PPG - Enfermagem

URI Permanente para esta coleção

Navegar

Submissões Recentes

Agora exibindo 1 - 5 de 752
  • Item
    Acesso a curativos e bandagens para o tratamento de feridas no Brasil por meio da judicialização
    (Universidade Federal de São Paulo, 2024-03-15) Nobre, Vera Patricia Carneiro Cordeiro [UNIFESP]; Taminato, Monica [UNIFESP]; Gamba, Monica Antar [UNIFESP]; Oliveira, Lavinia Santos de Souza [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/3703502378106601; http://lattes.cnpq.br/4395274190819954; http://lattes.cnpq.br/3626639720691828; http://lattes.cnpq.br/4676403423960251
    Cada vez mais indivíduos têm recorrido ao Poder Judiciário em busca de insumos hospitalares e tratamentos para feridas, deslocando questões de saúde para os tribunais e gerando debates sobre o papel do Judiciário na garantia de serviços médicos. Objetivo geral: Analisar a judicialização do acesso a curativos e bandagens para o Tratamento de Feridas no Brasil e no Estado de São Paulo. Objetivos específicos: Caracterizar as demandas judiciais relacionadas ao fornecimento de curativos e bandagens para o tratamento de feridas no Brasil e descrever as demandas judiciais em primeiro e segundo grau de Jurisdição, impetradas junto ao Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) relacionadas ao fornecimento de curativos e bandagens para o tratamento de feridas. Método: estudo com abordagem quali-quanti, descritivo e interpretativo. Dados extraídos no sitio eletrônico do Painel de Estatísticas Processuais de Direito da Saúde e em Sentenças e Acórdãos com trânsito em julgado no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP), no período de 2020 a 2023. Resultados: a maioria dos processos judiciais que buscam garantir a eficácia das políticas públicas de saúde se refere à proteção de direitos já incluídos no SUS. O tempo de tramitação dos processos judiciais na área da saúde desempenha um papel crítico na eficácia da judicialização, influenciando diretamente o acesso dos indivíduos a tratamentos e serviços de saúde. As demandas judiciais analisadas envolvem itens que, para o Estado, não acarretariam desequilíbrio financeiro. Conclusão: A judicialização configura um canal essencial para acessar o direito social à saúde, demonstrando que não se trata de uma invasão à competência dos demais Poderes da República, mas sim uma resposta legítima diante das deficiências no sistema de saúde. Recomendamos o desenvolvimento de estratégias para a garantia do acesso aos recursos para o tratamento de feridas de forma equitativa através da rede de atenção.
  • Item
    Tecnologia educacional para a participação do paciente na administração segura de quimioterápicos antineoplásicos: estudo metodológico 2024
    (Universidade Federal de São Paulo, 2024-02-27) Muniz, Elaine Cristina Salzedas [UNIFESP]; Bohomol, Elena [UNIFESP]; Cunha, Isabel Cristina Kowal Olm [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/8695765272291430; http://lattes.cnpq.br/0048156985550471; http://lattes.cnpq.br/360793776191653
    Objetivo: elaborar, validar e aplicar uma tecnologia educacional para promover a participação do paciente na administração segura de quimioterápicos antineoplásicos. Método: estudo metodológico desenvolvido em seis etapas: revisão integrativa da literatura; entrevistas semiestruturadas com pacientes com câncer; entrevistas estruturadas com profissionais que atuam em ambulatório de quimioterapia; construção da tecnologia educacional; validação de face e conteúdo pelos juízes; e aplicação da tecnologia educacional com validação semântica pelo público-alvo. Resultados: Foram construídas duas tecnologias educacionais, sendo um infográfico “Nada sobre mim sem mim” e nove cartões de verificação para serem utilizados na estratégia do Método Teach-Back. Na validação de 15 juízes o Índice de Validade de Conteúdo global para o infográfico foi de 82% e o Content Validity Ratio global foi de 0,63 e o Índice de Validade de Conteúdo global para os cartões de verificação foi 84% e o Content Validity Ratioglobal foi 0,75, demonstrando um bom nível de concordância entre os juízes para a tecnologia educacional construída. Na última etapa, a validação semântica foi realizada com a aplicação das tecnologias em 15 pacientes em tratamento quimioterápico por via endovenosa e obteve-se um Índice de Validade Semântica de 0,97. Os sete profissionais consideraram que o instrumento aplicado pode favorecer a participação do paciente para a segurança durante a administração dos quimioterápicos antineoplásicos e pode ser utilizado na prática diária, adequando-o à rotina do serviço. Conclusão: O infográfico “Nada sobre mim sem mim” e os cartões de verificação foram considerados tecnologias educacionais válidas quanto à face, conteúdo e semântica e podem ser utilizados para a participação do paciente durante a administração de quimioterápicos antineoplásicos através da estratégia do Método Teach-Back.
