Capacitação na atenção à saúde do adolescente: experiência de ensino

Imagem de Miniatura
Data
2010-09-01
Autores
Vitalle, Maria Sylvia de Souza [UNIFESP]
Almeida, Regina Guise de
Silva, Flávia Calanca da [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
This study aimed to assess the operational education received by pediatricians in a training course on Comprehensive Health Care for Adolescents. The course was held at the Department of Adolescent Medicine of UNIFESP and included 10% of the pediatricians working in the São Paulo municipal health system, with theoretical and practical activities, technical visits, intervention/case supervision, and support for updates in the most relevant health conditions in this age bracket. The pediatricians were tested before and after the course with multiple-choice questions and with a open-ended questionairy. Of the 120 pediatricians enrolled, 85 completed the course, 73 (85.8%) of whom were women. They had been working as pediatricians for an average of 18 years. Perceived themselves as more capable of providing better health care, working in multi-professional teams, developing educational activities, diagnosing diseases and risk situations, preventing diseases, discussing cases and strategies with other professionals, and multiplying knowledge. The results suggest that the training model is suitable for providing operational education to professionals already in the job market, althougn requires continuous acquisition of new knowledge and the refinement of previously acquired knowledge.
Trabalho realizado para aferir a instrumentalização recebida por pediatras em curso de Capacitação em Atenção à Saúde Integral do Adolescente. O curso foi realizado no Setor de Medicina do Adolescente da UNIFESP, com 10% dos pediatras que atuam na rede municipal de saúde da cidade de São Paulo, com atividades teóricas, teórico-práticas, visitas técnicas, supervisão de intervenções/casos e atualizações nas temáticas prioritárias desta faixa etária. Foram realizados pré e pós-testes com questões de múltipla escolha, um questionário aberto. Dos 120 pediatras inscritos, 85 completaram o curso, 73 (85,8%) eram do sexo feminino, a mediana do tempo de atuação em pediatria foi de 18 anos. Se perceberam mais capazes de melhorar a qualidade no atendimento, trabalhar em grupos/equipe multiprofissional, desenvolver ações educativas, diagnosticar melhor doenças e situações de risco, fazer prevenção de doenças, discutir casos e estratégias com outros profissionais, multiplicar conhecimento. Os resultados obtidos sugerem que o modelo de capacitação desenvolvido é adequado para instrumentalizar o profissional já inserido no mercado de trabalho, embora, pela característica do conhecimento médico, deva haver um processo permanente de aquisição de novos conhecimentos e refinamento dos já adquiridos.
Descrição
Citação
Revista Brasileira de Educação Médica. Associação Brasileira de Educação Médica, v. 34, n. 3, p. 459-468, 2010.
Coleções