PPG - Análise Ambiental Integrada

URI Permanente para esta coleção

Navegar

Submissões Recentes

Agora exibindo 1 - 5 de 110
  • Item
    Percepção ambiental de usuários do Parque da Juventude (São Paulo - SP)
    (Universidade Federal de São Paulo, 2024-04-15) Theodorovicz , Guilherme Augusto Petrechi [UNIFESP]; Costa, Rosangela Calado da [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/4638308738481562; http://lattes.cnpq.br/6266196162344970
    As áreas verdes desempenham papel importante em espaços urbanos e podem representar uma forma de caminhar em direção aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU), especificamente o ODS 11, que diz respeito a tornar as cidades mais inclusivas, seguras e sustentáveis, contribuindo para a qualidade de vida das pessoas. Para entender as relações entre as áreas verdes e o ser humano, podem ser realizados estudos de percepção ambiental. Nesse sentido, este estudo objetivou investigar a percepção ambiental de indivíduos em relação ao Parque da Juventude (PJ), localizado no município de São Paulo (SP), a fim de identificar o quanto essa área verde contribui para a inclusão e melhoria da qualidade de vida das pessoas. Para isso, foram preenchidos formulários semiestruturados mediante entrevistas com usuários do PJ, para caracterizar o seu perfil socioeconômico, compreender o uso que se faz da área verde, caracterizar e analisar a percepção ambiental dos participantes da pesquisa e avaliar o potencial de atendimento do ODS 11. Os dados foram analisados mediante estatística descritiva simples, quando pertinente, e interpretados por meio de análise de conteúdo. Os resultados obtidos indicaram que o parque possui importância socioambiental, de modo que contribui para a melhoria de qualidade de vida dos entrevistados e para a qualidade ambiental, além de ter potencial para a inclusão social. No que se refere ao atendimento do ODS 11, a área ainda apresenta problemas quanto às metas sugeridas, principalmente no que diz respeito à segurança do público feminino e à acessibilidade de pessoas com deficiência ou com dificuldade de locomoção, sendo que o espaço demanda investimentos na sua infraestrutura interna, a fim de realizar seu potencial de inclusão de forma mais efetiva.
  • Item
    Determinação de resíduos de antimicrobianos clinicamente importantes e verificação de microrganismos resistentes em águas das Represas Guarapiranga e Billings, SP
    (Universidade Federal de São Paulo, 2024-03-24) Santos, Felipe Rafael Guedes dos [UNIFESP]; Moraes, Maria de Lourdes Leite de [UNIFESP]; Minarini, Luciene Andrade da Rocha [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/5226657617185982; http://lattes.cnpq.br/1133302125160725; https://lattes.cnpq.br/3137963591870787
    O uso indiscriminado de antibióticos na saúde humana e no crescimento de animais de criação levou à contaminação ambiental, especialmente das águas superficiais. Esse fato contribuiu para o aumento da resistência antimicrobiana, pois a exposição constante a subdoses de antibióticos pode criar uma pressão seletiva favorável à ocorrência e sobrevivência de bactérias resistentes, uma preocupação global da OMS. Novas abordagens que possibilitem o desenvolvimento de métodos de análise acessíveis e estudos associados à resistência antimicrobiana são prioridades para as agências ambientais estabelecerem programas de monitoramento desses compostos na água. Neste trabalho, foi desenvolvido um método utilizando cromatografia líquida de alta performance por absorção no ultravioleta e fluorescência (HPLC-DAD-FLD) para avaliação de antibióticos (amoxicilina, ceftazidima, cefalexina e ciprofloxacino) priorizados na região metropolitana de São Paulo e foi determinada a diversidade de espécies de bactérias gram-negativas resistentes a antimicrobianos clinicamente importantes nas águas das represas Billings e Guarapiranga. O método foi otimizado utilizando uma coluna RP18 Kinetex (150 mm x 4,6 mm, 5 µm). A fase móvel consistiu de água acidificada (pH 3,0):MeOH 25:75 (v/v), vazão 0,8 mLmin-1; 40ºC; detecção DAD a 237 nm e FLD (λex 350nm e λem 450nm). O LOD e LOQ variaram de 0,014 e 0,27 µg/mL e 0,044 e 0,83 µg/mL, respectivamente, para a faixa de 0,1-100 µg/mL. A avaliação da pré-concentração foi realizada por meio do SPE testando cartuchos HLB e Strata C-18 e a microextração