Quilombos e quilombagem no ensino de História: estudo sobre a contribuição paradidática de Clóvis Moura

Imagem de Miniatura
Data
2019-02-20
Autores
Malanga, Suzane Jardim [UNIFESP]
Orientadores
Vieira, Cleber Santos [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado profissional
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
The objective of this research is to discuss some possibilities of insertion of the themes related to quilombos, as the main form of resistance to slavery, in the teaching of history. Our study is based on the contributions of Clóvis Moura present in his work of reference, the book Rebeliões da senzala: quilombos, insurreições, guerrilhas and in two author paradidate works published between 1987 and 1993: Quilombos – resistência ao escravismo and História do negro brasileiro. The latter have been published in a context in which the black movement comes to the public to demand a new reading about the Brazilian slaveholding past while the market for paradidate books reaches its apex. In this way, our intention is to analyze the actions of the black movement in the context of the 1970s and 1980s, in the light of the contributions of Nilma Lino Gomes, and their impact on the editorial field, historiographic and historical teaching. For the analysis of our sources, we turn to the contributions of Norman Fairclough and Critical Discourse Analysis in order to understand how the discourse present in Rebeliões da Senzala echoes in the paradidate books. Finally, we articulate the discussions raised during the first and second chapters to the teaching of history, raising some possibilities of work to the teaching of quilombos history in the perspective of valuing the history of the Afro-Brazilian population and the fight against racism.
O objetivo desta pesquisa é discutir algumas possibilidades de inserção das temáticas relativas aos quilombos, como principal forma de resistência à escravidão, no ensino de história. Partimos das contribuições de Clóvis Moura presentes em sua obra de referência, o livro Rebeliões da Senzala: quilombos, insurreições, guerrilhas, e em duas obras paradidáticas do autor publicadas entre os anos de 1987 e 1993: os livros Quilombos – resistência ao escravismo e História do negro brasileiro. Estes últimos foram publicados em um contexto no qual o movimento negro vem à público reivindicar nova leitura sobre o passado escravista brasileiro ao mesmo tempo em que o mercado de livros paradidáticos atinge seu ápice. Deste modo, o intuito da pesquisa é analisar as ações do movimento negro no contexto das décadas de 1970 e 1980, à luz das contribuições de Nilma Lino Gomes, e seus impactos no campo editorial, historiográfico e do ensino de história. Para a análise das fontes, recorremos às contribuições de Norman Fairclough e da Análise Crítica do Discurso de modo a compreender de que maneira o discurso presente em Rebeliões da Senzala ecoa nos livros paradidáticos. Por fim, as discussões levantadas ao longo dos primeiro e segundo capítulos são articuladas ao ensino de história, levantando algumas possibilidades de trabalho para o ensino da história dos quilombos na ótica da valorização da história da população afro-brasileira e do combate ao racismo.
Descrição
Citação