  • Item
    Processos de trabalho em enfermagem no contexto da pandemia da COVID-19
    (Universidade Federal de São Paulo, 2024-02-26) Campos, Laís Maria de [UNIFESP]; Neves, Vanessa Ribeiro [UNIFESP]; Balsanelli, Alexandre Pazetto [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/1857033024402274; http://lattes.cnpq.br/7132941543481307; http://lattes.cnpq.br/2524289191739053
    Objetivo: analisar a atuação dos enfermeiros durante a pandemia COVID-19 segundo os processos de trabalho em enfermagem. Métodos: estudo qualitativo que utilizou a História Oral Temática como método de pesquisa. Foram entrevistados quatro enfermeiros que trabalhavam em uma unidade de doenças infecto parasitárias de pacientes adultos quando a pandemia da COVID-19 chegou ao Brasil, em um hospital público referência na cidade de São Paulo, SP. A escolha dos enfermeiros foi fundamentada no papel profissional e na relevância de suas atuações, uma vez que através da valorização da experiência dos participantes e apreensão das narrativas é possível promover análises de processos sociais do presente e facilitar o conhecimento do meio imediato. As entrevistas foram transcritas, transcriadas e categorizadas e seu conteúdo analisado segundo modelo proposto por Minayo. Resultados: Os trechos pertinentes foram selecionados, gerando 295 unidades de registros, as quais foram atribuídos 59 códigos, que originaram 15 subcategorias agrupadas em cinco categorias centrais: Assistir, Gerenciar, Ensinar, Pesquisar e Participar politicamente. Considerações finais: Durante a pandemia de COVID-19, os enfermeiros desempenharam papéis essenciais e multifacetados, demonstrando resiliência e adaptabilidade em um ambiente de crescentes incertezas e desafios. A atuação dos enfermeiros durante a pandemia da COVID-19 foi marcada pela mudança do perfil dos pacientes, sobrecarga de trabalho, resistência dos profissionais, sentimento de medo, fluxos não estabelecidos, inexperiência dos profissionais recém-formados, participação em pesquisar e posicionamento ideológico com reivindicação de direitos.
  • Item
    Adaptação da Biopsychosocial Prognosis Scale for Coronary Artery Bypass grafting para o Brasil e validade de conteúdo
    (Universidade Federal de São Paulo, 2023-11-27) Sene, Elisabete Silvana de Oliveira [UNIFESP]; Lopes, Camila Takáo [UNIFESP]; Santos, Vinicius Batista [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/4234078077590338; http://lattes.cnpq.br/4904538541897667; http://lattes.cnpq.br/4936601688317608
    Objetivo: Adaptar a Biopsychosocial Prognosis Scale for Coronary Artery Bypass Grafting (BIPROSCAB) para o Brasil e verificar as evidências de validade de conteúdo da versão adaptada. Métodos: Estudo psicométrico de adaptação transcultural (ATC) e validação de conteúdo do BIPROSCAB. Para a ATC, adotaram-se os seguintes passos: A1) Traduções independentes inglês-português por brasileiros proficientes (T1 e T2); A2) Síntese das traduções (ST1-2); A3) Retrotraduções independentes português-inglês (RT1 e RT2) por nativos vivendo no Brasil; A4) Avaliação de RT1 e RT2 em relação à consistência conceitual pelas autoras do instrumento original; A5) Avaliação de equivalências semântica, idiomática, cultural e conceitual por 11 juízes especialistas independentes. Modificações foram realizadas conforme sugestões e os itens foram reavaliados até atingirem concordância >80%. Para a avaliação da validade de conteúdo, adotaram-se os seguintes passos: B1) Validade de conteúdo de acordo com juízes profissionais: 11 especialistas avaliaram a clareza, relevância teórica e pertinência prática dos itens do instrumento. Foram calculadas as razões de validade de conteúdo (CVR) e consideradas adequadas quando >0,636. Modificações foram realizadas conforme sugestões e os itens foram reavaliados. B2) Validade de conteúdo de acordo com 40 pacientes pós cirurgia de revascularização do miocárdio (CRVM). Os pacientes responderam ao questionário, avaliaram sua aparência e o quanto cada item era compreensível. As características dos pacientes e o desempenho nas respostas ao questionário foram sumarizadas por meio de estatística descritiva, com medidas de tendência central (média ou mediana) e dispersão (desvio padrão ou mínimo e máximo). Resultados: Na etapa de ATC, foram necessárias três rodadas de avaliação para alcançar concordância desejável. Na avaliação de conteúdo pelos especialistas, apenas uma rodada foi necessária, com CVR>0,636. Após avaliação de conteúdo pelos pacientes, optou-se por reverter a ordem da escala de resposta para uma ordem ascendente (1=Nunca, 2=apenas uma vez, 3= 2-3 vezes, 4=4-5 vezes e 5= Muito frequentemente). Assim, quanto menor o escore, melhor o prognóstico biopsicossocial na versão brasileira, denominada BIPROSCAB-Br. As dimensões que se destacaram com melhor prognóstico foram: Infecção e interferência na vida cotidiana, Limitações na socialização e Dor física. As dimensões com pior prognóstico foram Estado do afeto pós CRVM, Ansiedade pós CRVM e Desconforto em sítios cirúrgicos. Conclusão: O BIPROSCAB-Br é equivalente ao BIPROSCAB original e reúne satisfatórias evidências de validade de conteúdo. A versão brasileira requer avaliações psicométricas adicionais para uso no Brasil que subsidie o direcionamento de intervenções aos aspectos que mais afetam o prognóstico biopsicossocial dos pacientes após CRVM.
