Mestrado Profissional em Tecnologia, Gestão e Saúde Ocular

URI Permanente para esta coleção

Navegar

Submissões Recentes

Agora exibindo 1 - 5 de 138
  • Item
    Procedimento operacional padrão como ferramenta da qualidade, na padronização das movimentações funcionais, promovidas via editais na Unifesp
    (Universidade Federal de São Paulo, 2024-05-10) Oliveira, Vania Lucia [UNIFESP]; Santos, Vagner Rogerio dos [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/0921491281575273; http://lattes.cnpq.br/1087545898566635
    INTRODUÇÃO: Diante das necessidades da Coordenadoria de Mobilidade Funcional, vinculada à Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas, da Universidade Federal de São Paulo, no tocante às orientações relacionadas aos processos de editais de movimentação, devido a morosidade e ausência de fluxos relacionados as práticas de abertura de editais de movimentações funcionais, este trabalho sugere a padronização desta atividade, por meio da implantação de procedimentos operacionais padrão. OBJETIVO: Elaborar os protocolos de procedimento operacional padrão - POP na Coordenadoria de Mobilidade Funcional da UNIFESP. MATERIAIS E MÉTODOS: A fundamentação teórica foi elaborada com estudos sobre gestão de processos, gestão da qualidade, gestão de pessoas, POP e legislações federais vigentes. Para analisar a percepção dos colaboradores, foi elaborado um questionário eletrônico, encaminhado aos servidores públicos federais, com atuação nas divisões de gestão de pessoas, que participaram após a assinatura do termo de consentimento livre esclarecido. Foi realizado um levantamento dentre os últimos processos trabalhados relacionados a publicações de editais de movimentação funcional para efetivação do cálculo do tempo médio necessário para efetivação de todas as etapas destes processos. Realizada validação dos atos normativos vigentes relacionados aos institutos de remoção e redistribuição. Definição dos itens que deveriam constar no manual, simulação de abertura do processo no Sistema Eletrônico de Informação para preparação do passo a passo ilustrativo. RESULTADOS: Os resultados obtidos com a aplicação do questionário demonstraram que apesar dos servidores que atuam nas Divisões de Gestão com Pessoas dos campi da Unifesp conhecerem as rotinas de movimentação funcional, promovidas via editais, ainda assim eles se sentem inseguros ao transmitir informações. Foi possível demonstrar o tempo médio (alto) para efetivação das movimentações atuais. Produzir um guia de procedimento operacional, em formato de manual, para abertura e conclusão dos processos e passo a passo ilustrativo, além de dois fluxogramas detalhados e produção de vídeo tutorial inclusivo, como ferramenta de acessibilidade. CONCLUSÃO: A pesquisa realizada apresentou a elaboração da documentação referente aos fluxos dos processos. Após produção dos materiais e homologação da Pró Reitoria de Gestão com Pessoas da Unifesp, os materiais foram publicados na página de internet da ProPessoas, no catálogo de serviços e no repositório da biblioteca da Unifesp.
  • Item
    Guia para elaboração de revisão de escopo: uma proposta de método de pesquisa tecnológica em saúde para o mestrado profissional
    (Universidade Federal de São Paulo, 2023-03-18) Moreira, Ana Maria Rodrigues [UNIFESP]; Santos, Vagner Rogério dos [UNIFESP]; Moreira, Rita Simone Lopes [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/9682287639705372; http://lattes.cnpq.br/0921491281575273; http://lattes.cnpq.br/6054374627177111
    O uso da tecnologia no desenvolvimento científico em situações e propósitos práticos requer a busca por novas ideias. A introdução de uma nova tecnologia mais econômica e socialmente útil traz à sociedade benefícios econômicos e contribuições sociais. A saúde gera demanda por desenvolvimentos e avanços tecnológicos, na prestação de serviços, em novos equipamentos, na educação e na comunicação. Tais avanços na área da saúde são observados na introdução da tecnologia da informação e no surgimento de sofisticados dispositivos médicos que agilizam o diagnóstico e o tratamento de doenças. Objetivo: Elaborar um guia para auxiliar na elaboração de revisão de escopo, como suporte para pesquisa em tecnologias para a saúde. Métodos: Este trabalho de pesquisa foi esenvolvido no Laboratório de Inovação de Tecnologias em Saúde, do Departamento de Oftalmologia e Ciências Visuais da Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo, de janeiro de 2022 a junho de 2023. A construção do guia foi fundamentada nas recomendações para realização de uma revisão de escopo da International Evidence-based Healthcare Research Organisation. A etodologia recomendada norteou e sistematizou a criação deste guia ao longo dos meses. Buscar evidências disponíveis em um determinado campo de estudo para identificar lacunas do conhecimento rege a realização da pesquisa pelo vigor metodológico exigido pela revisão de escopo. Resultados: O guia foi organizado e diagramado de forma que o pesquisador possa desenvolver um raciocínio lógico para a construção da pesquisa de escopo. Foi registrado na Câmara Brasileira do Livro, possui registro científico com descritor permanente digital object identifier, utilizando o repositório aberto de uso geral do programa europeu Open AIRE, que permite o registro de documentos de pesquisa e artefatos digitais, relacionados à produção acadêmica. O guia, como ferramenta de auxílio para o pesquisador, foi disponibilizado para domínio público através do Repositório Institucional da Universidade Federal de São Paulo com o arquivo salvo na extensão PDF, em alta resolução e no formato A4, portanto, o usuário poderá imprimir em outros formatos, sem perder a qualidade gráfica. Conclusões: Foi criado o “Guia para elaboração de revisão de escopo: Uma proposta de método de pesquisa tecnológica em saúde para o mestrado profissional”, de forma simplificada e prática, como suporte para pesquisa em tecnologias para a saúde.