em filme fino (TFME). As fases de extração PAN/C18; PAN/PS-DVB; PAN/C18/SCX e PAN/HLB foram testadas usando três solventes diferentes. PAN/PS-DVB apresentou melhor recuperação utilizando acetonitrila:água (25:75 v/v) como solvente de dessorção. Os testes de sensibilidade aos antimicrobianos foram realizados usando difusão em disco, de acordo com o BRCast. Espécies bacterianas foram selecionadas a partir de colônias recuperadas das represas e identificadas por MALDI-TOF. Cerca de 196 micro-organismos gram negativos foram isolados e identificados, com a presença de 6 diferentes famílias observadas. O perfil de sensibilidade das enterobactérias, considerado de prioridade crítica pela OMS, mostrou resistência a pelo menos um antimicrobiano de aminoglicosídeos, fluoroquinolonas e carbapenemas, respectivamente: Enterobacter spp. (24%, 54% e 67%), Escherichia coli (39%, 87% e 9,8%) e Klebsiella pneumoniae (100%, 50%, 77%). Foi observada triagem positiva para ESBL em isolados de E. coli (96%) e K. pneumoniae (46%). Essa abordagem permitiu a otimização dos esforços para o monitoramento de antibióticos na água, pois sua presença pode aumentar a taxa de transferência horizontal de genes de resistência entre diferentes cepas bacterianas, permitindo que bactérias sensíveis adquiram resistência aos antimicrobianos.
  • Item
    A qualidade das águas do córrego Grota Funda e a sua influência no Corpo Central I da represa Billings
    (Universidade Federal de São Paulo, 2023-12-11) Matarazzo, Matheus Peres [UNIFESP]; Nordi, Cristina Souza Freire [UNIFESP]; Nakayama, Cristina Rossi [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/5087991903554322; http://lattes.cnpq.br/1133827212627122; http://lattes.cnpq.br/2500800846730920
    Os ecossistemas de água doce realizam diversos serviços ecossistêmicos, como, por exemplo, o abastecimento de água. A influência das atividades antrópicas sobre esses ambientes é uma preocupação mundial e a eutrofização é uma das principais ameaças. A represa Billings sofre com a eutrofização há décadas e o aporte contínuo de esgotos domésticos e industriais agravam a deterioração. O uso de bioindicadores, como a comunidade fitoplanctônica e os indicadores microbiológicos de poluição fecal, são ferramentas eficientes para monitorar esses impactos. O presente trabalho tem como objetivo analisar a influência das águas do córrego Grota Funda no Corpo Central 1 da represa Billings. Foram realizadas cinco coletas de água, três durante a seca (01/09/21, 28/04/22 e 01/08/22) e duas no período chuvoso (16/12/21 e 21/01/23), em cinco pontos, partindo do Ribeirão Grota Funda (GF) até o Corpo Central 1 da Represa Billings. Foram analisados parâmetros físicos e químicos, clorofila-a e os feopigmentos, além da detecção e quantificação dos coliformes termotolerantes e E. coli. O fitoplâncton foi caracterizado quanto à taxonomia, a densidade e a frequência de ocorrência. Foi verificado um padrão de diluição ou autodepuração em vários parâmetros, do ponto GF até o ponto P4. A estatística mostrou uma correlação forte entre o ponto GF e as variáveis relacionadas a poluição e eutrofização dos ecossistemas aquáticos, dentre elas: a condutividade elétrica (C.E), o fósforo total (PT), o nitrato (NO3), o nitrogênio amoniacal (NH4), a Escherichia coli e os coliformes. A maior parte dos parâmetros variou sazonalmente, como a C.E, o oxigênio dissolvido (O.D), a temperatura da água, a clorofila-a, o ortofosfato, o NH4, o NO3 e a densidade do fitoplâncton. A análise qualitativa do fitoplâncton revelou 126 espécies/gêneros, distribuídas em 15 classes diferentes, sendo que a densidade do fitoplâncton durante o período chuvoso (22,9 mm³/L) foi em média superior do que o observado no seco (10,1 mm³/L), sendo que as Cyanobacteria foram predominantes. A elevada densidade de cianobactérias em quase todos os pontos e coletas analisados indica a intensidade do processo de eutrofização em andamento. Os resultados em conjunto como cálculo do IET demonstram uma influência importante do Ribeirão Grota Funda nesse braço da Represa Billings, essa influência é diluída até o ponto P4 (Corpo Central I), no entanto esse ponto apresenta outros focos de contribuição, os quais somandose à influência do Grota Funda comprometem cada vez mais a qualidade das águas do Corpo Central I da Represa Billings.
