Serviço Social

URI Permanente para esta coleção

Navegar

Submissões Recentes

Agora exibindo 1 - 5 de 307
  • Item
    Acessibilidade como ferramenta de inclusão: o direito e a realidade de pessoas com deficiência e os desafios para o Serviço Social
    (Universidade Federal de São Paulo, 2024-06-06) Pacheco, Mariana Azevedo [UNIFESP]; Montenegro, Rosiran Carvalho de Freitas [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/0480236626426753; https://lattes.cnpq.br/8201763388246974; Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
    Esta pesquisa tem como foco compreender os principais aspectos para a inclusão de pessoas com deficiência na sociabilidade, com ênfase na acessibilidade. Desse modo, o objetivo geral é analisar a acessibilidade como principal ferramenta de inclusão para pessoas com deficiência, enquanto os objetivos específicos visam a reflexão sobre o lugar das pessoas com deficiência na história, os marcos históricos de suas lutas e conquistas por direitos, os mecanismos inclusivos no campo do direito e da realidade, as expressões do capacitismo e o papel de assistentes sociais diante dessa temática. Trata-se de uma pesquisa de cunho qualitativo, munida do método histórico-dialético, que conta com Pesquisa documental, Pesquisa histórica e Pesquisa de campo, onde nesta última foram realizadas duas entrevistas com uso de roteiro semiestruturado para compreender a acessibilidade e suas nuances na vida de pessoas com deficiência. A partir dos levantamentos realizados, foi possível argumentar sobre a centralidade da acessibilidade frente a luta pela inclusão.
  • Item
    Trabalho de assistentes sociais em rompimentos de barragens: contribuições para a garantia de direitos da população atingida em Mariana, MG
    (Universidade Federal de São Paulo, 2024-06-06) Toledo, Dalila Maia de [UNIFESP]; Diniz, Tânia Maria Ramos de Godoi [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/0843643148488988; http://lattes.cnpq.br/6019133849079453; Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
    No Brasil, a expansão das mineradoras de ferro, a partir da segunda metade do século XX, significou um impacto expressivo na economia do país, especialmente no Estado de Minas Gerais. Entretanto, o alargamento da atividade minerária e exploração de ferro em terras mineiras resultou em uma minério-dependência até os dias atuais. Em cidades como Mariana/MG, questões envolvendo a ação de mineradoras marcam o desenvolvimento do município, não somente pela empregabilidade e mudanças nas condições de vida até certo momento histórico, mas também pela alteração abrupta causada pelo rompimento da Barragem de Fundão, em novembro de 2015. Situações de calamidade pública após rompimento de barragens se relacionam intrinsecamente com as especificidades do modo de produção capitalista e de exploração da classe trabalhadora. Ainda, as expressões da desigualdade que atingem o cotidiano da população atingida se concatenam para além da oposição entre burguesia e proletariado, mas também sob a ótica das questões de gênero, raça e etnia. É campo de atuação do Serviço Social o trabalho desenvolvido para a garantia de direitos dos atingidos por um rompimento de barragem, além, inclusive, da perspectiva de atuação no planejamento de políticas públicas que interrompam e/ou diminuam a possibilidade de uma ruptura de barragem de minério. Este trabalho de conclusão de curso tem como objetivo discutir a importância da atuação de Assistentes Sociais em situações de calamidade pública após rompimento de barragem, discorrendo criticamente sobre as implicações do sistema capitalista no agravamento de rompimentos e demonstrando a contribuição significativa pautada no Projeto Ético Político da profissão.
  • Item
    Saúde do Trabalhador e Serviço Social: Os desafios do trabalho profissional no cuidado à saúde de trabalhadores públicos do município de Santos
    (Universidade Federal de São Paulo, 2024-06-06) Silva, Gabriella Cristina Ribeiro da [UNIFESP]; Montenegro, Rosiran Carvalho de Freitas [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/0480236626426753; http://lattes.cnpq.br/4919011257116403; Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