  • Item
    Sistema de Informação e Assistência (SIA) às pessoas com deficiência visual, em modelo plataforma multilateral online | SAI Visual
    (Universidade Federal de São Paulo, 2024-04-15) Dias, Gustavo Roux [UNIFESP]; Tavares, Ivan Maynart [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/9220084935194992; http://lattes.cnpq.br/3818968564265186
    O estudo estruturou diretrizes para criação de alternativa de ação prática planejada para atender, minimamente, às disposições estabelecidas no Estatuto da Pessoa com Deficiência, partindo do pressuposto “é possível construir uma ferramenta digital com custo exequível à sociedade, prazo de implementação tolerável, ampliação escalável e beneficiária de tecnologias contemporâneas”. Iniciativa indutora de liberdade e autonomia para parcela significativa da população, baseada em tecnologia assistiva; Sistema de Posicionamento Global (GPS na sigla em inglês); e moderado engajamento social; integrados sob modelo plataforma multilateral online; idealizada para estimular mobilidade, acessibilidade e inclusão social para Pessoas com Deficiência, em que o público prioritário são as pessoas cegas e com baixa visão. Para verificar outras hipóteses que parametrizaram o projeto, concebido como diretriz para app digital a ser estruturado; o estudo concentrou esforço em avaliar oportunidades presentes na Web 3.0 e caminhos para usufruir de tecnologias que compartilhem dados georreferenciados e informações via redes de comunicação, a partir de plataformas digitais de oferta e demanda, aprimoradas para oferecer o auxílio assistivo idealizado. E estabeleceu como indispensável, mensurar o potencial de engajamento na sociedade, como fornecedora dos agentes para a reunião e/ou validação de dados indispensáveis ao atendimento pretendido. Identificado como “Sistema de Informação e Assistência (SIA) às Pessoas com Deficiência Visual, em Modelo Plataforma Multilateral Online”, o projeto idealizado pelo estudo alcançou as cinco metas propostas como objetivos fundamentais: (1) Desenvolver o modelo específico de mapa descritivo da “região teste”, segundo conceitos presentes na Lei n.º 13.146/15 e informações auferidas junto aos especialistas e potenciais usuários; (2) Desenvolver o modelo de vocabulário para comunicação em tempo real, a ser estabelecida pelo app; (3) Analisar a viabilidade técnica para a inclusão dos dados necessários à contemplação das metas anteriores, em um sistema que integre geolocalização e suporte individualizado; (4) Indicar as características funcionais do sistema a ser desenvolvido; e (5) Estabelecer formas para inclusão de dados e validação, por colaboradores conectados ao app. A metodologia para reunião das informações pertinentes à verificação de hipóteses e análise dos cenários com os quais o app irá interagir, baseou-se em consultas bibliográficas e de dados secundários observados em estudos acadêmicos e de instituições especializadas; em coleta de informações junto a Entidades Assistenciais, Órgãos Governamentais e Empresas com expertise em Tecnologia da Informação (TI) e Sistema de Informação Geográfica (SIG). E também promoveu busca por dados primários, colhidos através de pesquisas aplicadas pelo pesquisador, individualmente e em pequenos grupos; em 151 voluntários pertencentes aos diferentes perfis estabelecidos como detentores de conhecimento técnico e/ou experiências e vivências pessoais relevantes para o estudo. Como resultados, houve comprovação da viabilidade para desenvolvimento de app que atenda à expectativa inicial (alternativa prática alinhada ao Estatuto e que assista ao público) e satisfaça às necessidades identificadas, baseado em sistemas e redes digitais, GPS e compartilhamento de dados. E com os aprimoramentos conceituais efetuados a partir dos resultados apurados, foram alcançados os objetivos do estudo, e foi promissora a análise sobre metas complementares, admitidas como relevantes em âmbito extra projeto. Perspectiva que incentiva a implementação do “SIA Visual”.
