Modernização não é Mole(s): rádio e produção cultural em São Paulo, 1937-1962

Imagem de Miniatura
Data
2020-12-14
Autores
Ankava, Matan
Orientadores
Costa, Wilma Peres
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
O presente trabalho tem por objetivo investigar a trajetória profissional de Osvaldo Moles (1913-1967), centrando-se em sua atuação radiofônica, entre fins dos anos 1930 e início dos anos 1960. Produtor cultural destacado, com envolvimento em diferentes ambientes artísticos e meios de comunicação, a obra de Moles teve no rádio seu principal palco - coincidindo com o período no qual a radiodifusão atingiu seu ápice no país, evidenciado pela caracterização da época como a Era do Rádio. A reconstituição da trajetória de Moles revelou suas contribuições para o desenvolvimento da indústria radiofônica e, sobretudo, o papel que teve nos processo de massificação cultural. Mais que a cooptação, de artistas e do público, pelas forças hegemônicas, política e financeiramente, o estudo da carreira e da obra molesiana revelou o jogo complexo de projetos e interesses políticos, econômicos e culturais que agiram no seio dos principais meios de comunicação. Marcado por tensões e conciliações, este ambiente requeria que seus profissionais atendessem a demandas comerciais, mas também lhes oferecia um alcance inédito, capaz de aproximar, e envolver, as classes populares na produção cultural. Desta forma, a cultura massificada se constitui como campo polissémico, com múltiplos sentidos e significados, políticos e culturais.
Descrição
Citação
Coleções