85% haviam tentado o suicídio. Conclusões. O suicídio é uma questão de saúde pública que tem acometido a população mais jovem, sendo que metade das crianças e dos adolescentes deste estudo realizou uma tentativa de suicídio e colocou sua vida em risco. Esta caracterização possibilitará o planejamento de intervenções mais efetivas junto a essa população específica.pt_BR
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)pt_BR
dc.format.extent18 f.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulopt_BR
dc.rightsAcesso restritopt_BR
dc.subjectSuicídiopt_BR
dc.subjectTentativa de suicídiopt_BR
dc.subjectCriançapt_BR
dc.subjectAdolescentept_BR
dc.subjectSaúde mentalpt_BR
dc.subjectPsiquiatriapt_BR
dc.subjectTranstornos mentaispt_BR
dc.subjectComportamento suicidapt_BR
dc.titleCaracterização de crianças e adolescentes com comportamento suicidapt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de curso de graduaçãopt_BR
unifesp.campusEscola Paulista de Enfermagem (EPE)pt_BR
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/2441353835159298pt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/5757806649763551pt_BR
unifesp.graduacaoEnfermagempt_BR


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record