  • Item
    Manual de boas práticas clinicas e manuseio para equipamentos para mensuração da osmolaridade do filme lacrimal por métodos de condutividade e impedância elétrica
    (Universidade Federal de São Paulo, 2024-03-13) Griz, Camila Palmeira [UNIFESP]; Hazarbassanov, Rossen Mihaylov [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/8094321275686016; http://lattes.cnpq.br/2844498934310300
    Objetivo: O propósito deste projeto é desenvolver um manual detalhado de boas práticas para a utilização de equipamentos de medição da osmolaridade do filme lacrimal, como o TearLab™, I-PEN®, e Condutivímetro. Este manual tem como objetivo melhorar o diagnóstico e o tratamento da doença do olho seco (DOS) em indivíduos afetados e não afetados, garantindo a precisão dos resultados e a segurança dos usuários. Métodos: Este manual foi desenvolvido pelo Departamento de Oftalmologia e Ciências Visuais da UNIFESP-EPM no período de 01/10/22 a 31/06/2023 e recebeu aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP 1053/2020). Foram analisadas regulamentações relevantes, incluindo as normativas da ANVISA (RDC 509/2021 e RDC 63/2011). Realizou-se a seleção, análise e síntese de informações para a elaboração de guias práticos para o manuseio adequado dos equipamentos de medição da osmolaridade do filme lacrimal, com foco específico na precisão diagnóstica e na promoção da segurança do usuário. Manuais, guias e cartilhas disponíveis, bem como os manuais originais dos aparelhos descritos, foram utilizados como referência no desenvolvimento deste manual. Resultados: O manual resultante fornece orientações detalhadas para o uso correto dos equipamentos mencionados, abrangendo procedimentos de calibração, operação, manutenção e interpretação dos resultados. Foram destacadas as práticas recomendadas para a manutenção da precisão dos dispositivos e para a conformidade com as regulamentações locais de segurança do paciente. O processo de desenvolvimento do manual ressaltou a importância de uma abordagem padronizada na medição da osmolaridade do filme lacrimal. Conclusão: A elaboração dos manuais para o manuseio correto dos equipamentos de medição da osmolaridade do filme lacrimal reforça a necessidade de seguir rigorosamente as práticas recomendadas e as regulamentações estabelecidas pela ANVISA. Este esforço atende não apenas aos objetivos específicos de sistematização das normas regulatórias e elaboração de manuais detalhados para o uso adequado dos equipamentos, mas também garante a precisão diagnóstica e a segurança dos usuários.
  • Item
    Qualidade de vida em pacientes submetidos à pulsoterapia
    (Universidade Federal de São Paulo, 2024-03-20) Gonçalves, Leda Lucia de Souza [UNIFESP]; Silva, Luci Meire Pereira da [UNIFESP]; Muccioli, Cristina [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/4512517971941945; http://lattes.cnpq.br/8098677641498230; http://lattes.cnpq.br/0669442023767466
    Objetivo: Avaliar a qualidade de vida em pacientes em tratamento com pulsoterapia e sua compreensão sobre doença e tratamento. Métodos: O presente estudo é de uma pesquisa exploratória e descritiva com abordagem qualitativa. A entrevista foi realizada com 50 pacientes no período de novembro/2021 a março/2022. Os dados foram coletados por meio de entrevista estruturada, utilizando três questionários e conduzida exclusivamente pela pesquisadora no Ambulatório de Especialidade Pulsoterapia do Hospital São Paulo - da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). O 1º questionário continha cinco questões, abordando aspectos sociais, epidemiológicos e de validação do entendimento prévio do paciente em relação à sua doença e tratamento, sendo aplicado assim que o paciente iniciava o atendimento. O 2º questionário, composto por 4 questões, foi elaborado pela pesquisadora para validar a compreensão do paciente após o recebimento de instruções sobre o tratamento, que foram fornecidas pela pesquisadora. O 3º questionário utilizado foi o WHOQOL - BREF que é composto por quatro domínios: físico, psicológico, relações sociais e meio ambiente e qualidade de vida. Através desses instrumentos foi analisada a qualidade de vida em geral e o conhecimento mediante seu tratamento com a pulsoterapia. Resultados: Os pacientes eram predominantemente mulheres (N=31, 62%) com menos de 60 anos (N=26, 84%). Pacientes responderam que conhecem sobre sua doença 44 (88%), porém 40 (80%) pacientes responderam que têm dúvida sobre o tratamento realizado com a pulsoterapia. Com relação à qualidade de vida, saúde e outras áreas, tomando como referência as duas últimas semanas, 28 (56%) pacientes relataram distúrbios circulatório, imunológico e visual. A qualidade de vida foi semelhante independentemente da idade, gênero, distúrbios musculoesqueléticos ou qualquer outro problema relacionado à saúde (P>0,05), mas não para a função física. Indivíduos com menor função física apresentam menor qualidade de vida nos domínios de saúde física (P=0,034) e psicológica (P=0,025) e qualidade de vida total (P=0,042). Conclusões: A contextualização do processo saúde-doença, o tratamento com a pulsoterapia e abrangendo a qualidade de vida nos domínios emocionais, físicos, sociais e ambientais mostram interferências, impactando na assistência oferecida. Esta interferência, demonstra por meio desta pesquisa que a parte de orientação educativa sobre o tratamento do paciente com pulsoterapia, pode trazer benefício e qualidade de vida, diante dos relatos informados, foi possível observar que a dúvida quanto ao tratamento tem impacto negativo, devido à falta de conhecimento. Portanto, oferecer ao paciente informações mais detalhadas sobre o tratamento e a sua doença pode impactar na qualidade de vida e assistência, bem como no aprimoramento de uma assistência sistematizada, individualizada, humanizada e integral.