Desempenho de três espécies nativas plantadas em ilhas de vegetação em uma pastagem em Aiuruoca, MG

Desempenho de três espécies nativas plantadas em ilhas de vegetação em uma pastagem em Aiuruoca, MG

Author Rezende, Ana Carolina Henriques Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Montero, Leda Lorenzo Autor UNIFESP Google Scholar
Abstract A manutenção de árvores nas paisagens agrícolas pode contribuir para a manutenção da biodiversidade e promover a recuperação parcial de serviços ecossistêmicos. As árvores nativas oferecem recursos alimentares, atraindo a fauna dispersora e promovendo a regeneração vegetal no seu entorno e além disso, amenizam o microclima e protegem o solo. Algumas espécies tem usos produtivos múltiplos (madeira, lenha, fruta, etc.). O plantio de mudas em núcleos pode ser utilizado em pastagens tropicais, formando ilhas de vegetação arbórea. Esta é uma técnica de restauração ecológica que, além de promover a manutenção de espécies nativas, aumenta a heterogeneidade estrutural da paisagem. Contudo, as condições ambientais das pastagens, que são características de áreas abertas, não são ideais para a maior parte das árvores tropicais. Portanto, para dar suporte ao uso de árvores nativas nesse contexto, é necessário primeiro avaliar o seu desempenho. No presente estudo foi avaliado o desempenho de três espécies: aroeira pimenteira (Schinus terebinthifolius Raddi.), pitanga (Eugenia uniflora L.) e ingá (Inga laurina Willd.) em 9 ilhas de vegetação implantadas em pastagens da Fazenda Caminho no Meio, em Aiuruoca, MG. Foram monitorados mensalmente 81 indivíduos durante 17 meses pós-plantio. A sobrevivência foi alta nas três espécies, sendo 100% na aroeira e na pitanga e de 2,8% no ingá. A aroeira teve maior crescimento em altura e diâmetro (ambos p<0,001). O ingá e a pitanga tiveram crescimento similar. Padrões sazonais na produção de estruturas reprodutivas só foram observados na aroeira, com picos de produção de flores de janeiro a fevereiro de 2019 e de frutos de fevereiro a maio do mesmo ano. A floração da pitanga foi incipiente e a produção de frutos pouca. A partir dos resultados obtidos, conclui-se que o plantio de ingá não é recomendado nas condições da área de estudo. No entanto, o plantio de aroeira e pitanga é viável nessas condições, tendo melhor desempenho a aroeira no primeiro ano e meio após o plantio. Assim, recomenda-se o seu uso como elemento estrutural em paisagens similares às do presente estudo.
Keywords Nucleação,
Restauração ecológica
Schinus terebinthifolius Raddi.
Eugenia uniflora L.
Inga laurina Willd.
xmlui.dri2xhtml.METS-1.0.item-coverage Diadema
Language Portuguese
Sponsor Não recebi financiamento
Date 2021-02-26
Publisher Universidade Federal de São Paulo
Extent 28 f.
Access rights Open access Open Access
Type Trabalho de conclusão de curso de graduação
URI https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/60731

Show full item record




File

Name: TCC final 21.03.2021.pdf
Size: 1.275Mb
Format: PDF
Description: Trabalho de conclusão de curso
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account