Práticas decoloniais de parentalidade: Funcionalidade e puerpério

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2021-02-22
Autores
Chendi, Jéssika Vieira [UNIFESP]
Orientadores
Cockell, Fernanda Flávia [UNIFESP]
Tipo
Trabalho de conclusão de curso de graduação
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
O puerpério modifica a rotina das mulheres, tornando-as mais vulneráveis diante das barreiras ambientais existentes (SCHILD, 2017), sendo moldado pela cultura local, variando conforme o tempo e território (HALLENBECK, 2018). A interferência externa pode ditar os cuidados ao neonato, principalmente na continuidade da amamentação e na criação com apego (LITTLE, LEGARE e CARVER, 2018). Segundo Alves (2018), mulheres que fizeram uso do sling e co-leito apresentaram piores escores de funcionalidade a despeito dos benefícios encontrados na literatura, justificando a necessidade de estudos qualitativos. O objetivo foi compreender se menores escores no Whodas 2.0 das puérperas que praticam o co-leito e sling estão relacionados à busca de estratégias para promover funcionalidade. Trata-se de um estudo interpretativo-descritivo de abordagem qualitativa. Após revisão da literatura, do total de 63 puérperas que preencheram o Whodas e afirmaram utilizar as práticas do sling e do co-leito, foi realizada no segundo ano da Iniciação Científica a análise da percepção de cinco sobre sua funcionalidade e motivações. Foi enviado o TCLE com orientações. Os resultados finais potencializam a hipótese do uso das técnicas como facilitadoras da amamentação, criação de vínculo, autocuidado, mobilidade e participação social, evidenciando um resgate de práticas não ocidentais como ferramentas para driblar os determinantes sociais impostos nessa cultura.
The puerperium modifies the women's routine, making them more vulnerable in the face of existing environmental barriers (SCHILD, 2017), being shaped by local culture, varying according to time and territory (HALLENBECK, 2018). External interference can dictate newborn care, especially in the continuation of breastfeeding and in attachment creation (LITTLE, LEGARE and CARVER, 2018). According to Alves (2018), women who used sling and co-bed had worse functionality scores despite the benefits found in the literature, justifying the need for qualitative studies. The objective was to understand if lower scores in Whodas 2.0 of the mothers who practice co-sleeping and sling are related to the search for strategies to promote functionality. This is an interpretative-descriptive study with a qualitative approach. After reviewing the literature, of the total of 63 puerperal women who filled in the Whodas and claimed to use the practices of sling and co-bed, the analysis of the perception of five about their functionality and motivations was carried out in the second year of Scientific Initiation. The informed consent form was sent. The final results potentiate the hypothesis of the use of techniques as facilitators of breastfeeding, bonding, self-care, mobility and social participation, showing a rescue of non-Western practices as tools to circumvent the social determinants imposed in this culture
Descrição
Citação
CHENDI, Jéssika Vieira. Práticas decoloniais de parentalidade: Funcionalidade e puerpério. 2021. 46f. Trabalho de conclusão de curso de graduação (Fisioterapia) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2021.
Coleções