Caracterização microbiológica de Klebsiella pneumoniae produtora de enzima KPC isoladas em pacientes de um hospital de alta complexidade durante o período de cinco anos (2009 – 2014)

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2018
Autores
Fonseca, Juliane De Mello [UNIFESP]
Orientadores
Kiffer, Carlos Roberto Veiga [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introdução: Infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS) representam um desafio para a saúde pública global e quando associadas à resistência aos antimicrobianos, podem causar impactos negativos no aumento do tempo de internação hospitalar, dos custos relacionados à saúde e na mortalidade destes pacientes. Dentro desse cenário Klebsiella pneumoniae produtora de carbapenemase KPC (KpKPC) constitui um importante patógeno, pela sua facilidade de aquisição de mecanismos de resistência e de disseminação em ambiente nosocomial. Objetivo: Esse estudo teve como objetivo avaliar o perfil fenotípico e genotípico de Klebsiella pneumoniae resistentes à carbapenêmicos, isolados a partir de amostras clínicas associados à infecção e colonização de pacientes assistidos em um hospital de alta complexidade na cidade de São Paulo, Brasil, durante um período de cinco anos. Materiais e métodos: Foi selecionado um total de 170 isolados de Klebsiella pneumoniae resistentes à carbapenêmicos, entre os anos de 2009 a 2014, todos associados a episódios de infecção e colonização. As concentrações inibitórias mínimas (CIM) foram realizadas por diluição em ágar e microdiluição. Todos os isolados foram submetidos a PCR em tempo real para detecção dos genes blaCTX-M, blaSHV e blaTEM, blaKPC, blaNDM, blaOXA- 48, blaGES, blaVIM, blaIMP. Oitenta e oito isolados foram submetidos à Eletroforese em Gel de Campo Pulsado (PFGE) e treze isolados à técnica de Multilocus sequence typing (MLST) para avaliar suas similaridades filogenéticas. Resultados: Todos os isolados avaliados apresentaram altos níveis de resistência de resistência a todos os antimicrobianos testados. O gene blaKPC foi detectado em 100% dos isolados. Todos isolados co-carreavam pelo menos um gene codificador de β-lactamases blaCTX-M, blaSHV e blaTEM. A análise da similaridade genética apresentou sete padrões de PFGE “A” a “G”, com predomínio do padrão “A’ (72% dos isolados). A similaridade filogenética por MLST de 13 isolados identificou três complexos clonais (CC) CC 258, CC101 e CC16-17, com predomínio do CC258. Conclusões: Todos os isolados apresentaram elevados níveis de resistência aos antimicrobianos testados, sendo estes níveis maiores em isolados associados à colonização. O único gene codificador de carbapenemase encontrado foi o gene blaKPC, sempre associados a um ou mais genes codificadores de β-lactamases blaCTX-M, blaSHV e blaTEM. A prevalência de um padrão de PFGE “A” sugere a presença de um clone endêmico ao longo dos cinco anos e a análise da ancestralidade por MLST sugere uma ligação do padrão “A” com os padrões “ B”, “C”,”E” e “F’’, por pertencerem ao mesmo CC 258.
Background: Health carerelated infections (HAIs) represent a challenge for global public health and when associated with resistance to antimicrobials, they can negatively impact the increase in hospital stay, health – related costs and mortality of these patients. Within this scenario, Klebsiella pneumoniae producing KPC carbapenemase (KpKPC) is an importante pathogen, due to its ease of acquisition of resistance and dissemination mechanisms in a nosocomial environment. Objective: This study aimed to evaluate the phenotypic and genotypic profile of carbapenemresistant Klebsiella pneumoniae isolated from clinical samples associated with the infection and colonization of patients assisted in a highly complex hospital in the city of São Paulo, Brazil, during a period of five years. Materials and methods: A total of 170 carbapenemic resistant Klebsiella pneumoniae isolates were selected between 2009 and 2014, all associated with episodes of infection and colonization. The minimum inhibitory concentrations (MIC) were performed by dilution in agar and microdilution. All isolates were submitted to realtime PCR to detect the blaCTXM, blaSHV, blaTEM,blaKPC, blaNDM, blaOXA48, blaGES, blaIMP and blaVIM genes. Eightyeight isolates were submitted to Pulsed Field Gel Electrophoresis (PFGE) and thirteen isolates to the Multilocus sequence typing (MLST) technique to evaluate their phylogenetic similarities. Results: All isolates evalluated high levels of resistance to all tested antimicrobials. The blaKPC gene was detected in 100% of the isolates. All Isolates cocarried at least one gene enconding βlactamases blaCTXM, blaSHV,blaTEM. The analysis of genetic similarity showed seven patterns of PFGE “A” to “G”, with predominance of the “A” pattern (72% of the isolates). The phylogenetic similarity by MLST of 13 isolates identified three clonal complexes (CC) CC 258, CC 101 and CC 1617, with predominance of CC258. Conclusions: All isolates showed high levels of resistance to the tested antimicrobials, these levels being higher in isolates associated with colonization. The only gene encoding carbapemase found was the blaKPC gene, Always associated with one or more genes coding for βlactamase blaCTXM, blaSHV and blaTEM, The prevalence of a PFGE “A” pattern suggests the presence of na endemic clone over the five years and the analysis of ancestry by MLST suggest a link between the “A” pattern and the “B”, “C”, “E” and “F” pattern, as they belong to the same CC 258.
Descrição
Citação