    A pesquisa apresenta os desafios do trabalho profissional de assistentes sociais no cuidado à saúde de trabalhadores, abordando os aspectos neoliberais como instrumento utilizado pelo capital em busca da extração máxima de lucro, resultando nas más condições de trabalho e adoecimento da classe trabalhadora. Dentre os objetivos, busca-se compreender os impactos da precarização do trabalho na saúde dos trabalhadores, discutir sobre as categorias profissionais no âmbito dos servidores públicos de Santos que têm a sua saúde comprometida pela lógica da superexploração do trabalho contemporâneo e entender a importância e desafios do trabalho profissional de assistentes sociais na saúde do trabalhador. O interesse pela pesquisa surgiu por meio das experiências adquiridas no estágio obrigatório voltado ao cuidado à saúde do servidor público, no qual colaborou com a aproximação das intervenções realizadas pelo Serviço Social nas diferentes demandas do cotidiano. Nesse sentido, para obter uma melhor apreensão da realidade, foram realizadas pesquisas bibliográficas, documentais e de campo, trazendo as vivências dos/as assistentes sociais em meio a um ataque das políticas sociais pela ideologia neoliberal. Diante disso, verificou-se que as modificações no mundo do trabalho têm sido cruciais para o adoecimento da classe trabalhadora. Destaca-se a importância do Serviço Social contribuir no cuidado à saúde do trabalhador e estar em conjunto na luta pela defesa e ampliação dos direitos.
  • Item
    Benedita da Silva, Erika Hilton e Anielle Franco: potencialidades das Mulheres Negras na política.
    (Universidade Federal de São Paulo, 2023-12-15) Jesus, Bianca Alves Novais de [UNIFESP]; Duarte, Joana das Flores [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/7050328398578647; http://lattes.cnpq.br/0046792009647196; Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
    O presente trabalho de conclusão de curso tem como objetivo apresentar de forma breve a trajetória de três mulheres negras brasileiras na política juntamente com suas lutas, reivindicações e disputas de narrativas. As impulsoras políticas Benedita da Silva, Erika Hilton e Anielle Franco possuem um modo singular e contra hegemônico de fazer política, visando as pautas coletivas para além das que atravessam apenas a sua subjetividade. Para alcançar este objetivo, o percurso metodológico traçado foi a investigação qualitativa com o foco na pesquisa bibliográfica, no qual os artigos científicos foram selecionados nos bancos de dados: Scielo, Revista Direito Publicado, Revista Des)troços; Revista brasileira de direitos fundamentais e justiça e Universidade de Brasília (UnB). Para acrescentar a pesquisa foram analisadas entrevistas no programa Roda Viva sendo o de Benedita da Silva no ano 2002, Erika Hilton e Anielle Franco em 2021. Os achados científicos desta pesquisa perpassam pelo modo de resistência das mulheres negras escravizadas que criaram estratégias coletiva e individuais de alcançar a sua liberdade, gerando uma base fortalecida de luta para que hoje essas ativistas negras possam falar sobre pluralidade, defesa e honra coletiva.
  • Item
    O Trabalho do/a assistente social no sistema prisional frente à retomada de vínculos familiares/comunitários das pessoas presas
    (Universidade Federal de São Paulo, 2023-12-13) Misael, Fabio Pereira Campos [UNIFESP]; Matsumoto, Adriana Eiko [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/1255445071615138; Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
    Objetiva analisar e discutir sobre limites e perspectivas da atuação do/a Assistente Social no tocante à retomada e manutenção de vínculos familiares de pessoas privadas de liberdade no sistema prisional. Entrelaça os marcos legais, relativos aos direitos das pessoas presas, ao projeto ético-político da profissão, para evidenciar a necessidade da tessitura de redes, principalmente com movimentos sociais de familiares de pessoas presas. Discorre sobre panorama sócio-histórico da fundação das prisões articulada com a formação social do Brasil, em suas determinações reflexivas de classe e raça. O enfrentamento a esta realidade de criminalização e encarceramento em massa do povo negro e indígena, tem também como protagonistas os movimentos sociais de familiares de pessoas presas. Neste contexto, apresenta a práxis da AMPARAR, em sua relação com outros coletivos e frentes, e a pesquisa realizada durante a prática de estágio na Defensoria Pública do Estado de São Paulo sobre a atuação do/a Assistente Social no sistema prisional, como elementos de análise para compor os objetivos deste trabalho. Conclui que a reflexão sobre a ética profissional e a defesa intransigente dos direitos humanos, diante da barbárie instalada no sistema prisional, é condição para que a prática do/a Assistente Social possa produzir mudanças no tocante à mitigação dos danos causados pelo cárcere