  • Item
    Recuperação de nutrientes da vinhaça pela zeólita para uso como um fertilizante de liberação lenta
    (Universidade Federal de São Paulo, 2024-03-25) Damaceno, Flávia de Oliveira; Shinzato, Mirian Chieko [UNIFESP]; Freitas, Juliana Gadernalli [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/9021997241840860; http://lattes.cnpq.br/3795345587829203; https://lattes.cnpq.br/0230916041151825
    Anualmente são gerados mais de 300 bilhões de litros de vinhaça no Brasil. Por conter nutrientes importantes como adubo para os canaviais, o efluente é usado na fertirrigação desses. Contudo, a vinhaça é rica em matéria orgânica e possui pH ácido. Uma alternativa para aproveitar os nutrientes da vinhaça é extraí-los com materiais adsorventes, como os minerais do tipo das zeólitas. Esses minerais são aluminossilicatos com abundância de poros e canais em sua estrutura, e com elevada capacidade de adsorção de cátions, como potássio e amônio, cujo grau de seletividade pelas zeólita é alto. Uma vez enriquecida com nutrientes, a zeólita pode ser usada como um fertilizante de liberação lenta. Para avaliar essa alternativa, amostras de zeólita em duas granulometria (< 0,44 mm e entre 1 e 4 mm) foram caracterizadas e investigadas quanto à eficiência em recuperar nutrientes da vinhaça e utilizá-las no solo, como fertilizante de liberação lenta. A zeólita foi analisada por técnicas de fluorescência de raios-X (FRX), difratometria de raios-X (DRX), espectroscopia no infravermelho com transformada de Fourier (FTIR), além da determinação da Capacidade de Troca Catiônica (CTC) e do Ponto de Carga Zero (PCZ). A vinhaça também foi caracterizada quimicamente. Foram feitos testes de recuperação de nutrientes por batelada, para avaliar o efeito da concentração da vinhaça e do tempo de contato, e em coluna de percolação para analisar o ponto de exaustão. A liberação dos nutrientes foi estudada em colunas contendo solo (Latossolo Vermelho) caracterizado quimicamente. Foram realizados cinco tipos de testes de coluna: 1- solo percolado com água (controle); 2 - solo percolado com vinhaça; 3 - solo e zeólita natural percolados com vinhaça; 4 - solo e zeólita saturada em nutrientes percolados com água; e 5 - material inerte (esferas de vidro) e zeólita saturada percolados com água. Foi verificado que a mostra de zeólita mais fina possui 72% de clinoptilolita e 16% de modernita, enquanto a zeólita mais grossa tem 67% de clinoptilolita e 20% de modernita; o restante da composição é constituída da fração de muscovita. Ambas possuem cálcio, sódio e potássio como principais cátions que ocupam os sítios de troca (poros/cavidades). A CTC de ambas amostras de zeólita é em torno de 1 meq g-1, e o PCZ de 6. Apesar da vinhaça ser rica em matéria orgânica (8,7 g L-1), possui elevado teor de potássio (2,6 g L-1 K2O) e de compostos nitrogenados (0,9 g L-1), além de pH ácido (4,5). A zeólita removeu até 36,68 mg g-1 de potássio e 4,06 mg g-1 de amônio nos testes de batelada e 35,53 mg g-1 de potássio e 3 mg g-1 de amônio nos testes de coluna. No teste de percolação em colunas de solo observou-se a saída de sódio e potássio do solo (controle), em baixas concentrações se comparada às colunas 2 e 3, as quais receberam vinhaça. Nessas colunas, verificou-se que o teor de potássio no solo aumentou cerca de 20 vezes, além da matéria orgânica. Já nas colunas que receberam zeólitas saturadas com nutrientes da vinhaça (4 e 5) observou-se que houve a liberação de potássio e amônio, sendo maior no solo da coluna 4 (7 vezes maior de teor de potássio em relação à coluna controle), no entanto, sem a elevação de matéria orgânica e a acidez dos solos causadas pela vinhaça. Assim, a zeólita saturada com os nutrientes da vinhaça pode ser usada como um fertilizante de liberação lenta, sendo a vinhaça uma fonte potencial de potássio e amônio para a agricultura. A análise de sustentabilidade indicou que essa alternativa é uma resposta para o impacto da fertirrigação com vinhaça, em contraste à atual apresentação da própria fertirrigação como resposta para a geração do efluente nas indústrias sucroalcoolerias.