  • Item
    Avaliação da sobrecarga e estratégias de enfrentamento de familiares cuidadores de idosos com fragilidade clínica no contexto da pandemia COVID-19
    (Universidade Federal de São Paulo, 2024-02-02) Rueda, Luana Vitro Barreto [UNIFESP]; Horta, Ana Lúcia de Moraes [UNIFESP]; Cruz, Maria Goreti da Silva [UNIFESP]; http://lattes.cnpq.br/3871183725051999; http://lattes.cnpq.br/6589995987863639; http://lattes.cnpq.br/7808172064528868
    Introdução: A família desempenha papel importante como cuidadora e no contexto da pandemia COVID-19 observou-se maior impacto no desempenho do cuidado ao familiar com fragilidade clínica. Objetivo: Avaliar a sobrecarga e compreender as estratégias de enfrentamento de familiares cuidadores de pessoas idosas com fragilidade clínica no domicílio. Método: Estudo transversal com método misto em duas fases com estratégia sequencial explanatória. Na primeira fase a amostra foi de 170 familiares cuidadores principais. Na coleta de dados, utilizou-se os instrumentos: Questionário Sócio Contextual; Escala Modos de Enfrentamento de Problemas; Questionário de Avaliação da Sobrecarga do Cuidador Informal. Nas análises descritivas foram calculados a média, o desvio padrão, a mediana, o mínimo e máximo, a frequência e percentual. Para comparar variáveis de interesse, utilizou-se os testes: Qui-Quadrado, Exato de Fisher, Razão de Verossimilhança, Teste T e o Teste não paramétrico de Mann-Whitney, análise ANOVA e o Teste não paramétrico de Kruskal-Wallis, nível de significância de 5%. Na segunda fase 31 familiares cuidadores principais participaram de uma entrevista semiestruturada com as questões norteadoras: “Como foi a experiência no cuidado prestado a pessoa idosa com fragilidade clínica em seu domicílio no contexto da pandemia da COVID-19?”, “Quais as estratégias de enfrentamento utilizadas no cuidado durante a pandemia COVID-19?”. Os dados coletados resultantes foram analisados por meio da Análise de Conteúdo de Bardin, utilizando as ferramentas do Software MAXQDA. Resultados: O perfil da amostra é de 82% mulheres, tendo entre 50-69 anos (65,9%). 56,5% possuem ajuda familiar no cuidado (sendo 31,7% ajudados por irmãos/cônjuges) e 57,6% não possuem ajuda de cuidador profissional. Evidenciou-se o aumento de sobrecarga do familiar cuidador no contexto da pandemia devido ao aumento da demanda de cuidado e rede de apoio ineficaz. Identificou-se as estratégias mais utilizadas: espiritualidade/práticas religiosas e busca por conhecimento. Os resultados das entrevistas geraram três categorias: “sobrecarga gerada pelo cuidado prestado”, “estratégias de enfrentamento diante da situação de cuidar”, “rede de apoio para promover o cuidado”. Conclusão: Cuidar de uma pessoa idosa com fragilidade clínica ocasiona sobrecarga para o cuidador familiar principal, que pode ser reduzida pela presença de rede de apoio eficaz como importante estratégia de enfrentamento. A enfermagem como rede de apoio profissional tem significativo papel nas estratégias de cuidado integral à família.