Efeitos do treinamento autógeno sobre a variabilidade da frequência cardíaca na perspectiva dos índices não lineares

Imagem de Miniatura
Data
2021-09
Autores
Silva, Victoria Yanara Hernandes da [UNIFESP]
Orientadores
Silva, Talita Dias da [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Objetivo: O presente estudo pretendeu analisar os efeitos de uma técnica de relaxamento denominada treinamento autógeno, na variabilidade da frequência cardíaca não linear, com a hipótese de que o relaxamento em questão é capaz de promover maior sinergismo entre o sistema nervoso simpático e o parassimpático, evitando assim altos níveis de estresse e complicações futuras. Métodos: Foi realizado um estudo clínico controlado, não randomizado, aberto e transversal, com 19 participantes que realizaram uma única sessão de treinamento autógeno. Resultados: Os resultados mostram que ambos os grupos (experimental e placebo) tiveram valor de e às vezes marginalmente significativo. Essa consequência instiga a seguinte questão: o treinamento autógeno proporciona um estado de relaxamento apenas em razão do efeito placebo? Conclusão: De acordo com o estudo, conclui- se que durante o treinamento autógeno não houve aumento na resposta caótica, além de não haver melhora no sinergismo entre o sistema nervoso simpático e o parassimpático.
Objective: The present study intended to analyze the effects of a relaxation technique called autogenic training, on nonlinear heart rate variability, with the hypothesis that the relaxation in question is capable of promote greater synergism between the sympathetic and the parasympathetic nervous system, thus avoiding high levels of stress and future complications. Methods: To this end, a controlled, non-randomized, open and cross-sectional clinical study was conducted, with 19 participants who underwent a single session of autogenic training. Results: The results show that both groups (experimental and placebo) had - and sometimes marginally significant. This consequence instigates the following question: does autogenic training AT provide a state of relaxation only by reason of the placebo effect? Conclusion: According to the study, it is concluded that during the autogenic training there was no increase in the chaotic response, in addition to no improvement in the synergism between the sympathetic and the parasympathetic nervous system.
Descrição
Citação