  • Item
    Paisagem cultural e conservação de florestas na Terra Indígena Boa Vista do Sertão do Prumirim (Tekoa Jaexaá Porã)
    (Universidade Federal de São Paulo, 2024-02-16) Berte, Marccella Lopes [UNIFESP]; Hardt, Elisa Alves Vieira [UNIFESP]; Talebi, Mauricio Gomes [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/8900428205538307; http://lattes.cnpq.br/1622817303276574; http://lattes.cnpq.br/5109478892294084
    A Terra Indígena Boa Vista do Sertão do Prumirim, ocupada pelos indígenas do povo Guarani Mbya é considerada uma área duplamente protegida e a mais eficaz na conservação da vegetação nativa em todo o território nacional. Os indígenas dessa comunidade são responsáveis por conservar 5.298 hectares de Floresta Atlântica o que representa 97% da cobertura da área atual. As atividades dos indígenas neste território envolvem o uso parcial dos recursos naturais, baseados na sua cosmovisão de conservação de florestas. Tal cosmovisão determina o uso e cobertura da terra, incluindo a construção de moradias em áreas de menor valor para a proteção da vegetação nativa. O objetivo deste estudo foi compreender relações entre cultura e natureza na área de estudo e construir e analisar expectativas de mudanças no uso e cobertura da terra. O método utilizado baseou-se em uma revisão bibliográfica sobre a área de estudo e um conjunto de ferramentas participativas para a construção de mapas em sistema de informação geográfica, cálculo e análise de métricas de ecologia de paisagem, comparando o cenário de expectativas com a o mapa recente. Os resultados mostram um cenário para os próximos 13 anos, baseado no desejo de ocupar áreas já "abertas", e demandas voltadas principalmente para a construção de moradias e espaços comunitários de lazer e práticas culturais, que representam menos de 1% da cobertura da terra. Embora não seja um conceito que exista na cultura Guarani Mbya, a área caracteriza-se como uma paisagem cultural, que se adapta ao contexto atual sem renunciar aos valores culturais de conservação de florestas. Os indígenas desejam restaurar áreas na zona que corresponde as áreas intocadas e guardadas por entidades sagradas. O cenário de expectativa prevê uma diminuição de apenas 0,08% de floresta, com aumento de 1,5 metros na distância entre os fragmentos florestais em 13 anos. Por outro lado, fica evidente que há uma manutenção da disponibilidade de recurso ótimo para a conservação da biodiversidade. As análises de ecologia de paisagem indicam que o cenário de expectativas dos indígenas nesta área de estudo segue um padrão de uso e ocupação atual, próprio dos Mbya, que se caracteriza pelo aldeamento em áreas de menor valor para a conservação e por estabelecer uma fronteira de amortecimento entre a ocupação humana e a floresta composta principalmente por sistemas agroflorestais que funcionam como uma zona de amortecimento para a floresta e ao mesmo tempo aumenta o bem-estar da população. A relação entre os indígenas e a natureza nesta localidade é baseada na sua cosmologia e é na própria cosmologia, nos conhecimentos tradicionais e no seu modo de organização social que se encontram os valores imateriais que conduzem a conservação da floresta. Este estudo trouxe aspectos metodológicos inovadores no mapeamento, com potencial contribuição para outras terras indígenas em contextos similares, especialmente aquelas em processo de demarcação. As métricas de paisagem, quando aplicadas à perspectiva de uma paisagem cultural, complementam a compreensão sobre os efeitos das dinâmicas espaço-temporais da paisagem. Porém, as métricas não são suficientes para compreender a complexidade desse tipo de paisagem, bem como mensurar os efeitos no bem-estar das populações que as constroem. Neste estudo de caso, a cosmologia Guarani Mbya emerge como uma inspiração para o planejamento de paisagens para a conservação da biodiversidade. Esta cosmologia tem resistido e conservado a Mata Atlântica.