A história da África e dos afrodescendentes vai à escola: a Lei 10.639/2003 e os saberes docentes

Imagem de Miniatura
Data
2019-02-19
Autores
Correa Junior, Rui Leon Aenlhe [UNIFESP]
Orientadores
Lourenco, Elaine [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado profissional
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
From the interview of three teachers and two teachers of History of the Municipal Education Network of the City of São Paulo, this work seeks to understand how the teaching of African History and the African descendants has been taught, since, since 2003, we have a Law (10.639 / 2003) that mandates the teaching of the subject in question. In this sense, it supports us theoretically in the elaborations of Maurice Tardif, with regard to the concept of teaching saber, and in the elaborations of Ivor Goodson (1995 and 1992), a respect for the importance of the teacher's life trajectory. Still, the discussions about respect for the teacher's professional life cycle presented by Huberman (2000). Teachers who already work or work with a thematic proposal in the Law are privileged, as well as this work is imbued with considering a life trajectory of teachers and the moment of their careers. Given the importance of investigating how the teacher teaches his classes, we seek teachers and teachers at different points in their career. You can also understand or understand who led history teachers, without understanding their motivations, inspirations, and even frustrations, to analyze how they can articulate life history, knowledge, and experiential knowledge. Therefore, we also sought to interview teachers who graduated before or after the Law, adding teachers who graduated from public and private universities, with no sense of thinking how their initial education influenced or influenced work. Finally, the values ​​of the methodologies of oral history allow to look beyond the first layer of the relationship of teachers.
A partir da entrevista de três professoras e dois professores de História da Rede Municipal de Ensino da Cidade de São Paulo, este trabalho busca compreender de que maneira o ensino de História da África e dos afrodescendentes vem sendo ensinado, à medida que, desde 2003, temos uma Lei (10.639/2003) que passa a obrigar o ensino da temática em questão. Neste sentido, apoiamo-nos teoricamente nas elaborações de Maurice Tardif, no que diz respeito ao conceito de saber docente, e nas elaborações de Ivor Goodson (1995 e 1992), a respeito da importância da trajetória de vida do professor. Ainda, valemo-nos das discussões a respeito do ciclo de vida profissional do professor apresentado por Huberman (2000). Privilegiaram-se os professores que já trabalharam ou trabalham com a temática proposta na Lei, bem como fica este trabalho imbuído de considerar a trajetória de vida dos professores e o momento de suas carreiras. Em vista da importância em investigar como o professor ministra suas aulas, buscamos professores e professoras em pontos distintos de sua carreira. Tentou-se, também, compreender o que os levou a escolherem ser professores de História, no sentido de compreender suas motivações, inspirações e até mesmo frustra-ções, para analisar como podemos articular história de vida, saberes docentes e saberes experienciais. Assim sendo, procuramos, também, entrevistar professores que haviam se formado antes ou depois da Lei, acrescentando professores formados em universidades públicas e privadas, no sentido de pensar como sua formação inicial influenciou ou influ-encia no trabalho. Por fim, valemo-nos das metodologias da História oral para nos permitir olhar além da primeira camada do relato dos professores.
Descrição
Citação